És um ponto, Pacheco

Sócrates é muito mais importante para a nossa vida de hoje do que Dias Loureiro e o “negócio” que ele tentou ocultar para aparecer como facto consumado é muito mais perigoso do que as aventuras dos offshores de Porto Rico.

Vale a pena ler este texto todo, de que cito apenas a frase obscena. Faz parte da contínua, espectacular, campanha de destruição do carácter de Sócrates, na qual o Pacheco é um dos mais activos e virulentos agentes. Foi a esta miséria que se reduziu a estratégia da oposição à direita desde o fracasso de Marques Mendes; o qual tem agora, face ao que aconteceu ao seu partido depois de ter saído, o distinto mérito de ter ensaiado uma qualquer alternativa. Até o PCP e BE se aliam ao PSD e CDS para denegrir a pessoa em vez de respeitar a função, como acontece no caso BPN. O que se tem dito contra Constâncio não passa de um flanqueamento a Sócrates. A intenção é a de que um alvo de suspeitas que põem em causa a sua honorabilidade apareça à opinião pública como protector de alguém considerado culpado, assim reforçando as suspeitas que lhe têm sido lançadas. Pretende-se deixar a imagem de que o Governador do Banco de Portugal foi, de alguma forma, co-responsável pelos actos danosos dos responsáveis da SLN e do BPN. E que na origem dessa passiva, ou activa, cumplicidade estaria uma incompetência técnica ou falha ética. Caso se atinja o objectivo de colocar na supervisão o mal maior, estará feito um decisivo branqueamento das causas que levaram à nacionalização do BPN. A diminuição moral de Constâncio, ou o descrédito do Banco de Portugal, tem directos beneficiários: os prevaricadores que lucraram e deram a lucrar.


A frase do Pacheco, supra, emana de um caldeirão de veneno. Afirma que Sócrates pretendeu ocultar o negócio PT-TVI para que aparecesse como facto consumado. Ora, isso é operacional e legalmente impossível. O negócio teria de passar por fases de avaliação variadas, todas elas públicas e passíveis de o anular. Este negócio jamais poderia ser ocultado fosse por quem fosse, evidentemente. Mas o Pacheco é como o Vilarinho: está-se cagando para o Estado de direito porque faz parte de um clube, o JPP. Nessa soberba, avança para a insídia, nem sequer explicitando qual o perigo do negócio supostamente ocultado. Contudo, atreve-se a dizer que a aquisição de uma parte do capital da TVI pela PT é algo muito mais perigoso do que as actividades de Dias Loureiro em offshores. Ou seja, informa que todos os envolvidos no eventual negócio PT-TVI, considerado unanimemente legítimo no plano comercial e de mercado, são muito mais perigosos do que os envolvidos nos negócios da SLN e BPN em investigação. Esta declaração é espantosa, quase tão espantosa como o silêncio que teve como resposta. E ainda tem esse elemento pícaro de fazer de Moniz mais um mentiroso e conspirador ao serviço do Governo, um vero aliado de Sócrates (pasme-se e engulam o paradoxo), posto que ele apoiou a possibilidade de compra. De facto, a paranóia não é uma raça em extinção na Marmeleira. E se não for paranóia, é porque é algo pior. Muito pior.

Agora, atente-se nesta maravilha da falta de vergonha: aventuras dos offshores de Porto Rico. É assim que se caracteriza o problema Dias Loureiro. Afinal, apenas um aventureiro em terras distantes, tropicais, exóticas. Que mal tem? Os aventureiros arriscam. Uma vezes corre bem, outras nem por isso. Mas é lá com eles, é apenas dinheiro, não representa perigo algum. Ou seja, e desta forma debochada, o Pacheco escolhe ocultar, por completo, o sofisticado e poderosíssimo papel de Dias Loureiro, peça central do PSD durante todo o cavaquismo e muitos anos seguintes, adentro dessa máquina financeira organizada para burlar particulares, empresas e autoridades. Este mesmo Pacheco — a quem nunca ninguém tinha lido uma linha, in illo tempore, contra a frouxidão do regulador — parece ignorar o que está em causa quando nomes como Dias Loureiro, Oliveira Costa, Daniel Sanches, Rui Machete, Amílcar Theias, Joaquim Coimbra, Lencastre Bernardo, Arlindo de Carvalho e Cavaco Silva enriquecem numa instituição metodologicamente vocacionada para o logro. Eis um ponto a precisar de higiénico contraponto.

30 thoughts on “És um ponto, Pacheco”

  1. Val,

    Como sabes não sou do clube; porém, há que dizer que há qualquer coisa de estranho no comportamento dos partidos de esquerda. Que não se aprovasse o relatório, tudo bem, mas que se produzisse uma declaração de voto de demarcação da direita.
    Eu não aprovo. Terás de concordar, no entanto, que Sócrates tratou muito mal o PCP.
    De resto, o PS tem tratado sempre mal o PCP e os portugueses comunistas. Atenta nisto: portugueses comunistas, funcionários públicos, não vão além de chefes de divisão. E se calhar contam-se pelos dedos das mãos. O PS tem contribuído para esta discriminação inadmissível.

  2. Depois de tudo o que foi dito ao longo de todo este percurso, no caso do BPN, a idéia com que a generalidade das pessoas ficaram, foi de que o culpado de tudo isto foi o governador do Banco de Portugal e não os seus verdadeiros responsáveis que até parecem que foram vítimas em todo este processo. Como exemplo, é só verificar através deste blogue e de todos os outros, de toda a comunicação social etc… que a idéia que a oposição e os seus seguidores fizeram passar foi só esta. Isto traduz muito bem, a maneira como se faz política e se opina neste país partidarizado, não interessa o que é essencial, o cerne das questões as razões de facto,nem mesmo como corrigi-las, conjuntamente, da maneira mais racional, mas sim atingir o oponente partidário, para daí tirar dividendos partidários e para isso todos os meios são válidos.
    Caro Valupi o branqueamento está mais do que feito,e muito difícilmente, brevemente, não se reflectirá numa grande parte da nossa sociedade.

  3. pacheco usa a arma dos fracos. quando do seu campo as propostas e sobretudo a acção são nulas, socorre-se da insídia e torna-se um boateiro do mais fino recorte. mas não é o único. o mineteiro (como diria o pacheco, luiz) do graça moura também é um artista nessa arte da intriga, embora com menos tempo de antena e menos visibilidade que o pacheco. o que me espanta é ausência de respostas do campo dos visados. sobretudo, como já foi demonstrado com o caso da loira, quando o pacheco tem fraco poder de encaixe e é muito susceptível. o que estão à espera para responder na mesma moeda?
    nesta coisa do bpn a direita ranhosa, com a cumplicidade do pcp e bloco, levou claramente a melhor: o culpado é o governador e por extrapolação o governo também. basta ouvir os fóruns e opiniões públicas. é óbvio que esta táctica se baseia na lentidão da justiça: enquanto não há julgamento a sério crucificamos o governador e o governo, sempre com a conivência dos media que já não distinguem o que é essencial do que é lateral. se o madoff soubesse tinha montado o seu estaminé nesta républica-do-faz-de-conta pois quem iria pagar as suas falcatruas era o regulador. isto atingiu um estado demencial em que esta táctica já se baseia na total falta de vergonha e na desonestidade, mas isso não interessa pois ninguém se importa com isso.
    m da mata: o pcp sempre tratou muito bem o sócrates, desde as esperas passando pelos insultos constantes. podemos estar descansados……

  4. Magistral, é a palavra!

    A pérfida falácia de BE e PCP, de que Pacheco Pereira parece comungar, é bem esclarecedora da ignominiosa campanha de ódios básicos, quase bárbaros, ao PS, ao governo e a Sócrates.

    Como se não soubessem, como se fossem ignorantes, que a regulação pouco apertada se verificou em todo o mundo. Como se o pudessem ignorar.

    Aproveitam-se da iliteracia de muitos portugueses para fazerem de todos parvos, pacóvios e daí tirar dividendos. Depois ainda devem rir-se para dentro de si, alarvemente.
    SHAME ON YOU, fellows.

    http://www.europesworld.org/NewEnglish/Home/Article/tabid/191/ArticleType/ArticleView/ArticleID/21423/language/en-US/FinancialreregulationyesButEuropescacophonyofideasiscounterproductive.aspx

  5. Assis,

    Os socialistas ainda estão de pedra e cal na Fonte Luminosa, de braço dado com o PSD e o CDS. Os comunistas só são bons quando saem do PCP e se tornam militantes do PS. Quem semeia ventos, não pode colher sereníssimos dias de sol. Boa tarde!

  6. És um ponto Pacheco! Mas és um ponto negro (pequeno cilindro de matéria sebácea que se forma na abertura de algumas glândulas também sebáceas) do estilo do Rangel! Ambos são um problema dermatológico! Ambos são um caso de saúde pública e ambos fedem (do verbo feder). O Pacheco é apenas mais venenoso, logo mais perigoso, logo menos sério. Pacheco afirmava num dos seus mirabolantes artigos ser a reacção ao seu “.contra.” demonstrativa que este estava no caminho certo. O contrário também é verdadeiro, a fúria do Pacheco alimenta a nossa razão. O Pacheco entrou em roda viva, já não tem parança como bem o demonstra o teu comentário. Já não há pachorra para o PPP “Pobre Pacheco Pereira” e para os fretes que o mesmo se propõe fazer e faz. Se não fosse a minha provecta idade e o adiantado da hora ía mas era meter umas “bejecas” ao British Bar. Pensava que a idade já me tornava incólume a certas pulhices…mas não …felizmente! Oremos ao Senhor!

  7. Primo: e esta história da Elisa Ferreira pouco a pouco ir surgindo como uma candidata à margem das estruturas regionais do PS, não te parece mais um golpe de génio de Sócrates? Tenho a certeza que ela já ganhou imensos votos com esta história. A última vez que vi isto foi aquando da primeira candidatura do Rui Rio. E todos sabemos como acabou.

  8. Não percebo a importância que se continua a dar ao Pacheco.Já se percebeu que o homem não merece nenhuma espécie de atenção. Porque é que não se trata o Pacheco como ele merece, isto é, como se trata o Santana, com indiferença. Que importância pode ter o que ele escreve, acha, sugere, entende. Nada, não tem importância nenhuma.
    Outra coisa , é dizer-se com o Vitor Constâncio nada tem a ver com o roubo que foi feito por criminosos, claro que tem. Só que as responsabilidades são diferentes,enquanto um merece ser demitido ou outros merecem ser presos. Não nos pode custar reconhecer que mesmo os membros da nossa família política também cometem erros.

  9. ora aqui está muito bem dito: « (…) foi de que o culpado de tudo isto foi o governador do Banco de Portugal e não os seus verdadeiros responsáveis que até parecem que foram vítimas em todo este processo»,

    de facto é magistral, conseguiu-se voltar ao contrário e os pobrezinhos dos ladrões até merecem ser indemnizados porque o mauzão do governador não os avisou em tempo do sarilho em que estavam a meter-se,

    note-se que eu próprio andava lixado com o Constâncio e ainda hoje acho que o homem depois de deixar os assuntos tratados e esclarecidos devia sair pelo seu próprio pé, mas enfim isso é lá com ele,

  10. JORGE STRECHT DESMASCARA ‘PASSE DE MÁGICA’ DE HELDER AMARAL

    Esta noite na RTPN, num debate onde participou Jorge Strech, assisti da parte dele a um fulminante ‘desmascaramento do deputado do cds’ ali presente. Daqueles desmascaramentos que deixam o adversário sem palavras, fulminados, ali, 100%.

    Falavam sobre a comissão parlamentar a Vítor Constâncio e a dada altura o deputado do Cds interrompe (fê-lo diversas vezes, mostrando assim ser malcriado, o seu nervosismo e insegurança de argumentos), interrompe Jorge Srecht dizendo que lá fora, no estrangeiro, “foram céleres”..”lá fora foram céleres e aqui não!”.
    Que prazer me deu ouvir o socialista, com toda a calma e firmeza, lançar-lhe um “POIS FOI CÉLERE MAS FOI NA PARTE CRIMINAL!”
    ó que caraças!! O cds inchou um pouquinho, comeu e engoliu-a toda..ainda se notou um sorriso amarelo, daqueles que fica a bailar no rosto quando se é desarmado por completo na falsa ideia que pretendíam passar indetectável. Um pormenor que não passou! As chamadas pedras de tropeço que os ressabiados e os mal-intencionados menosprezam.

    ‘O passe de mágica’ brilhantemente desmontado por Jorge Strcht merece um vídeo só com esses segundos fantásticos em que a marosca das intenções do cds (e vergonhosamente até daqueles que se dizem de esquerda) ficou ali escarrapachada para todos verem. Que útil que sería ter acesso a esse link para postar onde quer que seja e onde for necessário lembrar. Bem aproveitado, o Cds tem ali um motivo para despedir esse deputado com justa causa pois não cumpriu o papel e obrigaría alguém a explicar muito bem explicado o que pretende o cds, pois o deputado do cds sabía muito bem que estava a passar um embuste. Aqui no café onde assisti todos perceberam a ‘gafe’ – o novo termo com que a imprensa branqueia os ardis da oposição.

    [Àparte esta escorregadela fatal, tenho a dizer que Jorge Strech foi 5****, arrasou por completo aquele painel, gostei a forma como ele não deu hipótese ao comentador do psd “voce tem a sua verdade e nós temos a nossa” ou “tal como você acha que o povo vê à maneira que você fala eu também acho que o povo vê à maneira que eu falo”. É assim mesmo! Chega de dar pérolas a porcos como disse o meu mestre na Bíblia.
    Se é provocação e botabaixismo que gostam então é Persistência e Defesa da Razão que obterão em Resposta.

  11. Pois é…. já não sei se foi Jesus que disse, mas se não foi, podia ter sido.

    “Mais cego é quem não quer ver do que quem não vê”

    E – no meu entender – isso aplica-se ao autor destas linhas e ao seu séquito de comentadores.
    Por amor de Deus… vocês devem viver noutro país que não o meu… aquele onde só o PS combate a crise e todos os outros combatem o PS….
    A realidade é outra: é de um país a que 12 anos de governo do PS nos últimos 14 anos conduziram para a cauda da Europa, mesmo antes de chegar a crise, e onde um conjunto alargado de indivíduos de questionável valor (Pintos de Sousa, Vitorinos, Coelhos, Varas e um rol infindável de outros) conseguiram ascender de uma mediocridade (talvez merecida) a uma francamente desmerecida posição de poder político e surpreendente riqueza económica.
    Algo como é comum na América latina… e provavelmente utilizando o mesmo tipo de expedientes.
    Não…. a culpa do estado de coisas não é do Bloco, nem do PC nem do PSD nem da Madre Teresa de Calcutá.
    Deixem de mandar areia aos olhos dos outros – a culpa é do PS e do conjunto de indivíduos que o controla.
    E que estão a dar cabo deste país.
    E que vão ser corridos do poleiro em setembro.
    E que vão fazer os possíveis por voltar.
    Mas de que os Portugueses não se vão esquecer tão depressa.

  12. João, esquece os 12 dos 14 e essa treta toda que escreves, blá, blá,blá…este Governo em 3 anos fez mais pelo país do que os outros TODOS em mais de 30.
    O problema das ladaínhas como a tua é que são fácilmente desarmadas com um argumento tão simples como este: “Não reconheces que esta legislatura tem 2 momentos. Primeiro momento – até à chegada da Crise Mundial em que o País crescia, as exportações cresciam e o Desemprego lentamente estava a baixar. Segundo momento – O Pós Crise Mundial (que ainda decorre), no qual Portugal está a sofrer as consequências dessa crise Tal como o resto dos países no mundo.
    EUA
    União Europeia
    Rússia
    China
    Japão
    Brasil, etc,etc,
    TODOS estão em RECESSÂO ECONÓMICA, Todos com desempenhos mais baixos dos últimos 80 anos!
    Então João? Vens para aqui brincar no fórum?

    MAS ISTO TU (E OS SEGUIDORES DESTA OPOSIÇÃO) NÃO RECONHECEM. Quereis enganar-vos a vós próprios! Querias tu porventura que disséssemos uns para os outros: “Olha..lá fora tá todo o mundo em crise e nós não!…temos uma redoma especial!!” ABRE OS OLHOS PÁ, OU TENTA NO MÍNIMO SER INTELECTUALMENTE HONESTO.

    Na ausência deste pequeno passo de humildade o teu discurso, bem como o dos ressabiados, torna-se inquinado e não é sustentável porque estais convencidos que é com botabaixismo, maledicência e fingimento que o país vai para a frente!
    Que insanidade! que insanidade!

    O Sonso Pacheco Pereira tenta tudo para escamotear os Madoffs, tenta tudo para tapar o sol com a peneira.
    Até Cavaco Silva mostrou o cú ao fazer juras e por a mão no fogo pelos Madoffs.
    E para cúmulo tem tido 2 pesos e 2 medidas pois silencia-se perante quem não devia e fala para uns o que não fala para outros. O Povo já percebeu que Cavaco Silva é o Presidente de toda a Direita e dos Madoffes.

    (Se queres armar-te aos cágados vai antes para blogs fascistas como o Portugal Profundo onde estive lá a pensar que havía pessoas de boa-fé com quem se pudesse discutir mas o que constatei é que só há ressabiados cuja função é apagar os comentários que os desarmam..que os obrigam a dizer mais além do mero insulto avulso e da calúnia.]

  13. A actuação deste governo até à demissão do Correia de Campos (q muito me desiludiu) esteve a anos luz de todos os outros que o precederam desde 75! A partir daí, é certo, perdeu-se algum balanço e a performance foi decrescendo, poucos meses volvidos aparece esta crise económica sem paralelo desde os anos 30, a maior das nossas vidas!
    Entregar o país aos responsáveis pelo partido que não se demarca da “roubalheira do BPN”e que é ilegalmente financiado por Somagues e afins e que não tem qq projecto para o futuro de Portugal não é um tiro no pé é um tiro na cabeça!
    Pois é João : “Mais cego é quem não quer ver do que quem não vê”. Também me parece que deve meditar sobre isso!

  14. Porra para o Pacheco Pareira. Que alarve…

    E este M da Mata é outro ponto…

    Então o PS ainda está na Alameda “de braço dado (…)”?

    E o PCP, se calhar continua a censurar o “República”, o “Diário de Notícias”, “O Século” e a RTP?…

    E a bater na Marinha Grande e… também na Alameda?

    Ó M da Mata, diz lá então o que é que tu queres: um Governo PSD/PCP, com o Prof. Mário Nogueira em Ministro da Educação, o Dr. Cluny em Ministro da Justiça, o “chô” Jerónimo em Director do Departamento de Urbanismo da C. M. de Pirescouxe e… o Cavaco em Belém mais sete anos, é isso, não é? Por que teimas em esconder-nos esses teus sonhos?

  15. Marco Alberto Alves,

    Eu não sou, decerto, o sonso do Pacheco. E o ponto diz-te qual é o ponto. O PS tem sido, desde o 25 de Abril, o partido que mais tem atacado os trabalhadores portugueses.
    O PS, quando chega ao poder, com medo de ser acusado pela direita de governar à esquerda, esmera-se em tomar as medidas que a direita nunca consegue e/ou conseguiu tomar.
    Eu digo ao que venho: queria um PS de esquerda e não este partido que governa contra os mais fracos e teme os poderosos. Eu queria um PS que fosse capaz de chamar aos bois pelo nome e não este partido que quando Vital fala de ladroagem tem medo das palavras. Queria um PS que não andasse de cócoras perante o PPD e o CDS.
    Eu sei que o Mário Nogueira merece o vosso ódio. E porquê? Será porque as políticas do PS têm sido justas e exequíveis.
    Façam acusações concretas a Jerónimo de Sousa e a Mário Nogueira.
    O que é que tens contra Pirescoxe? É um lugar de Santa Iria de Azóia e bem aprazível, por sinal. Passa por cá que vais gostar do sítio. Talvez possas disfrutar das sombras nas imediações do castelo e pensar um pouco. Pirescoxe é uma localidade recomendável.

  16. Caro M da Mata, desde já te digo que o que tu dizes querer também eu queria. Temos os mesmos anseios, disso agora fiquei esclarecido, obrigado. Só que não tenho a certeza de que seja possível chegar lá assim do pé para a mão.

    E definitivamente não estamos de acordo quanto à análise que fazemos do caminho para lá chegar.

    Para não abusarmos aqui dos anfitriões, vou ser conciso: onde acusas o P. S. de estar do lado de lá da nossa barricada, eu vejo apenas uns corajosos que tentam encontrar o melhor caminho para que os nossos anseios um dia sejam mais do que meras utopias, percebes?

    Onde vês mentirosos e oportunistas, eu vejo corajosos humanos que tentam, mas que cometem erros. Vou crucificá-los por isso? Mas seria eu capaz de fazer melhor? Ou até haverá por aí alguém que conseguisse fazer melhor?

    Não tenho nada, mas mesmo nadinha contra Pirescoxe. A minha oficina automóvel, vai para dez anos, até é no Bairro do Mealheiro (e recomendo-a a todos os meus amigos, passe a publicidade…). Parece-me que Pirescoxe nem é muito longe de lá.

    Mas o que eu vejo no P. C. P. desde os tempos da Alameda é a cegueira e a incapacidade de distinguir entre um mal menor e o verdadeiro adversário político maior – a Direita no seu conjunto, nas suas várias facetas e nas suas várias formulações históricas.

    Enquanto assim for, o P. C. P. (como também o B. E.) continuarão a jogar no mal maior à espera do “golpe final”, que a História já decretou não existir. Eu não, porque, como diria o outro, no dia do “golpe final” (no “Capitalismo”?) estaremos todos, mas mesmo todos (Humanidade incluída), debaixo dos torrões…

    E, até lá, prefiro caminhar, mesmo que menos rapidamente do que desejaria, para o modelo social-democrata, alemão, escandinavo, francês, até espanhol, se quiseres, a persistir em arrastar-nos a todos para a América Latina, ou até para uma qualquer reincarnação da Rússia czarista, ou da França absolutista, para esperar pela próxima grande REVOLUÇÃO!

    Se é esta a tua opção, arranja um “mocho” confortável e senta-te a uma boa sombra…

    Cumprimentos.

  17. Marco Alberto Alves,

    Os nossos anfitriões, se quiserem, podem cortar-nos o pio. Não terão tamanha ousadia. Até porque também fazemos este espaço, quando damos e levamos “porrada”.
    Por aqui ainda se respira bem.
    Provavelmente, ambos queremos um mundo melhor; porém, nunca me encontrarás, sentado num mocho à espera. Gosto da acção.
    Já que vens ao Mealheiro, dá um salto ao Castelo de Pirescoxe e aprecia aquele espaço bem cuidado. De lá poderás ainda ver o Tejo e Vasco da Gama. E cheirar a alfazema e o rosmaninho.
    Cumprimentos,

  18. Ok, obrigado pela sugestão, vou conhecer um dia destes. Espero é não ir tão depressa, mas o raio da embraiagem já me anda a preocupar há algum tempo…

    Não percas o gosto pela acção. Eu também espero nunca perder. Foi ele que me conduziu também a saber votar, se necessário, no menor dos males. E, ao cabo de trinta anos, só “fiquei em casa” uma vez e voluntáriamente: no dia em que me “obrigavam” a votar no Bloco Central. Só então me abstive (e não me arrependi!)…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.