How low can you go?

“É uma matéria que neste momento é objecto de polémica político-partidária e quando as coisas chegam a esse ponto o Presidente da República não deve fazer comentários públicos”, respondeu Cavaco Silva, quando questionado pelos jornalistas em Jacarta (à margem de uma visita de Estado que realiza à Indonésia) sobre a polémica que envolve o ministro dos Assuntos Parlamentares.

Fonte

10 thoughts on “How low can you go?”

  1. Quando diz “a esse ponto” o bruxo de Boliqueime parece referir-se a “polémica politico-partidária”.

    O anormal, a alimária que inventou a escutas de Belém e cobrou ao BPN quase meio milhão de euros de imposto mafioso, diz que não entra em polémicas, muito menos “político-partidárias”!

    A bosta salazaróide bolorenta coberta de larvas de varejeira acha que “polémica politico-partidária” é “esse ponto”. Ponto de quê, ó nojo?

    A lata do morcão chega a este ponto”!

  2. Mas não há ninguém na “entourage” deste calhordas que tenha a coragem de lhe dizer a que ponto ele se torna ridículo e odiento quando larga estas bojardas pela boca fora? Afinal, ganham rios de dinheiro como assessores do triste, para quê? A menos que, interiormente, gozem que nem uns pretos com as cavacais calinadas.

  3. Além de estúpido é ridículo – afinal as «escutas» também o foram, politica partidária. Miserável argumento. Nem chega a ser. Não é nada. além do nojo…

  4. Pelo (nada) que o Sr. Silva tem feito em Belém desde que lá está, eu não confiaria nele nem para polvilhar canela nos pastéis.

  5. Tem a mesma utilidade que um bengaleiro no átrio de um consutório médico.

    Toda a gente sabe que está ali, toda a gente sabe qual a sua finalidade, mas ninguém se atreve a lá deixar o chapéu de chuva pois o mais certo é este desaparecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.