7 thoughts on “Exactissimamente”

  1. até este cromo do cds que não queria que o sócras falasse é perentório em confirmar a conspiração do cavaco para derrubar o governo, nomeadamente quando o 1º ministro foi nova york. é saltar para o fim, à volta do 46:00.
    http://vimeo.com/62927955

  2. isto vai animar com a presença semanal do sócras, especialmente com o folclore do batalhão de comentadeiras amesadas ao oge a fazerem de carro vassoura na limpeza dos estragos políticos que o proscrito deixe pelo caminho. os i-diotas acabam de descobrir mais uma mentira, afinal o gajo tinha ou tem, não percebi bem, 500 acções do benfica. enquanto se fala destas merdas vão dando folga ao cavaco e seu governo não assumido, espero que o sócras lembre semanalmente as responsabilidades do presidente da república na situação do país e no degradadar da situação, comparando os boicotes que lhe aturou com as abébias e complacência que demonstra com a garotada que pôs no governo.

  3. gostei de ouvir ribeiro e castro dizer:”que o destino do governo socrates foi traçado seis meses antes com o calculismo do psd e cds.” fim de citaçao.o psd na minha modesta opinião, votou contra o impedimento de socrates fazer comentarios,porque lhe convem concorrencia as criticas vindas de um militante do proprio partido .a criticas vinda da oposiçao são normais,as de dentro é que causam mossa.perante esta constataçao, parece-me obvio que a contrataçao de socrates foi uma estrategia elaborada pelo psd e a rtp.pergunto: socrates a falar num dia diferente de marcelo traz ou não mais publicidade há rtp? concerteza que sim. se a fizerem ambos no mesmo dia os lucros dividem-se numa proporçao favoravel a socrates,mas de valores menos significativos .sendo assim porque fazer no mesmo dia?.foi bom socrates ter regressado a narrativa que tanto se falava no aspirina não vai ser a mesma e josé seguro se for inteligente,poderá aproveitar pontes que se podem construir daqui para a frente. quanto ao presidente, o comentario de fernanda cancio demonstra bem quem é o filho do zé da bomba e a vergonha do jornalismo em portugal.perante factos de tanta gravidade,todos se remeteram ao silencio,com algumas exceçoes que francamente não me recordo de lado vieram.até os partidos da extrema esquerda se calaram.o pote cheirava a sopa de pedra!

  4. Nem mais. Disse o que todos sabiam e que se «silenciava» não sei porquê. O que estranho, ainda mais, foi o silencio nas presidenciais na campanha eleitoral.
    Até parece que Cavaco era intocável, só com recurso a pinças se podia dizer alguma coisa em relação ao homem, até que aparece agora alguém, que sem qualquer rebuço e com toda a frontalidade factualiza o que sempre foi evidente para todos. Estranho, é a estranheza de alguns comentarem como foi possível alguém se atirar ao SENHOR PRESIDENTE DA REPÚBLICA, ainda que com todo o sentido, que sempre esteve blindado sabe-se lá porquê. Até parecia que todos queriam esconder a banalidade total que é esta semelhante criatura, colocada num pedestal de total hipocrisia

  5. Sócrates, para desgraça (?) dos masoquistas e romancistas de cordel seus inimigos, não corresponde à imagem de verdadeiro génio do crime, capaz de roubar fortunas, empanturrar os seus offshores bem dissimulados de ouro, dinheiro e jóias, sobreviver aos inúmeros combates com os meios de comunicação justiceiros e às investigações conduzidas por sindicatos inteiros de juizes e procuradores, e depois ir calmamente gozar a boa vida no estrangeiro, regressando em toda impunidade quando muito bem lhe apetece, apenas para se rir dos esforços desesperados dos seus opositores, destruir displicentemente presidentes da república através da simples palavra no prime-time que muito bem lhe apetece, atirar governos para as ruas da amargura, humilhar e meter jornais na sarjeta, e obrigar todos os que se opõem aos seus super-poderes a recuar e prestar vassalagem através do recurso à gaveta dos superlativos como único meio de justificação.

    Sócrates, a personagem de ficção, merece ficar nos anais do crime perfeito com a aura de Arséne Lupin ou dos assaltantes reais do comboio-correio. Já o Sócrates real tudo o que fez foi usar o espantoso poder da verdade para dinamitar o palácio de Belém e não foram precisas escutas para se ouvir ao longe.

  6. é nestas coisas que devíamos ser mais americanos; uma cena destas já tinha dado impeachment na hora. Aqui acha-se normal. E nem a justiça pega no assunto, aliás, ninguém do que deveriam pegar. Não somos todos americanos, somos todos de boliqueime e de massamá.

  7. Edie, impeachment não sei, mas em peixe já deu: o grito da «Gelpeixe» é uma espécie de discurso de Almada do Vasco maluco.

    «Presidente congelado, alegria no cozinhado», como no velho anúncio do Tenreiro, mas o pior é no que tudo isto vai dar, seja quem for que estiver no poder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.