18 thoughts on “Assim se explica a profusão de cópias das escutas a Sócrates”

  1. Parece que o juro da dívida pública já está relacionado com a crise na Grécia.

    Querem ver que a nossa comunicação social anda toda no Novas Oportunidades e ainda não têm o diploma?

  2. Mas existe alguém que não conheça a langonha da nossa educação?

    Que se pergunte ao psd sobre avaliações nessa “secretaria de estado”.
    Talvez mesmo na “associação cultural da educação” mais perto de si.

    Se existem ministérios que se possam cortar são mesmo estes: educação e justiça.

    Breve o Relvas fará uma palestra sobre isto.

  3. traques, pá, cala-te. o dia que se cortar na educação e na justiça, meu, levas uma coça legítima pa, que até andas de roda. fogo, cada traque palavroso.

  4. ehehehe, copiaram nos testes, cabulas do catano, pá, portantos vamos ter o juiz dez e o juiz não dez, gud, bué da gud, very gude indide, pa.

  5. Quem põe o “guiso ao gato”? Aliás, quem é quem? Não será prefreível contratar “cubanos”, “colombianos”, “chilenos”, como bfaz o ministério da saúde?

  6. coitados , eu acho que eles mereçem uma Nova Oportunidade. éscrevem a história da cópia e pim , juízes na hora. ou há moralidade ou comem todos , como dizia o outro.

  7. - assim uma espécie de desmame da fantasia xuxialista. tá?Portugal é o quarto país do mundo desenvolvido com maior taxa de desemprego diz:

    eu sei que vocemesses só gostam de literatura de cordel que teça loas e ossanas ao chefe farsolas, ou masturbarem-se em posts de futilidades pueris, quais crianças no jardim escola a fingir de adultos, mas de vez em quando fazia-vos bem comentar coisas sérias e estabelecer alguns links com a realidade destruidora socrática. yá? assim uma espécie de desmame da fantasia xuxialista. tá?

    Enquanto o desemprego na zona euro se manteve estável até Abril, nos 9,9 por cento, e o valor registado entre as 34 economias da OCDE baixou para os 8,1 por cento (44,1 milhões de pessoas), Portugal sofreu um aumento do número de desempregados que agravou a taxa em Março e Abril para os 12,6 por cento.

    A média dos quatro primeiros meses de 2011 está ligeiramente abaixo deste valor, nos 12,4 por cento, o que, comparando com o valor médio calculado no final do ano passado, coloca Portugal no segundo lugar dos países que mais agravaram a sua taxa de desemprego até Abril. E a tendência deverá acentuar-se, de acordo com as anteriores previsões da OCDE, que pontam para um agravamento da taxa para 13 por cento no último trimestre do próximo ano e para lá de 2012.

    Desta contagem excluem-se alguns países cujos dados não contam das estatísticas hoje reveladas pela OCDE, como são o caso da Grécia, Islândia, Reino Unido ou Suíça.

    Em termos reais, Espanha continua no topo da lista dos países-membros com maior nível de desemprego, mantendo em Abril a sua taxa nos 20,7 por cento, seguida da Irlanda, que se manteve com o valor inalterado nos 14,7 por cento, e da Eslováquia, que baixou a taxa para os 13,9 por cento.

    E se a tendência de baixa é evidente no universo dos 34 da OCDE, Abril foi o primeiro mês desde 2007 em que a descida foi sentida na maioria dos países-membros, com apenas os Estados Unidos, o Japão, o Luxemburgo, o México e a Eslovénia a registarem uma subida.

    O aumento registado na maior economia global foi de 0,1 pontos percentuais face a Março (para os 9,1 por cento), em contraciclo com a trajectória do conjunto dos 34, cuja quebra foi também de 0,1 pontos percentuais.

    O nível de desemprego manteve-se estável na zona euro desde Fevereiro, altura em que baixou igualmente 0,1 pontos percentuais face ao valor de Janeiro e Dezembro últimos, mesmo tendo as duas maiores economias europeias registado uma ligeira quebra em Abril – a Alemanha para os 6,1 por cento e França para os 9,4 por cento.

  8. Mais interessante ainda é o desvalorizar do sucedido por parte da corporação!
    Para alguns deles, pois creio que também existirão muitos a quem coisas destas repugnam, nada existiu de anormal, antes pelo contrário, a culpa é dos jornais que estão a transformar um simples caso de copianço num escândalo nacional.
    Para mim vem-me a recordação do que se passou há muitos anos na Faculdede de Engenharia do Porto, em que os alunos que então se candidatavam à entrada prestaram provas de aptidão.
    Como foi detetada a possibilidade de alguns alunos terem conhecimento prévio do teste, a todos eles foi obrigada a repetição do mesmo.
    E não estou a falar de uma magra meia-dúzia, mas de algumas centenas.
    Como a justiça aplicada foi então diferente, mas aí não estávamos a falar de futuros magistrados, mas de simples futuros engenheiros.

  9. E se estes jovens cábulas não servirem para a Comarca do Baixo Vouga, podem sempre aspirar a algo menos exigente, como a Associação Sindical dos Juízes Portugueses, ou o Sindicato dos Magistrados do Ministério Público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.