Freeport, free press e freedom

O caso Freeport conheceu uma sexta-feira diabólica com as declarações de Júlio Monteiro, o email do primo, o DVD do bife e as indicações de haver matéria de facto nos documentos recolhidos nas buscas feitas a várias entidades. As labaredas correm soltas e é inevitável que algo acabe queimado. Mas o quê?


Se tudo correr segundo o mais alto interesse da comunidade, arderá um bom pedaço da nossa tolerância para com a injustiça. Os portugueses são, actualmente, maioritariamente cobardes. Vangloriam-se da pequena corrupção e invejam os grandes corruptos. É ainda a herança salazarista: uma impotência interiorizada, uma desconfiança radical no Estado, uma miséria cívica. Como sabiamente avisava Agostinho da Silva, a tolerância é pérfida, é o pior cúmplice. As correntes investigações são, pois, uma excelente prova de que o sistema de Justiça funciona em Portugal. É secundário, nesta altura, estar a duvidar da honestidade da Procuradoria por via de supostos atrasos na investigação, o que agora importa é louvar todos os actos que contribuam para o esclarecimento do caso.

Tal como devemos louvar a liberdade de imprensa, a qual só na patética cabeça do Pacheco tem andado condicionada por causa do Governo. Claro que há diferenças de tratamento, diferenças editoriais, preferências políticas, proximidades pessoais, tudo e mais alguma coisa que impeça o abraço entre gregos e troianos, mas o que escreve aqui, fiscalizando as edições jornalísticas ao minuto e reclamando especialistas em corrupção para que identifiquem já quem são os culpados, é uma expressão de canalhice ou psicose.

Portugal vai tornar-se um país com maior respeito por si próprio depois deste caso. Se Sócrates (ou alguém do Governo de então, ou do PS, ou ligado ao PS) for culpado, como 200% dos filhos da puta andam a dizer à boca-cheia, será magnífico poder julgar e punir exemplarmente aquele que se registará como um inaudito crime histórico. O problema no regime, ficar com os dois partidos do centro completamente desacreditados e inoperacionais, seria um bom problema de se resolver – há terramotos que vêm para que se possa reconstruir a cidade a partir das fundações. Se Sócrates e o PS não tiverem nada a ver com o caso, e os factos apenas envolverem indivíduos movidos pela ganância, os quais até poderão estar a mentir nas suas declarações passadas e presentes, então a maioria parlamentar irá repetir-se e crescer. E poderá haver força política para que a Justiça receba uma decisiva reforma que lhe confira maior coragem, rigor e rapidez.

As declarações do tio de Sócrates são curiosas pelo que elas exibem de paradoxal. O tio parece não ter noção de estar a falar com uma jornalista que vai publicar as informações, nem de estar a entalar o sobrinho de uma forma que parece indefensável. Há hesitações estranhas e uma informalidade narrativa que roça a inconsciência ou a senilidade. Tal como é muito interessante o email do primo onde se reclamam benesses pela promoção do suposto encontro com Sócrates. O despudor do pedido e a falta de segurança de um email, tanto podem sugerir um mero acto de atirar o barro à parede, como uma mera imbecilidade de um imbecil. Invocar dívidas daquele calibre para obter dividendos irregulares faz-se presencialmente, num almoço, num encontro, por intermédia pessoa para que se possa negar. Enfim, estas revelações não se coadunam com o perfil de uma alta corrupção entre sofisticados advogados, ministros, secretários de Estado e mais uma catrefada de técnicos e pessoal diverso. Imaginar toda esta gente a chuchar nos 4 milhões, eis o cenário favorito do merdas típico. Contudo, tal fantasia pede uma estouvada logística. Por aí, os que estavam presentes no Conselho de Ministros onde se aprovou o projecto serão também potenciais cúmplices. Tal como Jorge Sampaio, o qual teria pactuado com ilegalidades ao não ter devolvido o projecto, segundo afirmou um marmanjo do PSD. Será essa até a norma dos partidos, conseguir financiamentos através da corrupção em negócios de imobiliário e construção, atesta o Jacinto Leite Capelo Rego da Somague. Daí os dois chumbos ambientais no projecto, chantageando o promotor até ele aceitar pagar, explicam os cínicos. Simples, e está sempre a acontecer, grita em coro o vox populi.

Para mim, e apesar de ver os Não me lembro como subterfúgios inaceitáveis e agravantes da suspeita, Sócrates é inocente e vítima. Sem provas, os ataques à sua liberdade são ataques à minha liberdade. E à tua também.

42 thoughts on “Freeport, free press e freedom”

  1. Oh,Valupi,que filho da puta de nome,tu estás cada vez pior…
    Ao que chegou o desespero “socialista”…
    50 linhas para não dizeres nada…

  2. Bem, só os inocentes ou perversos é que não sabem que se forja um caso com toda a facilidade, mais a apetência necrófila das massas pelo auto de fé de um político de primeiro plano, que antes do salazarismo vem da inquisição.

    E portanto para mim o Socrates é vítima de perseguição até prova em contrário, já é a terceira vez que o caso vem à baila.

  3. e já agora oh Paulo Azevedo que sempre gostei da tua cara, não fica nada bem ter o paladino português da guerra do Iraque à frente do Publico depois do Obama tomar posse, pá,

  4. hum, -> «E por isso o presidente do BofA, Ken Lewis, despediu Thain numa reunião de 15 minutos, porque ele próprio tem o lugar em risco, tanto mais que o banco já recebeu 45 mil milhões em dinheiro do Estado no quadro do plano de salvação do sistema bancário, uma soma maior do que vale o banco em Bolsa.»
    in dn hoje

  5. Só não vê quem não quer e tudo indica que estamos perante um caso de corrupção, agora escreve o que quiseres a mando do teu dono Sócrates

  6. Quis tomar por parvos os portugueses aquando da suposta licenciatura e agora quer ver se pega, não pega e está provavelmente lixado é que as investigações decorrem na coroa britânica, só lhe resta aguardar por James Bond

  7. Todos sabemos muito bem que a corrupção está institucionalizada. Isto infelizmente acontece nas democracias de todo o mundo através das mais variadas maneiras. A própria lei do financiamento dos partidos é um caso flagrante.
    Neste caso o que me surpreende é que ele surja sempre nas vésperas de eleições, o que o torna desde já suspeito, pois haverá sempre alguém que procurará tirar dividendos políticos não interessando os meios, levantando suspeições normalmente na mesma base, relacionando factos(«para a mentira ser segura, tem de trazer à mistura qualquer coisa de verdade») com rumores que raramente se chegam a confirmar. Isto é uma regra generalizada na nossa comunicação social e sustentada pelas nossas forças políticas. Isto já se vulgarizou tanto que faz parte do nosso quotidiano lidar com situações semelhantes regularmente, desacreditando de uma maneira geral todas as forças vivas da nossa sociedade pré dispondo-nos para aceitarmos isto com uma certa «normalidade».
    Uma coisa é certa a corrupção está muito bem instalada e é parte integrante do nosso sistema vivencial.

  8. Acordei estremunhada e liguei a Tv. Por alguns momentos pensei estar a ver Bill Clinton a jurar que não fez sexo com a aquela mulher. Afinal não. Era só o Sócrates. E a pornografia era outra.

    Claro que Sócrates, o tio e os restantes cavalheiros são inocentes até prova em contrário. A única coisa provada até agora é que aquele primo é um sério candidato a “empresário naïf do ano”. Quiçá do século.

    Mas num negócio (de tantos milhões) onde só a ética e a legalidade deveriam calibrar as negociações, fico apreensiva quando vejo o nome de Sócrates envolvido. O histórico não abona muito a favor do “engenheiro”.

  9. Valupi, Podes agora descansar, tu já fizeste a tua parte!

    Agora deixa as coisas correr, como bem sabes, a justiça portuguesa é um modelo exemplar. Portanto, se concluírem que J Sócrates é “culpado” então é porque é mesmo. Mas se pelo contrário, “deliberarem” inocente ou falta de provas, então é porque é não há qualquer intervenção menos claro do então ministro do ambiente.

    Ou seja! Nada a temer.

    Queres um conselho, (mas pode ser que também tenhas direito a um concelho), bom, mas no meu caso, só te posso arranjar mesmo o conselho. Por muito que julgues conhecer a forma de pensar dos portugueses acredita que podes estar redondamente enganado. Não faças futurologia, sabes porquê? Porque tu só tens um voto.

    Agora tem calma, não gastes muitos bits com sound bites (espero que tenhas compreendido a “piadola”) . Dá tempo ao tempo!
    Não te esqueças que o José Sócrates é como os gatos e ainda só gastou 3 vidas!

  10. “Os portugueses são, actualmente, maioritariamente cobardes. Vangloriam-se da pequena corrupção e invejam os grandes corruptos”

    São palavras de Valupi

  11. Acabei de ver o PM a referir-se de forma vergonhosa à família. O que um homem é capaz de fazer para salvar a pele. Nunca se referiu ao primo! “O filho do meu tio” é uma nova moda.

  12. jv

    Quanto aos casos de corrupção aparecerem sempre nas vésperas de eleições vou colocar-te as coisas de outra forma.

    Se o meu nome estivesse envolvido num caso de policia e se eu fosse efectivamente inocente, faria todas as diligências para apurar/resolver/esclarecer a situação. Se eu fosse PM teria ainda como função acrescida esclarecer os portugueses.

    Mas o senhor PM não fez nada, parece que se deu como contente por o caso ter caído no esquecimento e depois coloca pose de dama ofendida por a bomba lhe rebentar no pior momento.

    De resto concordo contigo. Penso não haver histórico de, num espaço de semanas, termos o Presidente da Republica, Governador do Banco de Portugal e Primeiro Ministro jurarem que são inocentes e que não sabem de nada. Se a moda pega os quarenta e tal canais que tenho na TV não vão ser suficientes para dar tempo de antena a esta gente toda.

  13. Bom comentario…

    quem decide, corre riscos,
    e sobretudo
    a sua actuação, nos seus pressupostos,

    pode sempre ser deformada,
    neste pais que já foi rural

    e até avacalhada, distorcida
    por interesses especificos / ou maquinas de propaganda…

    às vezes, isso se verifica em grau menor, até nas nossas questões domesticas…

    o que constato nesta “emergencia”

    é que BPN,
    Dias Loureiro,
    Submarinos,
    Citygroup,

    saiu tudo de circulação para parte incerta…

    e os numeros envolvidos tem uma expressão
    que não é nenhuma brincadeira ao pé deste freeport…

    mas tou de acordo que se investigue
    e apure tudo

    inclusive donde parte toda esta movimentação

    que claramente saiu ja do controle da Justiça…

    abraço…

  14. É tão leviana a atitude dos “merdas” que investem na suspeição como a dos merdas que sem conhecerem ainda a verdade dos factos já se colocam do lado do “coitadinho” cuja inocência está longe de ser provada.
    Perdoa-me a franqueza tão crua, Valupi, mas é o teu discurso tão frontal que a impõe.
    Há dinheiro envolvido, há factos ambíguos por clarificar e existem relações familiares entre os envolvidos no negócio e o governante com poder para o facilitar. É uma hipótese e merece tanto ser negligenciada como descartada da forma que o teu post quase advoga.
    Não sei se andas a dar no branco ou no tinto, mas faço minhas as tuas palavras: larga-o de vez…

  15. Parafraseando a letra de um fado, tudo isto é existe, tudo isto é triste, tudo isto é fado…

    Não sei, mas interessa-me saber, se José Sócrates é culpado.

    Não sei, mas interessa-me saber, porque é que este caso só aparece à superfície de quatro em quatro anos.

    Não sei, mas interessa-me saber, porque é que o PGR descobriu só agora que o caso esteve parado e não venha dizer porquê?

    Não sei, mas interessa-me saber, porque é que o José Sócrates ministro do Ambiente, não teve nada a ver com o assunto.

    Não sei, mas interessa-me saber, porque é que demoram tanto tempo as investigações sobre certos assuntos.

    Não sei, mas interessa-me saber, porque é que há processos que só se começam a investigar depois de terem passado determinados prazos que os atiram para as prescrições.

    Seria bom, que desta vez, o PR e a PGR diligenciassem no sentido de dar prioridade a certos processos, sob pena das eleições que aí estão à porta corram de modo esclarecido e não, como é costume, com insinuações mais ou menos torpes.

  16. Mary, obrigado pelo conselho.
    __

    Zé Coimbra, 50 linhas para não dizer nada… que te agrade. Ainda bem.
    __

    Z, muito bem.
    __

    Olho, fizeste uma citação cheia de acerto.
    __

    jv, bem verdade: a corrupção é um fenómeno comum a todos os regimes e sociedades. O que é diferente de todos serem corruptos, outra (e mais séria) conversa.
    __

    Maria Bolacha, o Bill Clinton, de facto, não fez sexo com aquela mulher. Segundo os relatos, foi aquela mulher que fez o sexo todo.

    Quanto ao Sócrates, é natural que a coisa cheire mal. É o problema de se trabalhar com porcos e pocilgas.
    __

    Ibn, larga o vinho.
    __

    Amadeu Leite Furtado, ai sim? Ena pá!
    __

    aires bustorff, estou contigo. A regra de ouro é: quem não deve, não teme.
    __

    shark, o que escreves é paradigmático da disfuncão que atrofia milhões de portugueses:

    «É tão leviana a atitude dos “merdas” que investem na suspeição como a dos merdas que sem conhecerem ainda a verdade dos factos já se colocam do lado do “coitadinho” cuja inocência está longe de ser provada.»

    Inocência longe de ser provada?!… Ó homem, mas tu queres viver numa terra onde a inocência careça de ser provada? Pensa lá nisso um bocadinho…

    Quanto ao teu interesse em ver o caso investigado e esclarecido, te garanto que não pode ser maior do que o meu.
    __

    teofilo m., nem mais.

  17. “Quanto ao teu interesse em ver o caso investigado e esclarecido, te garanto que não pode ser maior do que o meu.”@Valupi

    Ai sim? Então porquê?

  18. Tem calma valupi, vá lá, conta até 100, se não chegar conta até 1000 se mesmo assim não resultar toma um ansiolítico.

    Mas tem cuidado parece que esses são difíceis de largar.

    Por muito que estrebuches a história não se altera nem vale a pena rescreve-la!

  19. Sócrates reagiu como tinha que reagir a mais esta tentativa para impedir a reeleição de um primeiro ministro que não agrada a muita gente. Desde a campanha eleitoral de 2005 que tem uma matilha à perna. É a vida.

    Se o tio ou o primo tentaram cobrar a sua intermediação, e SE ISSO É ILEGAL, é julgá-los e condená-los. Mas será ilegal promover uma reunião com um governante? Desde quando? Na América isso é uma indústria, chama-se lobbying, como as virgens indignadas portuguesas parecem desconhecer. Aqui toda a gente faz isso, mas todos fingem que não. País da hipocrisia e do bota-abaixo.

  20. Nik, quanto à segunda parte não podia estar mais de acordo, isto se ressalvarmos alguns pré requisitos.

    Quanto à primeira parte tenho mais algumas dúvidas, porque esta situação poderá, em meu entender infelizmente, fortalecer José Sócrates!

  21. bem e quanto a corrupção recordo: o roubo das jóias da coroa em 2002 na Holanda numa história tão mal contada que não convence ninguém, os fogos florestais de 2003 que ainda hoje me doem e a venda das dívidas fiscais ao citigroup.

    perante o volume destes casos o freeport é milho painço

  22. além disso há aqui uma coisa que me irrita e preocupa que é a chantagem política que a Inglaterra está a fazer sobre Portugal. Aqui anda coisa.

  23. olha-me o despudor disto, que terror:

    “O que o PSD pode oferecer hoje ao eleitorado é um partido que se guia por valores. É um pouco a lição de Obama”.
    Rui Machete, presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, “Diário de Notícias”, 25-01-2009

  24. «É tão leviana a atitude dos “merdas” que investem na suspeição como a dos merdas que sem conhecerem ainda a verdade dos factos já se colocam do lado do “coitadinho” cuja inocência está longe de ser provada.»

    Tuby: que desgosto me dás, caramba. Prova-me já imediatamente a tua inocência em relação ao processo da Casa Pia, já!

  25. Atão o menino(a) ex-xuxalista foi xuxalista? Boa piada.

    O que vejo é que o menino(a) criou há dias um blog com esse seu nome só para tentar fomentar a suspeição em torno do Freeport contra Sócrates. A sua credibilidade, caro ex-xuxalista, é abaixo de zero.

  26. Muito bem, Valupi. Pelos comentários acima e pelo que se vê noutros blogs, realmente temos um país de merdas. Já mais que se percebeu que isto não vai dar em nada. Se alguma coisa de condenável aconteceu, não passou de um atendimento diferenciado aos promotores na rapidez com que as coisas foram resolvidas. Provavelmente por um pedido do tio, para fazer um favor ao amigo a quem alguém andava a tentar extorquir dinheiro em grande. Antes de as virgens indignadas começarem a gritar, pergunto se isto não é o dia a dia de TODAS as instituições portuguesas, desde as autarquias as secretarias de estado, passando pelos grandes negócios do sector privado.´É imoral ? Um pouco, mas é a realidade MUNDIAL, não só portuguesa. Se em cima disto outros fizeram ou tentaram extorquir dinheiro passando a ideia que seria para desbloquear o processo ou para untar as mão a alguém, temos uma outra história.

  27. que apreensivo que ele está, danado para resgatar o psd é o que é, e dissolver se der jeito:

    «PRESIDENTE ESTÁ APREENSIVO

    O reaparecimento do ‘caso Freeport’ está a suscitar motivos de apreensão ao Presidente da República. Com o País a braços com uma recessão económica e sob a ameaça de um forte crescimento do desemprego ao longo deste ano, Cavaco Silva, segundo apurou o CM, receia que estes acontecimentos perturbem a acção do Governo numa altura em que os portugueses necessitam de acreditar que é possível ultrapassar esta crise económico-financeira.

    Em função do desenrolar dos acontecimentos nos próximos dias, um conselheiro de Cavaco Silva não exclui a possibilidade de o Presidente da República auscultar, nos próximos dias, os seus colaboradores mais próximos, para tentar perceber o impacto que o ‘caso Freeport’ está a causar entre os portugueses. “Isto [suspeitas de a empresa inglesa ter pago quatro milhões de euros em ‘luvas para o empreendimento do Freeport avançar] aparece numa altura má para o País, porque estamos perante uma crise económica e financeira global”, diz um cavaquista de longa duração. Por isso, frisa a mesma fonte, “admito que ele [Cavaco Silva] esteja preocupado e fale com os seus colaboradores mais próximos sobre a situação.”

    O CM sabe que o Presidente da República, sempre que ocorrem situações graves em Portugal, tem por hábito ouvir os seus colaboradores mais próximos, a fim de tentar perceber como os acontecimentos estão a ser encarados pelo País. Cavaco Silva desempenhou o cargo de primeiro-ministro durante dez anos e sabe com precisão que estas situações desgastam a acção do Governo. Até ao fecho desta edição, não foi possível contactar com o assessor de Imprensa da Presidência da República, Fernando Lima. »

    in Cm hoje

  28. Fica-te bem essa postura , a de defender os amigos. Não podes é chamar nomes aos que querem ver a verdade esclarecida. Não podes chamar nomes aos que acham esquisito a justiça portuguesa pegar num caso , esquecido quando o PS ganhou as eleições , porque outro país pediu. Foi um caso , é um caso , metido na gaveta e misturado com uma história qualquer de estar a ser legislada uma coisa assim pró esquisito de um super polícia dependente do PM.
    E claro , agora , há quem não seja cego ( a cegueira é má conselheira) e tenha memória e faça ligações e queira que lhe provem que estão erradas para poder confiar.

    E tenho entendido que sabes de psicologia : quando tantos , e tão diferentes , estão contra alguém , achas mesmo que alguém não tem culpa?
    É que já houve , nestes 35 anos , bastantes eleições e candidatos , e casos de polícia são os primeiros.

  29. Sabes , sou habermisiana dos pés à cabeça. Aquela coisa do autoconhecimento para poder ser livre é a minha Bíblia. Livra-me de coisas como as que tu estás a sentir.

  30. está aqui uma lista de factos, mas tanto quanto vejo isto é o normal quando há algum licenciamento, há sempre uma lista de contrapartidas, e é assim ou não se faz nada, não estou a dizer que concordo estou a dizer que é normal e todos os ministros em todos os governos têm casos destes,

    é um caso ambiental

    os piores, como é óbvio, são aqueles que nunca se sabe, de que nunca se fala, secretos

  31. Ibn, não pode ser maior do que o meu porque é do meu maior interesse viver num país onde a corrupção seja detectada e castigada.
    __

    Exsocialista, não te imagines sozinho nessa reclamação por justiça.
    __

    Z, essa do Rui Machete é hilariante.
    __

    Jerónimo, pois, muitas coisas se poderão ter passado entre o tio e Sócrates, e nada disso ser do foro da ilegalidade ou imoralidade. Tal como podem também ter entrado em zonas cinzentas. Mas o perfil manhoso, até taralhouco, do tio não se coaduna com o de Sócrates. Enfim, estes considerandos exteriores, apenas da percepção, também não puxam carroça, é muito fácil ser enganado pelas aparências.
    __

    mf, os nomes não são para os que querem ver o caso esclarecido, são para aqueles que já têm veredictos antes mesmo das investigações estarem terminadas, quanto mais publicadas.

  32. Pois que venha a Justiça!

    Completa, mas também imparcial, rápida e com critérios iguais para todos. Sim, TODOS!

    Senão, não vale NADA (ou seja, vale tanto como a injustiça…)!

    E nestas coisas eu declaro-me já CULPADO:

    – passo os semáforos vermelhos da Marginal (quando accionados por um cabrão que não respeite os limites de velocidade);

    – estaciono em cima de passeios (desde que sobre espaço suficiente para os peões);

    – já tive Impostos em atraso;

    – ando a 180 km/h nas Auto-estradas (desde que isso não belisque a segurança, em primeiro lugar, dos outros veículos);

    – não vou à Missa;

    – etc., etc., etc.!

    Podem começar a atirar pedras (e também, quem tiver lucidez suficiente, a tirar conclusões…).

    E, sobretudo, não sejam burros, pensando que o Povo é burro.

    Ser ignorante, não é ser burro.

    Assim como ter um Curso (de Direito, por exemplo, com mais ou menos “pós-graduações”…) e usar fato e gravata durante o “horário de expediente” não garante inteligência. Oh, oh…

  33. Sócrates é o politico mais “moído” da democracia em Portugal: foram as suspeitas sobre a homossexualidade, foi a cena da licenciatura, foi o Freeport em 2005 e, agora de novo, o “outlet”..De comparável, só recordo a história das dividas de Sá Carneiro à banca, e a cena dos diamantes, com Mário e João Soares.
    Curioso é verificar quem é a “jornalista de investigação” que está a publicar matéria no “Sol” – Felicia Cabrita. A mesma que desencadeou o caso Casa Pia no “Expresso”, cujo resultado mais significativo até agora, foi a decapitação do PS, via Ferro Rodrigues e Paulo Pedroso…
    Não sei se ainda existe, mas há uns anos havia uma casa em Lisboa que alugava asas para os “anjinhos” que participavam em procissões…

    João Coelho

  34. é o cavaquismo a atacar em toda a sua extensão, para usar as garantias bancárias tituladas pelo governo PS em seu proveito,

    diabólico -> f*dam-se todos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.