Contra os pulhas marchar, marchar

Para além de se rirem à gargalhada do Código Deontológico dos Jornalistas e do Estatuto do Jornalista, para além de terem uma actividade criminosa regular ao serviço de uma agenda política, para além de se conceberem como uma organização paralela ao Estado de direito, a comercialização da pornografia e a redução das mulheres a objectos e animais sexuais é parte principal do sucesso do Correio da Manhã, tanto na versão em papel como no cabo. Eis um exemplo da passada quarta-feira:

Temos uma jovem fêmea em fato de banho a propósito de ser actriz algures. Temos uma senhora em roupa interior a propósito do Trump. Temos três rabos de três fêmeas adolescentes a propósito da Páscoa e do Algarve. Temos uma manchete sobre os “viagras” a propósito não se sabe do quê. E ainda temos, no canto superior direito, a promessa de se mostrar a namorada nua de um ou uma (não sei porque não consumi o artigo) jovem de Aveiro. Uma capa que é foda.

Este é o líder da imprensa escrita em Portugal, e da informação no cabo, uma fonte que irradia para o espaço público uma cultura machista e abusiva tão ao gosto “popular”. Os números validam os seus critérios, é o mercado a funcionar. A única moral que respeitam é a das audiências mais desqualificadas e pulsionais, como vimos no caso do vídeo publicado no ano passado sobre um episódio de bebedeira num autocarro com estudantes no Porto. Enfim, qual é o mal de deixar as senhoras exibirem as suas mamas e cus, se elas não se queixam e até agradecem a atenção? Qual é o mal de ilustrar a paisagem de uma praia com juvenis e graciosos traseiros de umas incautas raparigas? E qual é o mal, ó deuses, de chamar para a 1ª página o belo gesto do tal jovem de Aveiro que resolveu partilhar com o mundo a sua admiração pela anatomia da namorada? Estamos a falar de Aveiro, raios, não de uma terreola qualquer perdida no Baixo Alentejo.

Estranhamente, a Cofina, a entidade responsável por este tremendo sucesso comercial que fica como ex-líbris da sociedade que somos, não é alvo de qualquer agressividade pelas entidades e personalidades dedicadas e empenhadas na luta pela dignificação da condição feminina e pela igualdade de direitos entre os sexos. Os políticos, mesmo os valentões dos esquerdolas que não perdem uma oportunidade para sovarem os imperialistas e reaccionários que os cercam, calam-se quando se trata da Cofina. A criminosa e degradante Cofina. E se esse silêncio se regista na esquerda pura e verdadeira, na direita e na indústria da calúnia há viscerais louvores ao que se passa no esgoto a céu aberto. Se o tema da conversa for poderes fácticos, a Cofina será um dos mais poderosos em Portugal tal a rede de influências e dependências que montou. Até o actual primeiro-ministro e o actual presidente da câmara de Lisboa, dois dos melhores políticos no activo, já por lá andaram a contribuir para aquela miséria.

O texto do Octávio Ribeiro onde trata o Gélson como um escravo fugido da plantação de açúcar é o espelho cristalino da axiologia que está em causa no que só aparentemente é díspar, a violação dos códigos deontológicos e a violação da condição humana. Que este esgoto a céu aberto tenha a protecção das forças onde depositamos a nossa confiança cívica e política, social e cultural, é uma prova do subdesenvolvimento estrutural que nos diminui a liberdade. Que fique calado quem quiser ser cúmplice destes pulhas.

12 thoughts on “Contra os pulhas marchar, marchar”

  1. Só o facto de tal gente de tal jorranal e pornotv poder apontar diariamente este e aquele como tendo recebido milhares e milhões de corrupcção deste e daquele até desenhando diagramas das ligações entre corruptos e corrompidos com nomes e empresas às claras e descaradamente, sem apresentar a mínima prova, é prova evidente que tal gente de nojo está conluíada com os poderes daqueles que têm o poder único de vigiar caluniadores e mandar prender.
    Sentem-se de costas protegidas o que lhes permite fazer acusações a torto e a direito especialmente a quem se lhes opõe a eles ou se opõe aos guardas que os protegem: uma verdadeira união de facto onde podem ser presos os de fora dessa união de conveniência.
    Uma aliança de perigo incontornável para as pessoas honestas e para a democracia de Estado de Direito. Ou o Estado de Direito manipulado para fazer dele um garrocho de agarrochar os melhores como catarse da mediocragem de cromos que medra como calhaus à nossa volta.

  2. ai que riso! :-) tenho de dizer que se estas capas servem para as tuas legendas hilariantes já não se perde tudo. :-)

  3. falta aí falar que metade das notícias são sobre o ronalda , também sempre a empinar o traseiro e em tronco nu , e sobre mariconcios variados , que se casam e divorciam e choram . machista , machista … não só , a não ser que objectivar homens também seja próprio dos machos.

  4. Qual o perfil demográfico e psicográfico do consumidor tipo desta folha porno?
    Gostava de ter dados estatísticos fiáveis.
    A amostra que percepciono anda por cafés de beira de estrada, tascas de pequenos povoados ou bairros envelhecidos.
    Já passa dos 65, tem discurso grosseiro e despeitado e trata mal a família.
    Sobretudo a mulher que, apesar de mal tratada, alinha na má língua do dono.

  5. Adorei ler este texto! Grande coragem e verdade no que escreve. É um retrato muito triste e real da verdadeira sociedade portuguesa…a hipocrisia, o machismo mais repugnante e a impunidade estão à rédea solta e são exibidos nesta “jornalistica” folha de couve podre .Diariamente. Mas que é protegida pelo poder judicial e político, além das criaturas ignorantes e repugantes que o alimentam (e se alimentam) comprando este lixo. É Portugal no seu pior e é esta indiferença que alimenta as ditaduras que agora chegam de mansinho e asfixiam cada vez mais o progresso espiritual e mental das sociedade. Depois queixem-se um dia que o Afeganistão chegou À União Europeia e a Portugal e está comodamente instalado. Nessa altura..já era…Será como no poema de Martin Neimoller “E Não Sobrou Ninguém”

  6. Tem inteira razão, o Valupi.
    Desde quando é que eu já não sou notícia para o Correio da Manhã?
    Perdem tempo com o Mário Centeno, o outro Mário dos skinheads, o Rui Vitória, António Salvador, o grunho Bruno de Carvalho, Trump e, até, aparece um gajo gay com cabelo cor-de-rosa, a Sarita… e eu e o meu amigo Lula da Silva, nada?

  7. Trabalho no grupo Cofina, embora não no Correio da Manhã. Alivia o peso na consciência, mas, confesso, que não é fácil lidar com tanta baixa de nível, nomeadamente, agora, que as redações estão todas juntas. Esta semana estou a viver a fase mais negra na minha vida profissional, pois, em meu nome, me deixaram numa situação delicada e difícil, junto de pessoas (fontes) que sempre me ajudaram e que, óbvio, estão revoltadas por terem sido denunciadas. Comentava esta situação com um amigo, tendo ele perguntado: “Vocês não têm um código deontológico para cumprir?”
    Confesso que, apesar da vontade ser a de chorar, tive de dar uma gargalhada!

  8. O Erdogan é que os topa à distância ! quando mijam fora do penico zás, pildra com eles…

    Andou um gajo a defender de punho no ar a liberdade de imprensa…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *