23 thoughts on “Mais uma prova da superior inteligência de Obama”

  1. Mais um comentário sexista de Val, que se acha moderno por propalar machismo de polaridade invertida.

    Com esta, Val (e com ele muitos homens) mostra ser mais estúpido que muitas mulheres que conhecemos. Como conhecemos muitas mulheres mais estúpidas do que homens.

    Tantos anos e nunca perceberam que homens e mulheres só têm uma diferença.

  2. Sexista e paternalista, Seria bem longa a lista de mulheres tão más e burras como qualquer homem. Do mesmo exacto tamanho da lista dos homens tão maus e burros como qualquer mulher.

    Dá-te sorte com o gajedo a pose paternalista do Vocês são melhores que eu? É o que fazes para te aproveitares da única diferença que realmente existe? E elas caem-te no conto do vigário?

  3. Olha, Olinda, a conversa era com o Val, não era contigo. E não te chamo gaja, pq? Acaso és um gajo?, se calhar também queres que te ceda o meu lugar sentado nos transportes públicos? Ganha juizinho que insultos gratuitos e ofensas pessoais são coisa que aqui não falta e tu preocupas-te com “gaja”, armada em florzinha de ouvidos sensíveis: “ai que eu sou melhor, mas não posso levar com reciprocidade”.

    Respeita a tua igualdade legal arduamente conquistada e ainda hoje bem longe de se cumprir e a necessitar de luta e deixa-te de conversas sexistas e paternalistas próprias essas sim de frustrad(a)os. O Val sempre tem a desculpa das parvinhas lhe caírem no regaço por se fingir venerando e obrigado, que é um “artista”. Quanto às carnes penduradas que acaso cada um tenha, cada um saberá de si.

    O Obama fez bem em nomear uma mulher. porque as mulheres são metade da humanidade e não faz sentido que fiquem de fora de porra nenhuma. Isso é inteligência pq? Descobrir e respeitar a variedade de género?

    Assunção Esteves é melhor presidente que Jaime Gama, mas é pior que Mota Amaral, como Lurdes Pintasilgo – sem governanr – foi melhor primeira-minsitra que Passos Coelho e que Sócrates.

  4. a conversa é de quem a apanhar. chamares-me mulher é uma coisa que sou – gaja é outra que não sou e há que chamar as vacas pelos nomes. negar o sexismo no género é negar o género – a mulher é diferente do homem em tudo. e não, não precisas de te levantar para eu me sentar a não ser por obrigação cívica de estares perante uma idosa ou uma grávida ou uma deficiente. ou seja: se a tua maneira de ser é de grunho, grunho sejas – nada a opor. é inteligência descobrir que muito além da igualdade de direitos humanos há a diferença de géneros. e ai de quem me diz que sou igual a um homem. sou o caraças.

  5. Olinda, isso da gaja é grunho lá na tua freguesia, do mesmo modo que é grunho chamares frustrados aos outros por te chamarem sexista quando – sem conheceres a mulher nomeada – concordas com um post onde se diz que um é homem inteligente apenas por nomear uma mulher para os serviços secretos. Tal como é grunho o modo como por cá destratam todos os que vos põem certezas políticas em causa, o larga o vinho e o catano. Veste-me o hábito à vontade do dono

    obviamente que as mulheres não são iguais aos homens numa série de coisas (a maioria delas culturais, tirando as resultantes das carnes penduradas), tal como não são diferentes na esmagadora maioria delas. Aliás, diferenças de género foram exactamente o que levou a que durante toda a história da humanidade as mulheres fossem tratadas como inferiores e com menos direitos humanos. Perdoa-me por nunca as ter considerado suficientemente diferentes de mim para que as mulheres tenham menos (ou mais) direitos que um homem.

    quanto “a seres o caraças”, devo dizer-te que na argumentação, sensibilidade e juízo na discussão tão semelhante a tantos homens que se não te declarasses mulher ninguém o notava, tal como se eu não me declarasse homem também não conseguirias descobrir o meu sexo.

  6. em uma frase ou em um texto ou em um dia ou em uma semana, talvez não diferencies um homem de uma mulher pela forma de, pensar, escrever – a não ser, obviamente, quando a mulher ou o homem em causa de facto não o sejam por essência (isso também explica a homossexualidade da natureza do género).

    quanto ao concordar com o post, até o lambo se fizer falta – não é alusivo a direitos mas ao reconhecimento de que a mulher tem inteligências que a inteligência do homem não tem (o contrário também há). e quando um homem as consegue desbravar a ponto de assumi-las estamos perante um homem, capaz de ver além do óbvio, mais inteligente do que os outros.

    no que concerne à grunhice, há quem considere defeito de género – seja ele qual for – mas eu tenho-a como defeito de feitio do indivíduo que estiver em questão. mas lá está, também os defeitos pessoais são, se assim ditar aquilo que vem do inconsciente e incontrolável, para amar. isto para quem amar não é defeito – antes feitio.

  7. Valha-nos, Olinda, São Barack Obama para ter topado que A Mulher tem uma inteligência para chefiar serviços secretos que O Homem não tem. Depois disto, só a cura do cancro, o segredo da vida na Terra, a solução para os panarícios.

    Val, vai lá para dentro continuar com a canção do bandido paternalista que talvez tenhas sorte e ainda hoje te calhe em cama a parte que realmente persegues das tolinhas que se embevecem com elogios sexistas.

  8. nm, falas assim porque não és carne nem peixe.recordo as maes deste pais,e na esmagora maioria têm mais creditos no seu adn do que os homens.não conheço nenhuma mulher que pudesse fazer o que passos coelho esta a fazer.

  9. corrijo a minha afirmaçao anterior: havia uma mulher que fazia aos portugueses o mesmo que o homem de massamá……a maior investigadora criminal de portugal: felicia cabrita.

  10. Foda-se, não há mais nada que os preocupe?
    Têm a pança cheia, caso contrário não discutiam estas merdas!

    Há mulheres e homens inteligentes.
    Há mulheres e homens asim-assim.
    Há mulheres e homens burros.

    Mais nada.

    Qual a relevância da notícia e da discussão?
    Foda-se!

  11. Outeiro,

    Tem bastante razão, foi o que eu disse foi aliás o que disse no primeiro comentário.

    A discussão deve-se ao facto de Val e Olinda em toda a vida que levam não terem ainda percebido haver

    mulheres e homens inteligentes.
    mulheres e homens assim-assim.
    mulheres e homens burros.

    E pronto, admito, venho cheio da Páscoa (folares, amêndoas, etc.) e custa-me ver o preconceito imbecil, sexista e paternalista cultivado como se fosse sensibilidade, inteligência, empatia.

  12. Claro, Nuno CM, E além da justamente elencada Felícia Cabrita, que podia estar junta com a Manuela Moura Guedes, não há uma presidente da Assembleia da República, eleita pela actual maioria governamental, não há ministras a votar as coisas no conselho de ministros, não há deputadas como a Teresa Leal Coelho a dizer as coisas que diz (“Eles pagam, tu gemes e vens-te”).

    Também não há aquela alemã loura, Angela, ou lá como é que ela se chama, a mandar em nós como manda, e nos gregos e nos cipriotas, e mais a francesa Cristiana, da dior e do fmi, organização com cadastro de matar à fome populações do mundo inteiro.

    Aquilo é tudo o Super-Passos que decide sozinho mailos mauzões dos homens, brutos como casas. As mulheres é que são estúpidas e mansinhas e sensíveis e deixam-se convencer pelo adn, pelo amor, pelo peixe-peixe e pelo carne-carne e mais o par de botas.

  13. esse truísmo é, de facto, incontestável. já perceber que há inteligências, em quantidade e qualidade, diferentes entre homens e mulheres e depois entre os homens e entre as mulheres não está ao alcance de qualquer um – só dos melhores.

  14. nm,
    “Valha-nos, Olinda, São Barack Obama para ter topado que A Mulher tem uma inteligência para chefiar serviços secretos que O Homem não tem”.

    Acho que não foi isso. O homem também tem essa inteligência,o que a mulher não tem é reconhecimento de que também é capaz, e oportunidade para tal. Esta oportunidade foi uma dada por Obama, como tantas outras dadas por outros homens – são eles que têm o poder de dar a oportunidade à mulher. Isto nem sequer devia ser notícia ou ter destaque. Tem-no porque historicamente, o que se topa, mal, é a assunção que o Homem tem uma inteligência para chefiar o c…que quiseres, que a mulher não tem. Excepção para o lar, mesmo este paradigma já em desuso.

  15. Sim, Olinda, como a superior capacidade de perceber que a menina é uma especialista em candidatos à chefia dos serviços secretos norte-americanos e sabe mesmo se a Julia Pierson é inteligente ou deixa de o ser.

    Edie, Perfeitamente de acordo. Mas não é a visão paternalista e o discurso sexista de Val que reforça as mais que merecidas oportunidades e reconhecimento. No essencial, Val preserva o esterótipo histórico, apostando em intangíveis capacidades extra-sensoriais, agora que a inteligência emocional anda em moda, que atribui a diferenças de género – as mesmas que tão maus resultados deram no passado – como se capacidades intangíveis fossem um exclusivo inalienável de cada género.

    Quando Assunção Esteves foi eleita e muito bem para a Assembleia da República não faltaram declarações inflamadas afirmando a sua especialíssima sensibilidade feminina, como se à mulher apenas estivessem reservadas as alcofas e o remanso doméstico, como se dela se esperasse um lado cuidador que ninguém exige aos homens. O que devia ser saudado era o quebrar do longo monopólio masculino e não o discurso da dona de casa, prendada e amiga dos pobrezinhos. Felizmente, é pior presidente da AR que, não recuando muito, Mota Amaral. Felizmente, é melhor que Jaime Gama.

    Foi também esse o teor de algum discurso (felizmente houve o que falou de competência e seriedade) que recebeu Joana Marques Vidal, que ainda bem que era mulher que assim ia prestar muita atenção à violência doméstica e às criancinhas e aos velhinhos, áreas onde como se sabe não se pode admitir a presença masculina que os homens são todos brutos e práticos e estão bem e adequados é para mexer na criminalidade violenta e coisas de macho. Dá impressão que para parar as agressões domésticas só recorrendo ao gineceu, que aquilo para os homens só se perdem as que caem no chão.

  16. não vale a pena explicar mais que a inteligência está em saber que o facto de ser mulher é uma valia para a função em causa, e tantas outras, e que depois logo se verá se cumpre com o que a natureza lhe deu para desenvolver ou não, claro, porque existem mulheres sem vestígio de feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.