10 thoughts on “Isto é muito grave”

  1. santa ingenuidade, decobriram agora o que é uma junta médica. só falta revelar quanto é que ganham os médicos das seguradoras para assinarem os relatórios de incapacidade.

  2. Um dia destes, ignatz, tens de deixar por aí o teu número de telefone que é para as pessoas poderem falar contigo em vez de andarem à nora sem saberem o que fazer neste mundo, coitadinhas.

  3. é gravíssimo, até porque a tendência – já não sendo o que era – é não reconhecer doença a quem, de facto, não pode trabalhar a não ser à medida da sua incapacidade.

    mas agrada-me, ainda que pelos piores motivos, que se choquem os profissionais em exercício: acabe-se com o autismo na saúde por mera protecção elitista.

  4. acho um piadão a esta rapaziada modernaça que gosta de vingar as embirrações na net. apresentar queixa na ordem ou na polícia, dá trabalho, fica na lista negra dos ganchos e com fama de amarelo ranhoso, assim aliviam a consciência e fazem figura.

  5. Não percebo nada destas burocracias, que o não deviam ser, mas… porque é que a senhora teve de assinar o voto de vencida? Foi obrigada? Não podia assinar outra sua posição???

  6. Ignatz, o melhor é mesmo falar do que sabe, boa? Quem lhe disse que o processo está parado e que fiquei de braços cruzados?

    Torres, já lhe respondi no Jugular mas repito, era o que podia fazer. Eu não assinei o voto de vencida, fiz uma declaração por escrito que foi no sentido contrário da decisão tomada pela maioria (2 contra 1) e a isso chama-se fazer voto de vencida

  7. “Ignatz, o melhor é mesmo falar do que sabe, boa? Quem lhe disse que o processo está parado e que fiquei de braços cruzados?”

    tá bem, abelha! nem pergunto contra quem e onde apresentaste queixa, basta denunciares publicamente os nomes dos colegas coniventes com o cambalacho. isso é qu’era knockout técnico, até te pedia desculpa por andar a dizer coisas à toa.

  8. Não tinha você a culpa, Ignatz, tinha eu que me comportava ética e deontologicamente como aqueles que critico. Pertencemos a quadradinhos diferentes, as suas desculpas não são mesmo importantes, nem elas nem a sua opinião, por razões que estão à vista desarmada.

  9. “Não tinha você a culpa, Ignatz, tinha eu que me comportava ética e deontologicamente como aqueles que critico.”

    isso chama-se corporativismo. ética e deontologia é denúnciar aquilo que afinal escondes. não percebi essa repartição manhosa de culpas.

    “Pertencemos a quadradinhos diferentes, as suas desculpas não são mesmo importantes, nem elas nem a sua opinião, por razões que estão à vista desarmada.”

    ora nem mais, comparar herriman com disney é mesmo de quem não percebe peva de banda desenhada e os restantes argumentos dizem nada. sou levado a concluir que te promoves com a desgraça alheia e falta de arcaboiço para contar histórias credíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.