Adoráveis gralhas

A entrada dos botões de Facebook e Twitter na casa deve-se ao implacável trabalho lobista de uma adorável gralha, Fátima Rolo Duarte, que não descansou até empurrar o Aspirina B para o meio da frenética multidão de gralhas teclistas: @aspirinab

Conheci a Fátima uma hora e tal antes de ela me conhecer, e isto apesar de ter estado durante esse tempo sentado à sua frente a dois metros de distância (embora um bocadinho de ladecos). Foi ela, nessa última quinta-feira de Fevereiro, que anunciou aos distintos órgãos da imprensa estrangeira presentes, e demais representantes das chancelarias europeias, ser uma felicíssima gralha. Confirmei que sim, e que também, e de tal forma me encantei com o seu chilreio que me surpreendo por ninguém pôr esta mulher frente a uma câmara de vídeo, piando de si e pondo os outros a piar. Os directores de programas das televisões nacionais andam mal aconselhados, é a única explicação. Só que nada me preparou para o que resultaria desse encontro, após ter-me incautamente apresentado: uma violenta campanha para levar o blogue para o Twitter, que incluiu toda a sorte de adulações e chantagens – desde a oferta de sortidos dos melhores chocolates belgas até promessas de um curso de flamengo por correspondência, passando por ameaças de ir entregar ao Pacheco Pereira o endereço do Aspirina B para que viesse cá morigerar os autores, valeu de tudo.

E prontos, foi isto que se passou. Mais tuíto, menos tuíto.

10 thoughts on “Adoráveis gralhas”

  1. Como vês, Vega9000, os teus desejos são ordens. Agora, vê lá, não me peças dinheiro. Se for para pedir dinheiro, já sabes: telefona para o FMI e diz que vais da parte do Passos Coelho.

  2. eheheh. Como te compreendo. Sabes que vi a declaração de Sócrates na TV e depois tive de sair, e ouvi o Passos na TSF. Nunca tinha berrado tantos palavrões dentro do carro. Filho da puta! Não há outra expressão.

  3. Pois eu vi a declaração do Sócrates e senti uma tristeza imensa. Vê-lo (vermo-nos) a ter de fazer isto, quando podíamos ter ido,não há muitos dias, por um caminho bem melhor. Quando passou para o Passos, logo às primeiras palavras, senti vómitos,e como tinha acabado de jantar, fiz zaping para um documentário sobre animais…mais simpáticos.

    E é isto. Agora é o choque, a seguir vem a realidade, a realidade tão desejada por este PSD criminoso.

  4. O Tomás Vasques faz a síntese perfeita. Vou citá-lo:

    A loucura política à direita instalou-se completamente: recusaram o PEC IV, mas estão de acordo com o PEC V, muito mais gravoso para os portugueses, em resultado da situação que criaram.

    E estão de acordo sem sequer saber o que é.

  5. edie, sinto-me tal qual como tu, profundamente triste e também não consegui ouvir o PC e companhia, deixei a miúda mais pequena a ouvi-los para resumir depois e, do alto dos seus 13 anos, foi demolidora – o que disseram foi muito mau e foi o que podiam dizer em público, não quero pensar como será a realidade que nos escondem.

  6. Teresa,

    a reportagem (SIC) sobre o clima social na Grécia pode dar uma ideia do que acontece a um povo que passa pelo que vamos passar. Referiam-se ao contraste entre as grandes manifestações e contestações na altura em que o governo grego aplicou as medidas de austeridade, há um ano, e o que se passa agora com o FEEF e com o FMI: apatia geral. Ninguém fala, ninguém protesta. Sociedade sem reacção. Já dá uma ideia…

  7. Eu vi. Terrível. O que foi dito, o que foi visto e o que foi também indecentemente sugerido por quem editou a reportagem. Falta-me a paciência para a porcaria de informação que nos dão a comer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.