22 thoughts on “É no que dá andar por Paris em más companhias”

  1. Afinal, ops ! austeridade de esquerda? ops!

    Hollande equilibra contas com plano de austeridade de esquerda
    10 Setembro 2012, 12:11 por Hugo Paula | hugopaula@negocios.pt

    O presidente francês anunciou um plano de austeridade e reformas económicas com que pretende relançar o país para um novo ciclo de crescimento. Hollande quer poupar 33 mil milhões por ano e pediu aos sindicatos para flexibilizar as leis laborais.

  2. bento, vê lá tu ao que isto chegou: pela primeira vez na história, a esquerda impõe austeridade. Aquilo que uma certa esquerda impõs em Cuba, na China, na Coreia do Norte, na URSS, e por aí fora não é para aqui chamado, né? Porque essas austeridades não têm comparação com as da falsa esquerda. Compreendido.

  3. tou de acordo, bento, esta gente da falsa esquerda não sabe fazer as coisas como deve ser. verdadeira austeridade não é só cortar no ordenado, é também cortar nos direitos humanos. Estes amadores da austeridade também me chateiam…Nós não precisamos de austeridade inteligente, precisamos de austeridade (mais ) à bruta. Vd exemplos citados por mim acima. Concordas com esses exemplos tal como eu, né, bento?

  4. edie,
    “… a esquerda impõe austeridade. Aquilo que uma certa esquerda impõs em Cuba, na China, na Coreia do Norte, na URSS…”

    capitalismo de estado ou gamanço em pirâmede não dá austeridade, dá miséria

    bronco,
    “Parece que a versão do TOZE para Portugal é “austeridade inteligente”

    a austeridade passa, a estupidez não

  5. Mas tem gente que quer acabar com a austeridade à maneira de Chaves, de Evita e de Alberto J. Jardim: Quem cá fica que o ganhe!

    O melhor é cada um desenrascar-se à portuguesa, como habitualmente.

  6. bento,, não tenhas duvidas que há uma austeridade inteligente,para isso acontecer basta não ser cega, para proteger os mais desfavorecidos,e que a mesma faça algum sentido para o nosso futuro colectivo.

  7. Continuando a ” proteger” os mais desfavorecidos a experiência da chamada “austeridade inteligente” na legislação laboral foi assim

    PRESIDENTE DA CIP GARANTE
    Indemnizações menores em despedimentos dos novos contratos
    por Lusa e DN.pt15 dezembro 201018 comentários

    O presidente da CIP, António Saraiva, numa reunião com José Sócrates Fotografia © José Carlos pratas / Global Imagens
    O presidente da CIP, António Saraiva, afirmou esta quarta-feira que o Governo vai aprovar, no Conselho de Ministros que está a decorrer, uma proposta para reduzir as indemnizações pagas em caso de despedimento, mas apenas para os novos contratos de trabalho.

    “O Governo vai avançar de imediato com a diminuição das indemnizações de despedimento, mas apenas para os novos contratos de trabalho”, disse hoje o líder da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) na apresentação do Relatório da Competitividade 2010, em Lisboa.
    Esta alteração deverá ser hoje aprovada no Conselho de Ministros e apresentada aos parceiros sociais às 19:00 em São Bento. A medida deverá ser uma das alternativas escolhidas pelo Governo para tentar flexibilizar a legislação laboral em Portugal, na sequência das recomendações de Bruxelas.

  8. bento,voltas com a cassete atras para provares o quê? não tem razão mariano gago quando dizia que as bolsas saõ para os mais carenciados?no tempo de socrates não ficou ninguem de fora no acesso à universidade que comprovadamente não tivesse possibilidades de proceder ao seu pagamento.quanto ao restante , dentro de pouco tempo estas a defender a lei anterior.foi sempre assim e assim vai continuar.o que está no momento não presta o que foi recusado anteriormente passou a ser bom.bento poupa-me.olha pior do que isto é ver uma central sindical não cumprir a lei laboral.

  9. Vejamos pois a “austeridade inteligente e de esquerda” nos impostos .
    Por exemplo o IVA

    Sócrates garante que não há aumento de IVA
    O primeiro ministro afirmou que o Governo não vai aumentar o IVA, sublinhando que essa medida não consta do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC).
    Lusa
    13:50 Sexta feira, 30 de abril de 2010

    No entanto , passando pouco tempo temos o quê ? “a austeridade de esquerda” . Vejamos:

    Sócrates anuncia cortes salariais até 10% e aumento do IVA para 23%

    inShare

    29 de Setembro, 2010por Pedro Guerreiro

    O primeiro-ministro José Sócrates anunciou esta noite o aumento do IVA para 23% e um corte de até 10% na despesa total de salários do sector público, entre outras medidas de austeridade aprovadas em Conselho de Ministros extraordinário
    Aumento de impostos, corte de salários e prestações sociais, congelamento de todo o investimento público até ao final do ano e redução do número de contratados na função pública. No final de uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros, José Sócrates anunciou um novo pacote de medidas de austeridade que o Governo estima que irá reduzir a despesa do Estado em 3.400 milhões de euros e aumentar a receita em 1.700 milhões de euros.

    Entre os dez principais medidas de abate da despesa destacadas pelo primeiro-ministro conta-se a redução média da massa salarial dos funcionários públicos em 5%. Nos vencimentos entre 1.500 e 2.000 euros, a redução será de 3,5%. Nos escalões mais elevados, o corte chega aos 10%.

    Ajudas de custo e horas extraordinárias também serão cortadas e termina a acumulação de pensões e vencimentos. Os funcionários públicos acabam por suportar a maioria das medidas de austeridade anunciadas, que incluem ainda o aumento em um ponto percentual das contribuições para a Caixa Geral de Aposentações.

    Minutos depois, o ministro das Finanças Teixeira dos Santos acrescentou que será reduzido o número de contratados em sectores excedentários da administração pública.

    Cortes nos apoios sociais

    As prestações sociais também serão sacrificadas, com a anulação do aumento extraordinário do abono de família e a redução em 20% do rendimento social de inserção.

    No sector empresarial do Estado, vão ser extintas entidades e reduzido o número de cargos directivos. A frota automóvel do Estado será reduzida em 20%.

    IVA aumenta para 23%

    No campo da receita, Sócrates anunciou o aumento do IVA em dois pontos para 23%, o estabelecimento de um tecto global para as deduções financeiras e benefícios fiscais e a criação de um novo imposto sobre o sector financeiro.

    Teixeira dos Santos revelou que o Governo irá cortar substancialmente as despesas com a ADSE, o sistema de assistência médica dos funcionários públicos, e com o Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC).

  10. Oh abençoado, deste pela crise de 2008?
    Acredito que não, já então pensavas como agora, que o PS era do piorio, uma cambada de sacanas vendidos ao capitalismo.
    Decerto que pulaste de contente com o derrube de Sócrates.
    Deves gostar mais da austeridade dos teus primos da direita, multiplicada por não sei quantos e aplicada com toda a fé e entusiasmo.
    Bom proveito.

  11. Passando para outra área o que vemos nas agora chamadas privatizações de esquerda ou inteligentes?

    Ops!

    Mário Soares ataca privatizações do PECde Sócrates que vende o País! Vamos ver
    Não compreendo como é que se vai privatizar os CTT e uma empresa bandeira como é a TAP, ou outras companhias”, disse o ex-presidente da República, somando-se às críticas de Manuel Alegre ao PEC. “Não podemos estar a desbaratar o nosso património”, acrescentou Soares num debate promovido pela federação do PS/Setúbal. “Para haver justiça social não […]…
    Clique aqui para continuar lendo.

  12. oh tontinho de esquerda! o socras não privatizou nada e nos pecs nada consta de privatizações. a privatização dos ctt, da tap e de outras tantas que andam a pedi-las, como a carris e a refer, são obra dos vossos amigos, foi pena que a comunada não se lembrasse de incluir isso no contrato quando se aliou à direita, mas deixa lá, os portugueses tamém estão fartos de pagar passes para transportes que estão sempre em greve. não se perde grande coisa.

  13. Vejamos igualmente outro exemplo da “austeridade esquerda ou inteligente” , o celebre PEC IV que entre outras malfeitoria tinha o seguinte programa de “privatizações de esquerda”
    Pág 24 do ducumento
    Privatizações
    O programa de privatizações no SEE diminui a dívida pública, e, por conseguinte, os encargos a ela associados, o que se repercute positivamente no esforço de consolidação orçamental. Entre 2010 e 2013 prevê-se a obtenção de receitas de privatizações no montante de cerca de 6470 milhões de euros que contribuirão para reduzir a dívida pública, dependendo o montante efectivo de receitas das percentagens de participação que sejam fixadas.
    No quadro da programação plurianual das operações de privatização, continuará a promover-se, em geral, a alienação das participações integradas na denominada carteira acessória, contemplando-se, ainda, um conjunto de diversas empresas nas áreas da energia, construção e reparação naval, tecnologias de informação e comunicação, serviço postal, infra-estruturas aeroportuárias, transporte aéreo e transporte ferroviário, bem como a alienação de activos detidos fora do país.
    Neste âmbito, proceder-se-á a um esforço adicional, de antecipação do programa de privatização e alienação de participações do Estado, face ao previsto na actualização de Março de 2010 do PEC, através da antecipação para 2012 de algumas das operações previstas ocorrer em 2013.

  14. Bento

    Com o Hollande ninguem faz farinha! Desculpa, nao era farinha que eu queria dizer, era mostarda de Dijon! heehehhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.