Boas expectativas

A eleição de Maria de Belém para Presidente do PS cria uma especial expectativa. Não por ser mulher, circunstância secundária ou lateral, antes por ser uma figura exemplar. Dela podemos esperar, invariavelmente, um zelo imaculado pela ética republicana, um conhecimento profundo e rigoroso dos assuntos acerca dos quais opina e um culto do serviço público como a mais alta realização da cidadania. Por isso tanto me custou ver o seu nome desperdiçado na última contenda presidencial, esmagado logo à partida pela ganância inane de Alegre e pelo oportunismo velhaco de Louçã. Enfim, não faço ideia se aceitaria concorrer à Presidência da República contra Cavaco, mas tenho a certeza de que seria uma candidatura apavorante para a direita pela sua capacidade de congregar o centro, as mulheres e o voto útil da extrema-esquerda; para além de todos os socialistas, unidos sem os anticorpos que o vate gerou na sua megalomania. E Maria de Belém tem outra característica que teria evitado o triste, talvez indigno, espectáculo dado por Alegre no frente-a-frente com Cavaco: ela adora debater, tem gosto em vencer uma discussão à força de argumentos. É enigmático mas incontestável: o PS só tem feito disparates em matéria de candidatos presidenciais desde 2006. Como a consequência foi ter Cavaco a conspurcar a democracia a partir da Casa Civil, se calhar alguém devia pedir desculpas aos portugueses.

A escolha de Carlos Zorrinho para líder parlamentar também desperta especiais expectativas, pois ele aparenta ser a honestidade intelectual em pessoa. Trazendo competências ligadas às vanguardas tecnológicas, o que não tem directa relevância na vida parlamentar, começa por parecer demasiado macio para a linha da frente da bancada. Tal percepção poderá ser errónea, claro, e ele ter outras facetas mais guerreiras ou o lugar vir a moldar o homem. Também é possível admitir que o seu perfil é exactamente o desejado por Seguro, interessado em fazer uma oposição branda para ir aguentando os 4 anos sem belicismos à Sócrates. Uma oposição-empresa, primando pela limpeza e aparato das instalações. O tempo o dirá.

6 thoughts on “Boas expectativas”

  1. ora nem mais, a mania de belém para presidente da seguradora, deve ter sido nomeada pela cota do apelido com ajuda do crespo. lembram-se quando o guterres teve de inventar o ministério da igualdade para a cócó não ficar de fora do governo, então preparem-se para novas aventuras do mini galináceo powered by duracell. o zorrinho é preferível ao tontinho. entretanto os empregados da seguradora começam a venerar os novos chefes nas tradicionais manifestações de lambebotismo.

  2. Também concordo com a sua análise, Val, e espero que o novo “papel” de C. Zorrinho o revele tão eficiente e sagaz como se revelou na sua acção passada.

  3. Valupetas, sendo tu um especialista em manipulação e conversa fiada socretina, e um «pós-ideológico» e «pró-centrista» (ou seja, um apologista do cinismo político e da indeterminação ideológica, ou não fosse tu o/a hermafrodita «valupi»), diz-nos lá: que significado se deve dar à ausência de rosas no congresso do PS, à cor vermelha dominante e ao enorme punho erguido que se pode ver por cima da tribuna e nos cartazes que por lá espalharam? Achas que isto é um sinal de que o PS vai abandonar os «ideais» da «esquerda» moderna e da socretinice militante e que vai transformar-se num partido da «esquerda imbecil»? Ou, pelo contrário, é apenas (mais) uma manifestação daquela publicidade enganosa a que o Pinto de Sousa tinha habituado os socretinos?
    E o que se deve dizer àcerca do discurso do Seguro em que ele fala da necessidade de diferenciação ideológica em relação ao seu irmão gémeo, ao PSD? Não achas que essa é uma estratégia perigosa, passadista e anacrónica, tendo em conta que nos dias de hoje o importante é ser-se «reformista» e «moderno», como era o «nosso» saudoso Pinto de Sousa? E como é agora o «nosso» Passos Coelho? Sim, sim, o Passos Coelho… Ou vais negar-nos agora que não admiras e não defendes a pulsão «reformista» e «modernizadora» do Estado que ele tem revelado? Seja na Saúde, na Educação ou na Segurança Social só se pode aplaudir a prestação do Passos, pois está em linha de continuidade com as medidas «reformadoras» do «nosso» saudoso Pinto de Sousa. Até poderás dizer que o Passos vai mais além que o Pinto, mas isso só pode ser «porreiro, pá», pois significa que as medidas do Pinto tiveram um «upgrade» tanto em termos de qualidade como em termos de quantidade, não achas? Aliás, tal como o Pinto, também o Passos garante-nos que apenas pretende evitar o fim do Estado Social, e que por isso é preciso reformá-lo.
    A solução para os nossos problemas está nas «reformas», como sempre defendeste, Valupetas. Estranho, portanto, que tenhas boas expectativas em relação a este PS demasiado «imbecil», «arcaico», «descaracterizado» e «avesso à mudança» (na estética, pelo menos) para ser alternativa ao partido «modernista» do momento. Mas já sabes: quando tiveres a certeza de que este PS não serve os teus «ideais» ou interesses, tens sempre a porta aberta no PPD\PSD «pós-ideológico» e «pró-reformista», como a têm o Proença de Carvalho e o Júdice, PSDs de longa data mas fieis apoiantes das reformas socretinas…

  4. Boas expetativas, porquê? O currículo desta senhora só encontra equivalente no do Fernando Nobre. Desde a Liga de Amigos do Hospital S. Francisco Xavier, até ao conselho de administração da Fundação Francis Obikwelu, é tudo show-off. Mas alguém acredita na competência de uma mulher que nunca fez nada na vida? Aposto que esta sonsa, com voz de fibromialgia, nem fazer um ovo benedict sabe… Que tristeza! E o PS encanta-se com isto… Eu até simpatizo com os chuxialistas, mas isso não me leva a ser mentecapto na avaliação da situação atual do partido, que é no minímo dolorosa. A Maria de Belém é aquela criatura que aqui há uns anos trás disse que um litro de leite deveria custar qualquer coisa como 200 ou 300 escudos. Com rasteirismos destes – a tal incompetência portuguesa, com certeza! – acho delirante alguém acreditar num governo constitucional composto por portugueses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.