A carne toda no assador

Marcelo Rebelo de Sousa entrou em cheio na campanha negra ― disse que a TVI suspendeu o Jornal de Sexta para agradar ao PS. Ou seja, até aqueles que não acreditaram na acusação absurda de haver mão socialista no episódio, vão agora admitir que a versão alternativa é igualmente imoral e chocante: o PS, mesmo que passivamente, provoca decisões em terceiros que atentam contra a liberdade de expressão. Não se pode escapar, declara o isento Professor, a culpa é socialista. Assim se consagra a estratégia de boicote à democracia através das suspeitas, calúnias, difamações e demais pulhices que emporcalham as eleições e têm como fim impedir o debate das propostas e esconder a miséria do programa, lista de deputados e direcção social-democrata. É o único recurso da direita decadente, e conta com a cumplicidade do PCP e BE; os quais têm ganhos directos em cada voto que o PS perca para eles, para a abstenção ou para o PSD e CDS.

E fico a arder de curiosidade. Não haverá algum jornalista em Portugal capaz de perguntar a este senhor doutor como soube daquilo que diz saber? Contaram-lhe ou está a supor? Se lhe contaram, quem foi? Se está a supor, como chegou a essa suposição? Não admite outros factores? Não pode uma empresa tomar decisões, felizes ou infelizes, certas ou erradas, competentes ou incompetentes, que se expliquem apenas por circunstâncias internas? Não lhe suscita nenhum comentário as declarações de Moura Guedes publicadas antes da decisão? É tudo assim tão simples, neste universo da relação do casal Moniz com a TVI e accionistas, que apenas a dimensão política mereça ser invocada? Acima de tudo, se a intenção era a de agradar ao PS, por que razão fizeram algo que prejudica gravemente Sócrates e favorece toda a oposição, em especial o PSD? Como é que o celebrado especialista político legitima a obscena contradição lógica que propaga e reforça?…

Marcelo tem muitos anos disto, muitos anos a virar frangos.

7 thoughts on “A carne toda no assador”

  1. Em mim, o episódio em questão só produziu o efeito inverso ao desejado : vou votar Sócrates. Não vou entrar nessas intrigas de bastidores com o fim único de atirar areia aos olhos dos portugueses.
    Estes enredos políticos baixos, mesquinhos, só me dão vontade de apoiar incondicionalmente o Primeiro Ministro. Este passa a vida a gastar metade das energias a defender-se das cobras social-democratas, que nada têm a propor de bom para o país.

  2. se este país fosse sério estávamos, nesta campanha eleitoral, a discutir as propostas para o país. e como os pretendentes ao poder já lá estiveram, neste governo e no anterior, o imediato em qualquer análise política era comparar as performances de cada governação. simples, não é? falso! esta simples comparação entre as duas últimas governações, que eu visse ou escutasse, não foi efectuada por nenhum dos “milhentos” politólogos, comentaristas, analistas e jornalistas que pululam diariamente, ufanos, os nossos média. em vez disso, temos essa gente a comentar as suspeições, as pulhices das oposições (nisso o psd e cavaco estão em grande), e todas as filhas-da-putice do nosso quotidiano. o histerismo e a demência colectiva é de facto notável. a maneira como a generalidade da comunicação social embarcou nesta cruzada não lhe dá possibilidade de retorno ao rigor. e ainda dizem que sócrates foi um mau governante; se assim fosse não precisavam de estar com estas palhaçadas. iremos aprender na dor (espero que não) o que é ser governado por especialistas da calúnia.

  3. Valupi, deixaste a nu, perante todos os que te vão ler (espero que sejam muitos) a mente asquerosa de um político que envergonha a já desgraçada classe. É a esta velhada caquética e obscena que me refiro, quando falo na “geração rasca” de que estou farto e não da juventude que eles pariram e que espero se regenere, por força do vigor da História. O Vitorino ouviu e, a medo, para não chocar o amigo de geração, balbuciou uma qualquer banalidade, polido, muito polido, que afinal são comparsas. Diferenças só mesmo na cor da gravata. Por isso ouviu, com bonomia, a monstruosidade moral que aqui denuncias.

  4. Valupi, o meu comentário é breve porque ontem escrevi sobre o assunto… mas não posso deixar de expressar a minha admiração pela seriedade democrática de uma Esquerda que, afinal, ainda existe!… Obrigado! Um grande abraço, :)

  5. Marcelo o homem que de tudo fala e nada faz. Quando opinou sobre a continuação da reunião do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol, disse que Gonçalves Pereira agiu conforme a lei. Mais tarde Freitas do Amaral desdisse tudo e Marcelo nunca mais falou do caso. Nunca tem um contraditório, é como jogar a equipa A contra a B, fica tudo em família.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.