9 thoughts on “O chefe da direita portuguesa e o seu legado”

  1. Está aos poucos a compreender-se a razão de tantas vitórias eleitorais de Cavaco Silva.

    Nem Mário Soares teve mais vitórias eleitorais, apesar dos trunfos do antifascismo deste.

    Simples a explicação: Cavaco e os seus podres, sem simulação, estão aí todinhos à vista de toda a gente.

    Não engana ninguém.

    Os outros varrem tudo para baixo do tapete.

    Cavaco continuaria a ganhar tudo.

  2. Oh queridas, só se for da Direita que as meninas imaginaram e só existe na vossa cabeça. Eu cá nasci assim e na parte que me toca, pura como sou, assumo-me Monárquica e preferia ser súbdita e ajoelhar perante um rei, como de Espanha: por acaso bem parecido e foi desportista, ao contrário dos bafientos que passam pelo Regime lusitano contemporâneo, tótos universitários na juventude, casados e bem aborrecidos depois. Mas já que nos impingiram este modelo a que chamam República, se estiver bom tempo e eu sair para a minha caminhada ao sol, sim porque agora sabe-se que a vitamina D rejuvenesce e eu preciso da minha dose diária de sol para a ter, dizia eu, se sair para a caminhada diária, passarei pela escola da freguesia bem cedo (para evitar confusões, detesto estar na fila com populaça ao lado) para deixar o voto no Professor Marcelo. O mal menor. Quase tudo o resto soa a pelintrice de foice e martelo, e quando vejo que alguém tem o apoio de esganiçadas, bichas activistas, sapatonas feministas, piegas parasitas e outra fauna exótica do Portugal democrático sei logo a porcaria que tenho na frente.

    Beijinho bom!

    Sempre vossa, Rainha das Bichas do Chiado.

  3. Porra que o Marcelo agrada a toda a gente.

    Até à bicharada enche as medidas.

    Talvez nem o Guterres , o batia, caso se sentasse na cadeira de Tino de Rãs.

  4. Vai ser uma tragédia para muito tudologo, quando o Cavaco já não render; arranjar ukm bode tão ageito co o este vai ser um bico de obra.

  5. Afinal as maiorias deixaram de ter peso em Portugal. E por que será?
    Deixou-se de acreditar no escrutínio? Na inteligência dos votantes? Ou na falta de seriedade nos afetos do poder?!… Há muitos anos que deixei de depositar o meu voto na malinha de cartão. Cavaco ganhou tudo o que tinha para ganhar. É o politico que mais tempo passou por Belém e São Bento, no entanto dizem os pseudoentendidos que foi o pior 1º que Portugal teve e o pior PR a que nos sujeitaram. Passos passou por S.Bento e só não ficou mais tempo porque as minorias também contam. O 1 900 000 que votaram em Passos são inferiores aos 400 000 do BE aos 300 000 do PCP e aos 1 500 000 que votaram no PS. Questiona se daqui para a frente valerá o povo dispender do seu tempo para ir votar, sabendo que as maiorias deixaram de contar. É a política à portuguesa que por acaso, talvez se irá arrastar até Espanha. Diria um dirigente do PUDEMOS após derrota quando a jornalista lhe perguntou, e agora?!… Não queremos ser um poder perdedor como em Portugal… mas pelos vistos, seguir-lhes-á a peugada

  6. ribas “sabendo que as maiorias deixaram de contar”.
    Pareces o martelo, dizes uma coisa e o seu contrário, então se os três partido somados dão a maioria parlamentar, não deveriam poder governar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.