Marcelino pan y vino

O DN quer que Sócrates seja interrogado a respeito das declarações de Alan Perkins, o qual disse ter ouvido a Charles Smith isto e aquilo. Charles Smith, por sua vez, é quem está a ser julgado por acusação de tentativa de extorsão dos promotores do outlet de Alcochete. Assim, o DN atribui mais credibilidade a um relato em segunda mão de um suspeito de mentir para roubar do que aos milhões de euros que já foram gastos em Portugal e Inglaterra a investigar Sócrates e família ao longo de 7 anos. Ou talvez o DN esteja a sugerir aos seus leitores que estamos perante novas informações, e que até os cartazes lançados em 2009 pela JSD com o Pinóquio a toda a extensão dos 8×3 se referiam a um outro Pinóquio que não este, a uma outra calúnia que não esta.

Não, não há nem pode haver coincidências: um jornal que actua como braço armado de Passos&Relvas será um exacto reflexo de Relvas&Passos.

14 thoughts on “Marcelino pan y vino”

  1. Devia espantar e perturbar seriamente estas noticias serem cozinhadas e difundidas com total impunidade, sabendo os caluniadores que a nossa justiça lhes cobre as costas. Sócrates processou Charles Smith pela calúnia e os juizes mandaram arquivar o processo porque o crime de calúnia tinha prescrito.
    Às vezes chego a desejar que o dia do “juizo final” e o prometido inferno para a patifaria apanhada em flagrante pela divina omnisciência, fosse uma realidade incontestável. Que houvesse um lugar reservado aos filhos da puta onde, separados da gente de bem, se enrabassem à vontade na pocilga que levaram uma vida toda a construir. Infelizmente, a realidade é esta, onde continuamos a ssistir ao triunfo dos infames porcos, excelsamente comandados.

  2. Interrogado por quem? Fingem não perceber que o réu é o outro e fingem que a carta de anónima não tem nada. Fingem tudo, são uns fingidos. Vivem numa realidade diferente da real mas ainda há que os tome a sério. Porquê?

  3. porque cumpre o seu papel essencial… que é desviar as atenções da carneirada do que é realmente importante.

  4. 200mil euros, dizem eles (já foi meio milhão, já foram 4 milhões). ahahahahahahahahahahahah.
    o “ouvi dizer, eu que cheguei ao assunto em 2005, que lá para os idos de 2001…” rules. e toca de amplificar para mascarar os dossiers que o relvas já tem, ou pode ter em dois minutos, sobre qualquer cidadão.

  5. duzentos mil em notas de cinco, embalados em envelopes de 1.000 euros e entregas fazeadas a diferentes pessoas que depois depositavam numa atm do bpn na conta secreta de um anónimo que era familiar do socras. o bundinho de carvalho tem esta informação no portátel, encriptada sob a forma de sms e pronta para a reabertura do processo.

  6. num se preocupem, num baie acuntecer nada. aqui a culpa num existe, os politicos, os pulhíticos e os afins, os cidadãos bão todos pró céu. ninguém tem culpa de nada, é tudo empenhado e tudo perfeito. não há tentações materiais e só enriquece quem o Dibino assim entender. o DN é que está mal, baie direitinho pró inferno, e os que o compram pra ler o que nele se iscrebe tamém.

  7. Desculpem regressar ao tema.Aqui há tempos escrevi neste blog,que não entendia a declaração de vitoria no debate de Socrates vs Passos Coelho,por parte de Miguel Sousa Tavares,que de imediato foi aproveitado pelos comentadores ao serviço da direita.Questionei-me tantas vezes,o porquê de um comentario tão contudente e injusto na minha opinião.Recomendo que vejam no Youtube se é motivo para dar a vitoria, a quem mesmo na oposição não saiu da mediania a que já nos habituou.Ontem na conversa com Ana Lourenço, na SIC ficou tudo explicado por parte de MST.O livro que ele lançou agora com escritos de varios anos,só fazia sentido com um novo ciclo.Palavras sitadas de memoria. Um Novo Ciclo foi o clik , para tão efusiva e contudente declaração. A vida está dificil… há que aproveitar as oportunidades custe o custar.A narrativa foi muito teímosa e dramatica para a credibilidade de Sousa Tavares.Começamos a não ter em quem acreditar.Perderam-se muitos valores… e referências,até o da solidariedade,como se viu na classe dos jornalistas,quando uma sua colega de profissão com uma coragem a toda a prova nos tempos que correm,denunciou, o comportamento indecoroso de um governante deste pais. Com esta imprensa que temos o caminho só pode ser o do abismo. abismo…

  8. Não entendo a que título Sócrates deve ser interrogado? Não é ele que está a ser julgado. Não é testemunha . Portanto, expliquem-me p.f. como se eu fosse uma criança de 10 anos. É que, assim como se tem de “explicar a crise às criancinhas” com a ajuda do Ministro das Finanças, isto também pode ser explicado. Enquanto não me explicam, eu vou estando em crer que esta história tinha que voltar a ser ‘cacha’ dos tablóides porque o Relvas e o Passos estão entalados. Estes ‘jornalistas'(????) pensam que nós somos todos tontinhos.

  9. Há muito que João Marcelino atingiu o seu princípio de Peter! É um mero director de
    fachada, demonstra não ter qualidade para limpar a redação das laranjas podres que
    por lá ficaram! Talvez, por vício adequirido, consegue estar a fazer do DN um pasquim
    émulado pelo CM por onde deve ter passado! Por outro lado a Controlinvest, dado o
    seu “main-core” ser o futebol, deixa afundar-se um prestigiado jornal!!!

  10. O DN é assim mesmo: um jornal que está sempre, sempre, ao lado do Governo de turno.

    Durante 4 anos os editoriais do Marcelino, punham o Governo de Sócrates nos píncaros. E, durante pelo menos 4 anos, com toda a justiça. Mas não era a justiça que preocupava ou movia o Marcelino; era a tendência que desde sempre houve naquele jornal para lamber as botas a “quem manda”.

    Quando o Passos e o Relvas forem à vida, passam a ser figuras em desgraça naquele pasquim, e os endeusados passam a ser os novos governantes.

    Que corja!

  11. Carlos Madorno, o DN já se constituía como oposição logo a partir de 2008, quando as crises e a ruína da banca laranja alteraram as regras da convivência da gente séria com o Governo.

  12. Estou de acordo com Carlos Mardono . Para Marcelino,Socrates passou de bestial a besta de um dia para o outro.Este escriva, formatado no pasquim” Correio da Manhã”,não consegue ver mais do que está à frente do seu nariz.Não viu que a crise internacional, passou a divida publica portuguesa de 65% do pib em 2007, para 110% em 2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.