Isto é o da Joana, diz Luís Rosa

Luís Rosa pretende que aconteça a Sócrates o mesmo que foi feito a Leonor Cipriano, condenada sem provas e após tortura policial.

Luís Rosa usa a sua carteira profissional para servir quem fez da “Operação Marquês” um processo de assassinato político.

Independentemente da descoberta se Sócrates é inocente ou culpado, o que uma investigação isenta deveria conseguir estabelecer sem margem para a menor dúvida e com a máxima rapidez, ver o uso da Justiça em cumplicidade com a comunicação social para perseguições políticas é, antes de um golpe de Estado, o mais grave atentado contra o Estado de direito democrático, a República e a liberdade.

11 thoughts on “Isto é o da Joana, diz Luís Rosa”

  1. Não conheço qualquer prova directa da participação desta criatura merdiática no assassínio do malogrado atleta Luís Grilo. Mas sou o feliz recipiente de uma dica de fonte de confiança, mais tarde confirmada de viva voz por um passarinho, ou passarinha, não sei bem, não apalpei os entrefolhos do bicho, segundo a qual o Rosa é um até agora desconhecido amante alternativo da viúva e o verdadeiro homicidante. Em bom rigor, a atrás referida confirmação não foi bem de viva voz, foi mais de vivíssimo e melodioso piu-piu, mas isso é o que menos interessa, menos interessando ainda a inexistência da tal prova directa implicando o merdiático no homicídio. Assim, tranque-se a alimária, julgue-se/condene-se o cujo de acordo com a info da minha fidedigna fonte e do passarinho, passarinha ou transpassarigénero, e deite-se fora a chave. Registe-se como agravante, e indiciando tendência para a reincidência, ter-me sido confiado por outra fonte, e confirmado pelo mesmo passarinho, passarinha ou passarinhe, ser a alimária supra também o verdadeiro assassino de JFK.

  2. Pá, devias ter metido também a cacetada que lhe deu logo a seguir, e a propósito, a senhora que estava sentada ao lado dele. Acertou-lhe mesmo no meio dos olhos, Valupi !

  3. Então porque é o lr menos que o jmt? Este que se esforça ainda mais porque não ha-de vir a ser o pensador próximo a botar pensadura no dia de Portugal e Camões?
    Vá lá mexia, mexe-te e já que te mexeste e meteste no lote dos fedorentos que se armam de convictos a quem lhes basta suas fedorentas bastardas inconvictas convicções para terem razão e pensar poderem condenar por indícios sem provas qualquer um vamos, homem do Presidente, força homem do Presidente, faz que este videirinho lr homem do do dono também suba a pensador do reino tal qual o outro.
    Se são tantos a pôr-se em bicos de pés uns e de cócoras outros e afanosamente concorrem uns com os outros para ver quem excrementa mais acerca de Sócrates porque carga de água há os que entram e outros ficam à porta?
    Não importa que seja a futura porta dos vendilhões e da má fama porque as vaidades e necessidades são de agora.

  4. Um fulano chamado Gonçalo Amaral teve, ou não, papel relevante na obtenção da “confissão” arrancada à mãe de Joana, “confissão” essa relevante para a posterior condenação da acusada ? Foi ou não esse fulano posteriormente condenado em Tribunal por “actos de tortura” sobre acusada, actos esses que, segundo o abjecto Rosa, seriam perfeitamente legitimos no “achamento” da tal “prova indirecta” ?

  5. O tribunal de Portimão deu como provado o crime de agressão dos 3 inspectores da PJ que investigaram o caso. Mas, como a agredida, Leonor Cipriano, não conseguiu identificar quem foi o agressor, o tribunal mandou os três para casa na santa paz dos justos! Tal qual como os onze policias que cegaram a adepta do futebol em Famalicão!

    Num país minimamente civilizado, a hierarquia devia demiti-los todos.

  6. Esse tipo que, usa uma carteira profissional de uma profissão que não exerce pois,
    é um mero avençado ou estipêndiado como diria o saudoso BB, exerce a sua activi-
    dade em meios de comunicação social que, não primam pela isenção e são susten-
    tados pelas oligarquias com capital para o efeito!
    Ainda hoje foi divulgado mais um relatório da OCDE onde, mais uma vez, a Justiça
    é apontada como das piores da Europa … não será devido aos corporativismos ain-
    da “vivos” nos seus operadores e, por andar em roda livre há muito tempo???

  7. Alguém um dia terá que fazer uma investigação jornalística a sério sobre a evolução patrimonial destes profissionais do caso Sócrates, antes e depois do caso: Rosa, Tavares, Ribeiro, Dâmaso,…

  8. Galuxo

    Uns “ácaros” meios malucos que lhes violassem o grupo de WhatSap é que era (como no Brasil). Depois entregavam o material a um Glenn Greanwald e … eheheheheheh !
    Tou a reinar. Eu não defendo ilegalidades.
    Mas que o resultado devia ser hilário lá isso devia ….

  9. Não sei exactamente como a coisa funciona, mas julgo que os funcionários do fisco (e apenas eles) que recuperam para o Estado verbas resultantes de alegada fuga ao fisco recebem, como recompensa, uma percentagem do montante recuperado. Não sei se este “incentivo” ainda existe, mas julgo que pelo menos já existiu. Assim, seria interessante saber, caso um tribunal considere “provado” que os 25 ou 35 milhões de Carlos Santos Silva são na realidade de José Sócrates, quanto cairá no bolso do feliz e empenhado inspector tributário. E digo que seria interessante saber porque esperança de saber mesmo tenho zero, dada a ausência cobarde de jornalismo digno desse nome na Tugalândia e a omnipresença do jornalixo. Sendo a “fraude fiscal qualificada” um dos crimes de que Sócrates é acusado, bom… é só fazer as contas.

    A ser assim, julgo igualmente que nada na lei impedirá o inspector de, generosamente, distribuir mais tarde parte da verba por alguns dos membros da empenhada equipa que contribuiu para o feliz desenlace, sob a forma de donativos, facilmente legalizáveis mediante o pagamento do respectivo imposto (julgo que 10%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.