3 de Abril a feriado nacional

Está na altura de acabar com a hipocrisia dos feriados. Não se trata de reduzir o seu número, credo, mas de actualizá-los, fazer aquilo que ingleses e franceses (desde que cultos, mas nem é preciso muito) chamam de aggiornamento. Ora, quantos portugueses estão em condições de sequer começar a explicar o que está em causa num feriado como o do Corpo de Deus, ou o da Assunção de Nossa Senhora ou o da Imaculada Conceição? Sejamos um bocadinho mais precisos: quantos dos que se dizem católicos conseguiriam justificar histórica e/ou doutrinariamente a lógica de existirem como datas a merecer o estatuto de celebrações nacionais capazes de interromperem a batalha da produção?

Pois. Então, façamos um referendo, ou um sorteio entregue à Serenella Andrade, para trocarmos dois desse trio de antanho pelo feriado proposto pelo Éderzito, a 11 de Julho, e pelo recente fenómeno de vermos um golo acrobático a ser transformado em orgulho pátrio, como se constata pelo êxtase que tomou conta da comunicação social com falta de assunto. Continua tudo a pertencer à esfera da religião, só mudam as potestades e seus milagres.

6 thoughts on “3 de Abril a feriado nacional”

  1. A comunicação social portuguesa, perdida no seu labirinto de desinformar e embrutecer o pagode, vai de mal a pior (ou o contrário, na sua opinião). O golo do Ronaldo de há dias, embora bem marcado, reconheço, teve mais importância e relevo do que se o país tivesse atingido um crescimento de 10% num ano. Foi, para estes paspalhos, um grande acontecimento nacional com direito a tempos de antena recordes em todas as televisões. E assim se vai embrutecendo este pagode, com um simples golo, pasme-se!

  2. A questão que se impõe é a seguinte: a república portuguesa é (ou nao) um estado laico? por mim até o feriado (vinculativo) do natal se acabava, e quem quisesse trabalhar, que o fizesse nesse dia, como em todos os outros, do calendário. porque razão eu tenho que prestar um culto, vivendo num estado laico, em que há uma separação dos poderes da igreja? a l república era mais “pioneira” do que esta, em certos termos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *