Da falta de anti-histamínicos

Não admira que ninguém da oposição queira falar desta entrevista a Jorge Miranda. Por três razões: nela aparece denunciada (i) a responsabilidade da oposição no boicote às reformas logo no Governo de maioria PS, (ii) a irresponsabilidade do chumbo do PEC que levou à entrada do FMI com o consequente colossal agravamento das medidas, (iii) o escandaloso escândalo, ou trágica tragédia, que Cavaco protagoniza como nunca se viu nem existia uma única pessoa nesta terra que julgasse possível ver, mesmo no pior pesadelo.

À esquerda e à direita, resta um resíduo de vergonha própria que impede o auto-enxovalho de caluniarem Jorge Miranda acusando-o de serviços ou preferências socialistas. Quando não arranja uma forma qualquer de assassinato de carácter, esta mísera oposição cala-se, enfarda e foge. Eis os pungentes efeitos da alergia ao pensamento.

2 thoughts on “Da falta de anti-histamínicos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.