A chantagem deste chantagista explica tanta coisa

«"Nós não estamos a perceber bem qual é a lógica disto", começa por referir Manuel Ramos Soares. "Se nos querem empurrar para um momento de crispação e de conflito institucional entre os juízes e o poder político nos próximos anos, numa altura em que vão estar em julgamento processos muito importantes, nós achamos que é muito negativo e vamos resistir até ao último momento. Mas a ideia com que ficamos é que estão a querer empurrar-nos para isso", aponta o presidente da ASJP.

Questionado se os grandes processos em curso, como o da Operação Marquês, podem sair afetados, Manuel Ramos Soares diz que não. Ainda assim, fica a advertência: "Vamos ter em julgamento um conjunto de processos em que se põe no banco dos réus pessoas que têm ou tiveram responsabilidades políticas importantes. Era bom para o processo, para a imagem da justiça e para a perceção social que os nossos concidadãos têm sobre o trabalho dos políticos e dos juízes, que houvesse paz e tranquilidade. Era muito simples: bastava que se sentassem a falar de forma aberta e honesta".»


Juízes acusam grupo parlamentar do PS de falta de respeito

3 thoughts on “A chantagem deste chantagista explica tanta coisa”

  1. Valupi,

    Bem que podias começar a colher sensibilidades sobre quem será o próximo alvo das corporações. Agora que já têm em carteira dois ministros, aceitam-se apostas sobre quem será o seguinte. O teu post sugere que poderia ser a MJustiça. Mas, por mim, punha as minhas fichas no MSaúde. Afinal até já temos o caso das criancinhas nos contendores do H S João. Isto com mais um jeito até se compõe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.