(mais) razões para amar Miguel Macedo

Por muito zangado que fique o primeiro-ministro, por muito que franza o sobrolho, pensando que nos mete medo, não mete medo nenhum, vai ter que ouvir, o que quer e o que não quer ouvir. E tudo o que dissermos ao primeiro-ministro, é pouco para o que ele fez ao país.

Vamos ter uma luta terrível pela frente, vamos ganhar, mas vamos passar muito…

O PSD não vai para a campanha “encolhido” porque se há alguém que tem de ir para a campanha com olhos no chão, são aqueles que conduziram o país à situação em que está.

Se o primeiro-ministro pensa que intimida o PSD com a sua famosa má disposição, está enganado. E quero dizer-lhe que no PSD também há quem tenha muito má disposição, a começar por mim, e que já não temos paciência para aturar estas cenas que faz permanentemente ao país.

Fonte

68 thoughts on “(mais) razões para amar Miguel Macedo”

  1. A isto, pode chamar-se o início de uma grande amizade.
    Até mesmo dum amor arrebatado…
    Para quem batia com a mão no peito a trejurar não ir fazer “uma campanha suja”, sem ódios e ataques pessoais….é um excelente começo.
    Na direção contrária.

  2. “Oh que valente que eu sou”, cá para mim este MM é como aqueles caniche “valentes” (também conhecidos por lambe “cricas”) que arretem contra alguém a ladrar desalmadamente. O problema é quando se bate com os pés no chão, é vê-los de rabinho entre as pernas a dar às de Vila-Diogo para debaixo da cama.

    Ou então é como o Burro do Shrek.

  3. O MM e os outros do PSD dizem que Sócrates não lhes mete medo. Então porque fogem a sete pés duma coligação com Sócrates? Se calhar não é medo, é…cagaço. Mas o que MM não diz é que o medo deles não provém da “má disposição” (sic) do PM, mas sim do facto de eles saberem que Sócrates é infinitamente superior a Passos e a qualquer MM do PSD!

  4. Lembram-se daquela canção brasileira? “Um homem que diz vou, não vai, porque quem vai mesmo não diz”. Bem verdade. Transposta para M Macedo, daria: “Um homem que diz não ter medo, tem, porque quem não tem medo não diz”.

  5. tem piada, eu ontem adormecia a pensar nisto, enquanto me interrogava se Portugal abandonasse o euro regressaria ao escudo, ou ao real, que era o nome da moeda cá na primeira república, se não me engano.

  6. O discurso politico parece sempre “mais do mesmo”. Ainda sou novo, e não tenho consciência do panorama politico pré-Sócrates. Ao olhar para a palete de políticos, todos eles falam muito bem, com uma elegância e convicção tremenda, à excepção do governo e da bancada do PS. Esses pautam-se por um discurso narcisista e recheado de ódio e ataques a todos os outros. Pelo menos é o que vejo.

    Não sigo nenhum partido, até porque nem sei os ideais que defendem (talvez isto seja como “escolher” um clube…sou do Benfica porque sou, porque sempre fui…e neste caso talvez a coisa vá pelo mesmo caminho). Nem sei a diferença entre eles, o que os definem….

    Agora avaliando as pessoas e não os partidos, parece-me a mim que Passos Coelho (e até Miguel Macedo) têm um discurso coerente (o que contrasta com Sócrates, seus ministros e bancada PS).

    Pergunto eu: estarei enganado pelos bons falantes da politica e antes já assim o era? Sou novo e só agora tenho consciência da bandalheira que vai na politica. Mas, não sei já vem de há muito tempo atrás, se estes discursos da oposição, das campanhas, dos comicios serão sempre “mais do mesmo”…

    Veremos! Se o PSD subir ao governo quero ver mantêm a coerência. Para mim, esta será a “prova dos noves” desta classe politica. Veremos, se continuarei a acreditar no politicos…

  7. Deduzo que o senhor(a) anónimo seja certamente a favor de algum partido que não o PSD…
    Bem, o que é certo é que para mim (que não fico por Portugal) tanto me faz que seja PS, PSD, CDS, PCP, Verdes, BE, ou o FMI…

    Agora, olhando para esta palete de políticos, parece-me ser mais coerente o senhor Pedro Passos Coelho…pelo menos fala (aparentemente) bem. Estou é na dúvida se não será este o mesmo discurso que todos os candidatos têm antes de chegar ao governo. E, quando sobem “ao poleiro”, transformam-se e a coerência desaparece, o compromisso desaparece e a “trabalham” em torno de interesses dos “boys” e de negócios obscuros com vista a favorecimentos.

    É o que penso! Já agora tenho 24 anos. E se isto é a politica que temos em Portugal…valha-me Deus!

  8. Eu no Reino Unido, mas onde é que vês coerência no discurso bem falante (?!) de Passos Coelho? Alguém que sobre a subida de impostos disse o que disse e que ontem afirmou que preferia mil vezes subi-los, sim, ele usou esta expressão. E que em relação à ajuda externa, espera que Portugal não tenha de a pedir, mas, na mesma entrevista, diz que não se deve diabolizar o FMI e enumera as vantagens de tal ajuda para o País. Isto é um discurso coerente?

    Isto são dois pequenos exemplos, porque quanto ao resto, que é praticamente tudo, Passos Coelho não é coerente nem deixa de ser, simplesmente ninguém lhe conhece propostas alternativas.

  9. coerência de coelho ??? em que restaurante ???

    24 anos x 4 pernas = 98 anos, parabéns estás quase novo, mais 2 anitos e dás a volta ao conta quilómetros.

  10. “…se vês ali uma suástica é porque te deu para aí”

    pergunta a um árabe e vais ver que tenho razão, mas não te esqueças das cuecas de lata

  11. Ó jovem no reino unido, concordo quando dizes que todos falam com uma elegância e convicção tremenda, à excepção dos do PS. O senhor Passos Coelho até já afirmou com toda a elegância e convicção que ainda não queria ir ao pote. E está a ser, tens razão, muito coerente com essa sua intenção.

  12. pois eu tinha pensado em regressar ao número de ouro um dia destes, mas como a Grécia está ko não sei se é boa idéia. Às tantas vou para chinês.

  13. Peço desculpa! Não me batam mais!
    Então quem será a personagem coerente dentro do panorama politico actual?

    Ou isto é um blog pró-Sócrates ou então não sei eheh
    O que já deu para ver é que está recheado de comentários de gente “pseudo-intelectual” capaz de fazer comentários como:”24 anos x 4 pernas = 98 anos”.

    Só pergunto: se Pedro Passos Coelho não é a pessoa certa, então quem é? Por favor elucidem-me! Talvez possa haver integridade numa pessoa que não seja Passos Coelho…

    (Agradecia que não fizessem comentários abstractos e jocosos para demonstrar “intelectualidade”)

  14. Não posso! ahaha
    Isto é um blog pro-Sócrates!? ehehe
    E eu vim logo aqui fazer um comentário em que digo “Passos Coelho é coerente”! Demais! Grande pontaria! Já percebi, daí a “intelectualidade jocosa”!

  15. O “Eu no Reino Unido” é um tadinho naif e não percebeu que bateu de trombas num dos blogues – da série B é certo – mais asquerosos da carneirada socrática, indecente e nojenta, porque incapazes de se olhar ao espelho e fazer alguma auto crítica. Só para sua degustação, e uma vez que é novo e bom rapaz, oiça sobre a crise alguém capaz e sério, que não fez cursos na universidade independente, porque destes mete nojos do aspirina não leva nada a não ser caganeira mental e intrujice.
    Mas se quiser ir à catedral dos profissionais da bajulação socratínica, porque estes do aspirina nem amadores são, curiosos por aí, visite o Câmara Corporativa ou o Jugular, entre outros braços armados da blogosfera ao serviço da indecência.

    Ouçam bem abéculas

    http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/Edicao+da+Noite/2011/3/antinio-barreto-comenta-crise-politica23-03-2011-225548.htm

  16. Creio que Miguel Macedo apenas está a ser coerente. Ésta é, e sempre foi a coerência da maioria dos miúdos que escolhem ser deputados quando forem grandes.
    Até aqueles que são jovens, e moram no Reino Unido, gostam deste tipo de discursos e destas coerências.
    O discurso rasteirinho a escapulir para a chinela rapidamente toma o lugar da elegância retórica prometida.
    O Sócrates ateniense, segundo Platão, foi executado não querer abandonar as suas ideias, ao actual, já o tentaram executar diversas vezes por delitos vários sendo os seus mais acérrimos atacantes pessoas de reconhecida honorabilidade e integridade intelectual como toda a gente sabe.
    Quem defender Sócrates, é apelidado de carneiro, nojento, idiota, intrujão e mais uma saca de epítetos capazes de fazer corar um marinheiro, mas se pelo contrário o atacar, passa a ser portador de uma rara inteligência, sério, honesto e trabalhador, um patriota, um esclarecido, um ser de eleição.
    Dito isto, vou dar ali uma volta ao bilhar grande para ver se tenho paciência para continuar a aturar tanta asneira.
    Até à volta rapaziada…

  17. His coisa da tia, eu visto a carapuça e só tenho pena de nessa da caganeira mental não ser um pássaro para a despejar toda na tua mona atrevida.
    Tás armado em durão por veres o Macedo rosnar?
    Olha que até me dá jeito para mostrar ao puto que aqui não param só intelectuais.
    Tem tento na língua, moinante. Se não gostas não estragues.

  18. Fogo isto parece uma selva! Ofendem-se uns aos outros! ehehe Este blog é altamente! Parabéns aos criadores e autores neste blog pois têm aqui uma caderneta de comentadores “fantástica” ! Porreiro pah!

  19. HMV, a única caganeira aqui é a que sai da tua boca, que deitas um fedor a ódio, que tresanda. Mas obrigado por teres ajudado a demonstrar ao jovem a inteligência e elegância de argumentos dos opositores de Sócrates.
    E se não gostas, porque é que andas sempre aqui caído?

  20. Gostas, jovem do Reino Unido? Então já sabes, volta sempre, que o autor deste blogue é dos que não fazem censura sobre aqueles de quem discorda. Bonito exemplo, não muito seguido por outros mais “liberais”.

  21. Mas voltando ao post, está a escapar ao Miguel Macedo e Cª que quem tem motivos para estar com uma grande má disposição nesta campanha eleitoral é o povo,pá. E é capaz de já não haver muita paciência para este tipo de espectáculo.

  22. Aterrou para aqui uma “anedota” vinda ao que parece do Reino Unido! O que é que por lá o terá deixado naquele estado?!

  23. Ui se gosto! Isto parece uma feira! Disse que Passos Coelho me parecia coerente e sou logo achincalhado! Eu que não sou a favor de nenhum partido levo logo com estes “brindes”! Tanto ódio porquê? Porque não há assertividade?

  24. Atão e não dizias nada à malta, Pacheco?
    :)

    E olha, o eu no reino unido foi “achincacalhado” por um anónimo sem nada a ver e apesar de ser novinho já tem manha para tentar imputar as culpas ao blogue…

  25. Mas olha que parece, pá.
    E como falas em assertividade sabes que deves aplicá-la segundo um critério uniforme, direccionando o teu esforço para todas as partes envolvidas.
    E não sei como é no Reino Unido, mas cá em Portugal não chamamos feiras a coisas que queremos valorizar, if you know what I mean…

  26. oh emigrante! isso do ódio deves perguntar aos deobeautiful que hoje deram cabo das montras da channel em picadilly, dizem que era uma manifestação contra o socrates, mas em assertividades tu és especialista.

  27. (shark, tivemos quase, quase, um simultâneo. Que saudades. :)

    (espero que o “puto” não esteja a ouvir estas conversas. A reputação do blogue já está tão arruinada, segundo ele).

  28. Pois é, anónimo, também achei esquisito, mas parece que Sócrates andou a fazer das dele lá por terras de Sua Majestade.

  29. ahahaha vocês são fantásticos! Bom gostaria de continuar a frequentar este blog, mas lamento! Não caio nesse vosso ping pong de mau gosto. Este é o meu ultimo comentário! Continuem entre vocês nesse ritmo jocoso! Fica-vos impecavelmente bem e reflecte aquilo que são!

    Boa continuação “boys” ehehe

    Bye bye

    (PS: será que os deputados quando estão lá no parlamento estão a visualizar estes blogs, ou estão lá mesmo a “trabalhar”? Podem-me elucidar, é que tanto eu como os portugueses temos esta dúvida! Mas não precisam de responder, toda a gente sabe a resposta!eheh)

  30. com toda amizade,
    a questão nas proximas eleições
    será entre JSocrates, PM de portugal
    e a misera personagem que
    ali de Alges,
    manobra este putedozinho todo
    marcellos, mendinhus, coelhos e quejandus
    com seus projectos golpistas
    que vão de BPN, escutas, Coelheiras…
    o resto, é fumaça…
    digo eu
    abraço

  31. adeus, puto. Gostei de saber que tu sabes exactamente quais as dúvidas dos portugueses. Tão novinho e tão senhor da verdade! Mas olha, para jovem, não devias ficar tão incomodado com o humor. Assim pareces um velho chato. Bye, aprende a treinar o neurónio para responderes às perguntas incómodas. è que, sabes, para nós, intelectuais, respostas como eheh e ahah são demasiado abstractas.

  32. Anónimo, tenho pena de não saber quem és porque mereces crédito por estas duas últimas tiradas.
    Cinco estrelas (que é como quem diz five stars, na promised land dos fedelhos enjoadinhos).

  33. (Edie, prometo que vou manter o mesmo empenho na sintonia contigo. Também sinto a falta desses nossos instantes de profunda sincronização, mas a ver se com isto da mudança da hora não nos desencontramos na hora da verdade…)
    :)

  34. ANIPER, não concordo. Acho que devemos receber bem os visitantes. Não vês que eles voltam sempre? A espernear mas voltam? O que sempre anima…

  35. dassssssssssss, isto aqui está estranho, uns “acusam-me” de ser gostar da velha, outros do Pacheco, outros do Anacleto, agora apareceu um rapazola de cueiros dizer que sou sócrista, dasssssssss.

    tá lindo tá

  36. Bom dia Edie. Não te esqueças que convém eu treinar.

    Agora quanto ao resto, passo-te o filme que estou a ver. Em primeiro lugar parece estar aqui um exemplo a reter, embora de outro clima e com a ajuda do vulcão.

    Em segundo lugar, o que está em curso é um novo processo de escravidão. Os consórcios financeiros internacionais escravizam os estados à conta das dívidas soberanas, e estes escravizam os cidadãos, num fluxo que esvazia a base da pirâmide, ou as raízes da árvore e gera cavitação generalizada, e de uma maneira ou de outra dá revolução, no sentido próprio do termo, viram-se as coisas.

    Os mais afectados são obviamente os países pequenos em termos de pib (não pib per capita), começou na Islândia, e seguiu-se aos três que tinham recebido fundos comunitários nos anos oitenta e noventa, que em grande medida foram usados para dar cabo das capacidades produtivas nacionais, sobretudo alimentares, e assim torná-los mais vulneráveis. Enfim, um investimento calculado para render bué no futuro.

    Se calhar Portugal deve entrar em incumprimento, pelo que percebi será a sétima vez na história e o sete fecha um ciclo. Talvez a Grécia siga o exemplo e por aí, e aí sim os trambolhos financeiros dos bilhões e biliões tremem num escalduço eletrónico sem fim. E talvez haja maneira de recolocar as coisas numa base mais favorável para os valores de humanidade que somos supostos atenderem vez de pactuarmos com a escravidão em curso. Noutro dia desci a Av. da Liberdade às 21h e é impressionante a quantidade de sem-abrigo na pernoita, não há palavras.

  37. alef

    sobre o assunto mais simples: essa era uma das poucas palavras que deveria ter sido alterada no outro lado do Atlântico, pelo acordo ortográfico. O acento circunflexo devia ter caído e sido substituído pelo acento agudo. È certo que ainda não vi nenhuma publicação brasileira (on line) aplicar o acordo. O próprio tradutor do google só aplica correcções ao português de Portugal. No brasileiro, segue tudo como dantes. Enfim, tudo isto, para dizer que escusamos de ser mais papistas que o papa e que é mesmo anónimo, e não anônimo.

    Sobre o assunto mais complicado, dá pano para mangas e garanto-te que ainda vamos falar dele – não hoje, que estou em relax total :)

  38. Gostava que voltassem a falar nele porque alimento uma enorme curiosidade acerca dos moldes da próxima revolução a sério a acontecer num país ocidental.
    Dos moldes, dos protagonistas e das consequências possíveis de prever.

  39. bem mas isso era eu a meter-me, mas já agora e como é morfogênese/morfogénese? Onde é que se pode ver a grafia correta? Isto para mim é brincadeira, mas já vi que estás com nariz de Cleopatra…

    Shark: não sei nada disso, nem sei prever, só sei que é inevitável, dum e doutro lado do Mediterrâneo as tensões induzidas pela injustiça social vão pôr isto a ferver. A invasão da Líbia no entretanto funcionou como válvula de escape, há problemas de direitos humanos reais junto com o petróleo e, assim como assim, é verdade que o khadafi é um escroque dum ditador e deixa pra lá. Até chegar ao Irão.

  40. Este Macedo é o líder da bancada parlamentar do PSD. É alguém que teve o primeiro-ministro à frente de quinze em quinze dias nos debates no Parlamento, mas que só agora, depois do Governo cair, se lembrou que tem muito para lhe dizer.

  41. Podes ver href=”http://www.url.priberam.pt/docs/acortog90.pdf”>aqui, e aprofundar nos diplomas legais listados no documento, se quiseres ter o trabalho. Entretanto, parece que anónimo e génese tanto podem ter o “chapelinho”, como não. Agora diz em voz alta: anônimo. (ôlhe, soa lindamente, tá a ver?)

    (Nariz de Cleópatra? Obrigada, pões-me nos píncaros :)

  42. Muito boa, Guida, é como aqueles putos cobardolas que só falam quando não têm frente quem seja capaz de lhes responder à letra!

    Falas também nos debates parlamentares de 15 em 15 a que mais nenhum primeiro ministro tinha acedido antes de Sócrates. Ou muito me engano ou esta prática vai depressa ser esquecida pelos cagarolas que aí vêm. Se vierem! E até sou capaz de antecipar o argumentário com que vão justificar, perante os portugueses, essa fuga ignóbil! Dirão: os tempos são de trabalho e não de conversa! E a maralha vai dizer “amen” a este douto argumento!

  43. Obrigado Edie, já guardei. Mas como te digo ando ainda a brincar aos acentos. Seja como for o chapelinho ficava bem ali, por causa dos pingos.

    Guida: espero que não pense que de alguma maneira eu apoio o psd, é que não mesmo. E vão tentar a democracia suspensa que a manela queria.

    Bem, chateia-me andar aqui no Macedo, então encontramo-nos noutro mais logo ou ‘manhã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.