Mestre Alves

Medina Carreira, Mário Crespo, Ferreira Leite, Pacheco Pereira, Campos e Cunha, et alii, que se ponham a pau: já têm séria concorrência. Este é o verdadeiro senhor do oculto, do qual as figuras gradas da inteligência social-democrata não passam de trapalhonas aprendizes.

Infelizmente, só temos uma parte das suas revelações. O PSD terá de reunir-se com o mestre para descobrir o que fazer até ao fim do ano.

17 thoughts on “Mestre Alves”

  1. Os comentadores que se cuidem. Eis o comentador que o Oculto consagrou.
    Um país com 300 e tal X 600 e tal metros quadrados, com 25000% de desempregados não pode ir longe, pese a existência de tal “cabeça”.

  2. O Valupi devia ter vergonha em promover assim um plágio descarado do Medina Carreira. O que vale é que ela é mais gira que o Mário Crespo.

  3. ESte senhor esteve numa «feira do oculto» no Alvaláxia e eu discretamente safei-me de o ouvir para o Jornal Sporting. Deprimente.

  4. Pelo pouco que tenho ouvido do Medina Carreira, não é pessoa para me fazer gastar tempo, -só quando estou em casa de um amigo e não posso sair, desligar ou mudar de canal – aí é que o tenho de gramar. O Mestre Alves pela maneira que fala e gesticula se lhe pusesse barba quase que o confundíamos. O que a vida nos reserva, parecem clones.

  5. O mais famoso gajo do “Oculto” dos anos trinta na Europa era um fulano chamado Aleister Crowley, the Beast, excelente amigo, e parceiro de aventuras em Cascais, do “maior poeta português do Século XX”, o Sr. Fernando Pessoa. A sua (dele, do inglês) especialidade favorita era ser invadido numa perspectiva de retaguarda enquando o sol rompia e depois subia no horizonte do deserto argelino. Não sei se foi nessa altura que lá se descobriu petróleo.

    Portanto não confundir peixe graúdo com petinga.

    Any comments anyone?

  6. bem , eu até simpatizo com o “homem mais perverso do mundo ” , o bruxo aleister. um tipo interessante , embora um pedacinho pagão demais , deve ser o equivalente a beato.

  7. Podias era ter posto este vídeo antes de teres feito a pergunta sobre o próximo líder do PSD.

  8. Girofé,

    Você disse tudo. Acha que os autodidatas de serviço e os gajos dos caracteres se atrevem a contraditá-lo?

    That will be the day, my good friend.

  9. Lá dizia a tua tia, Toute aber, contra factos não há argumentos. It was just for the record. Para testar, muito ao de leve e sem intenção de aleijar, se os tabus ainda arrefecem ou aquecem os cus abaixo ou acima das temperaturas consideradas normais pelos médicos.

    Abraço.

  10. Caro Giroflé,

    Cá vai o comentário pedido: Ena, ena, ele até sabe quem era o A. Crowley!!

    …esqueceu-se de referir o hábito ainda mais estranho do célebre bruxo: vítima de um narcisismo patologicamente exacerbado, comia a sua própria merda. Compreende-se a sua admiração pela personagem.

    Agora falemos de coisas sérias. Quando é que dá a tal queca na toute a ber, que ela anda a pedir há tanto tempo, coitadinha, a ver se a mulher se acalma? Era um serviço que prestava à comunidade aspirínica.

    Pense nisso, não se limite a admirar os gloriosos, seja um deles, vale o sacrifício.

  11. APAV

    Mulher é a tua tia pá! Saves lá tu se soue mulhere, homem ou transsexuale, meu granda «el cabron»?

    Queres falar da kekas? fala cum o Confúcio carago, isto é ké uma porra, agora xamam-me mulhere. Olha, num ta metase cumigo, que sou cigano e fuie á escola e dapoje fize como o manel Paxecu, turnei-me autodidata, tás a bere.

    Bou a dar-te uma sugestãoe: cumpra uma maozinha electrónica, kela fase tudo o ka manadase, até te baie ao ravo se fore nassassariu, prasisas dissu, tou a bere. PQTP

  12. Infelizmente, em termos de lucro visivel para a “comunidade”, não foste de fio apavio, minha personagem. Vai lá ler mais umas coisas sobre meu “admirado e glorioso Crowley” e volta para conversarmos. Não te esqueças de trazer lápis e papel para tomares notas.

    E, desculpa a franqueza, não é só o Crowley que comia merda, tu também comes, da grande, e chama-se, entre os entendidos como eu, café, almoço e jantar. Mas disto, evidentemente, não precebes tu nada porque ainda não alumiaste o teu apavio, é só enfardar.

    E essa mudança de género do Toute aber faz-te meia-putinha, sabias?, das que têm um medo muito grande da solidão… come out and come out fast.

  13. Giroflé,

    confuso, hein?

    toute a ber,

    não vou seguir a tua receita pessoal, porque obviamente não te tem dado resultado…

  14. APAV,

    Like my good friend said come out and come out fast. Senta-te em cima do teu dedo médio e enterra-o na merda grossa que deitas pelos poros todos.

    O Giroflé ó melhor comentador que alguma vez vi em blogues, escreve bem, escreve com saber, escreve com savoir – faire, tem um sentido de humor fantástico, é INTELIGENTE, é um HOMEM COM TOMATES.

    Este blogue só tem a lucrar com o GIROFLÉ, porque são comentadores como ele que atraem, que despoletam vários tipos de reacção. Por algum motivo o Valupi o publica e sabes? Por algum motivo o Valupi está a publicar-me, certamente porque não é parvo, e no meio desta merda toda, sendo humano, deve rir-se, como eu e muitos outros que já aqui vieram pronunciar-se se riem também – de forma espontânea.

    O GIROFLÉ é livre na expressão, «goza o prato» de forma fabulosa. Um comentador assim só pode ter a minha vénia e agradecimento por me fazer rir e por me ensinar, sobretudo na escrita irónica que frequentemente utiliza. Isso, minha grande CARA DE PEIDA GORDA SEM MASSA MUSCULAR, faz-me voltar aqui e fazer o personagem «Toute a bere».
    Ridiculo ou não, já muitos lhe reagiram, mas como disse oportunamente, não há nas minhas «touteaberices» qualquer maldade. Não vejo isso na tua escrita foleira.
    Portanto, ficas sem saber se sou mulher, homem ou outro. O Giroflé não é parvo e não precisa que lhe buzinem nos ouvidos.

    A propósito de quecas, ó APAB, savias que eue tenho deze dedus? Bê lá tue, e tue tense o kê? Baie a ler a dissertassaõe do vacalhaue do JFK, cheiro ka num ta debe sere istranhu, num é? Eue adoru vacalhaue com grelus e vervigaoe, mas naturale, e tumates, tamém gostu. Sovretudo sa tiberem vem richiados e acumpanhadus.

    PQTP

  15. João Pedro Costa,

    Num parcevu o seue cumentario. Tou rascando meu ravo de curiosidade. Esplike aí, sa fachabore.

  16. Na berdade, o Mestre Alves pudia sumariare esta treta em ka sencuntra Portugale assie:

    os pruvlemas dos portuguesese são todus prublemas agrículas, a saver:
    excesso de nabos, falta de tomates e muito grelo abandonado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.