10 thoughts on “Este salto tecnológico trabalha a gasóil”

  1. O que querias? Tivemos de os pagar, não podes vendê-los, agora são nossos! Não há volta a dar. Melhor tratá-los bem, como um novo brinquedo.

  2. Mais satisfeitos devem estar o Paulo Portas e o BES, e todos sabemos porquê.

    Por mim, considero-o algo perfeitamente dispensavel. Mas é o que temos …

  3. É isso, edie. Mandam-se instalar umas boas vidraças e uma marquise e paga-se o investimento num instante a fazer turismo subaquático. E então se nós portugueses gostamos de geringonças naife.

  4. Boa ideia edie. Rentabilizar o bicho. Mais umas sugestões:

    – Vender a coisa à Transtejo, pela BESLeasing. Inaugurar a travessia subaquática com ligação directa ao metro do Cais do Sodré.

    – Safaris submarinos, com direito a um torpedo por cliente, a utilizar exclusivamente em cardumes de espécies não ameaçadas (por causa do BE, já que Os Verdes estão mais preocupados com a situação sindical dos tripulantes). Ficava o A vida é bela com a concessão por 20 anos.

    – Por a máquina a produzir energia eléctrica, com geradores ligados ao motor a gasóleo, e dizer que é energia produzida a partir do mar.

    – Levá-lo para a costa da Somália, fingir que foi sequestrado pelos piratas, e pô-lo a render como navio corsário. 10 petroleiros depois, está pago. Fingir uma arriscada operação de resgate. Receber os comandos e o submarino em apoteose.

    Assim de repente, é o que me ocorre.

  5. O que me impressiona sempre muito é esta espécie de disposição activa para a corrupção e mentira, que existe em certa mentalidades, mesmo quando tentam brincar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.