Impunidades

Paula Teixeira da Cruz, Ministra da Justiça de um Governo onde convive com Portas e Relvas, escolheu a prisão de Caxias para sugerir que Mário Lino, António Mendonça e Paulo Campos cometeram crimes quando foram governantes: Ministra da Justiça diz que terminou o tempo da impunidade

Se calhar, ela tem razão. Se calhar, não precisamos das polícias e dos tribunais para nada, bastam as suspeitas e convicções da gente séria.

Mas mesmo que ela tenha razão, mesmo que tenha razão apenas em parte, mesmo que essa parte seja de duvidosa ou impossível prova, a Ministra da Justiça, de seu nome Paula Teixeira da Cruz, representa a direita mais abjecta que existe em Portugal.

6 thoughts on “Impunidades”

  1. Se acabou o tempo da impunidade, porque é que andam à solta tantos facínoras, alguns dos quais já há muito estão referenciados por essa justiça que é tutelada pela senhora ministra?
    Será que a cor partidária não tem influenciado o andar dos processos?
    E sobre o segredo de justiça e o direito ao bom nome? A senhora ministra que se diz da justiça não se lembra de falar, nem de abrir inquéritos?
    Estranha justiça esta que é administrada por caciques partidários.

  2. este folclore justicialista é para disfarçar a incompetência do governo e serve para desviar atenção de mais austeridade.

  3. nem percebo porquê tanta estupefação, afinal é a única medida do programa eleitoral do psd que está a ser cumprida.

  4. Se calhar a impunidade dessa fulana (não poderei tratá-la de outro modo) poder ligar para o Procurador Geral da República e, embora o próprio dissesse que não se sente pressionado, quando se liga muito, algo quererá dizer…
    A baixeza dessa fulana ´tal que alguém aqui já classificou de cloaca que eu não sei mais como poder referir um bitaite desse de pessoas que nem sequer foram constituídos arguidos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.