14 thoughts on “Anabela de Malhadas”

  1. guida, eu consigo. Vai dar a uma página onde se abre o ficheiro MP3 com o QuickTime, automaticamente. Será que tens o QuickTime inserido no teu browser?

    Outra forma será fazer o download a partir do link (botão da direita e “salvar link como”, se tens PC) e depois abrir/ouvir no teu computador.

  2. Obrigada, Valupi. Consegui. Mas não sei o que dizer em relação aos palpites, aos dela e aos dos economistas. :)

  3. Caro Valupi,
    A crise não foi provocada pelos economistas. A causa da crise é outra.

    “Os donos do capital vão estimular a classe trabalhadora a comprar
    bens caros, casas e tecnologia, fazendo com que fiquem cada vez mais endividados, até
    que a situação se torne insustentável. As dívidas não pagas levarão os bancos à
    falência, que terão de ser nacionalizados pelo Estado”.
    (Karl Marx, in Das Kapital, 1867)

    Esta é a causa das coisas.
    Grande abraço

  4. Seria também um exercício interessante saber quanto é que a totalidade destas 28 sumidades já terão custado ao erário público em vencimentos, estudos, avenças, reformas e outras remunerações. E claro, quanto é que ainda poderão vir a custar em termos futuros. E, caso fosse possível, não deixaria de ser esclarecedor, termos acesso à análise de custo/benefício desse investimento público. Então sim, talvez pudéssemos avaliar com mais rigor a credibilidade de toda esta intelectualidade.

    Alegam eles que está em causa a sustentabilidade do país por causa da dívida mas parece que o nosso CDS (Credit Default Swap) que mede o risco da nossa dívida está melhor que, por exemplo, os do Reino Unido, Espanha e até da Suécia. A acreditar nestas intelectualidades, o investimento público desses países vai ser uma miséria nas próximas gerações. Coitadinhos… como é que esses países se irão desenrascar para sair desta crise, em que pouco crédito sobra para os privados? O melhor é contratarem também estas mentes esclarecidas para os ajudarem. E era um favor que nos faziam.

  5. guida, nem eu!
    __

    João Trolha, nesse caso, os donos do capital deviam ter sido postos na ordem pelos economistas. Os economistas é que são os polícias da cena.

    Grande abraço
    __

    tra.quinas, tens toda a razão. E eu digo mais: esses 28 que ensaiem chegar a um qualquer consenso entre eles, ainda antes de pensarem em aumentar a pandilha dos pensadores. Caso aceitem, nos próximos 500 anos não iriam conseguir sair da sala de reuniões.

  6. LOL eles, os 28, podem divergir em muita coisa, certamente que sim, aliás talvez não tenham consenso relativamente a quase nada. Mas têm um consenso.

    Agora pensa lá um pouco. Se tanta gente (28 “notáveis”) que diverge em quase tudo, mas tem consenso relativamente a um tema, isso certamente quererá dizer qualquer coisa não vos parece? Ah já sei todos têm ódios de estimação ao PM e ao PS, será?

    Uma vez mais se demonstra que o valupi não passa de uma caixa de ressonância este é o pobre argumento do santos silva para rebater o “relatório”.

    traquinhas, quanto à divida, devias ter atenção ao que o ministro das finanças disse relativamente à divida de retalho. Isto quer dizer muito mais do que se fala na noticia, imagina que os estado está a ter problemas para se financiar a preços “decente” e comportáveis!
    http://www.ionline.pt/conteudo/10284-ministro-das-financas-apoia-emissao-da-divida-publica-aberta-particulares

    Quanto à “Anabela”, talvez tenhas sido tu, valupi, o tanso “apanhado”, imagina que a “Anabela” de Malhadas não existe. sabes, se calhar eu conheço a rádio, o locutor e a “Anabela”.

    Sabes, os transmontanos também gostamos de mostrar que os papalvos da “cidade” são uns burros crédulos! E não é que temos razão!!! LOL!

  7. Esta dos 28 economistas lembra aqueles estudos “independentes” e isentos da CIP para o novo aeroporto. lol

    É fácil reconhecer o padrão.

  8. Ibn, acredito que tu acredites que a Anabela não existe. Aliás, aposto que tens muitas dúvidas quanto à tua própria existência.
    __

    Andre, são todos isentos, e santos.

  9. Sim é um facto. Tenho muitos dúvidas quanto à minha existência.
    Quanto há tua, nenhuma, que não passas de um boneco preso por cordéis, que agora não me lembro do nome!, e de uma caixa de ressonância que vai papagueado o que outros sussurraram.

    Pois é, lamento informar-te, a “Anabela” não existe mesmo, embora, exista Malhadas!

  10. Ele há cada trolha… E verificar se o Marx escreveu mesmo isso, que é bonito, ao invés de acreditar em tudo o que aparece na Internet? É que, depois de muitos repetirem a mesma asneira, essa asneira acaba por passar por “verdade”…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.