25 anos de atraso

João Galamba fez um breve resumo da ruína do BCP às mãos de Jardim Gonçalves e companhia. O BCP foi sempre muito mais do que um banco, era a prova suprema de que Deus, ao arrepio das Escrituras, preferia o convívio dos ricos ao dos pobres. Num Portugal sociologicamente de esquerda, mas culturalmente conservador, Jardim Gonçalves foi uma peça fundamental na mitologia cavaquista, essa patranha oligárquica que reclama para a direita – em especial, para o PSD, como predestinação – o exclusivo das capacidades governativas. Afinal, o sucesso de uns e de outros foi alcançado com benesses, favores, falcatruas, tramóias. Cavaco, esse auto-propalado génio das finanças, fez milagres só com o dinheiro da Europa, encheu o País de alcatrão e cimento, secou o partido para o abandonar e boicotar, e continuou a enriquecer à conta dessa sociedade lusa dos negócios que foi o Cavaquistão. Ao chegar à Presidência, a sua completa inépcia política ficou à vista de quem quis ver, incluindo muitos que lhe tinham cantado hossanas fervorosamente.

Jardim Gonçalves já se foi, o cavaquismo ainda resiste. Nem com a Inventona de Belém desapareceu. Entender esse fenómeno, entender as cumplicidades e ódios no seu estertor, é entender 25 anos da História de Portugal. 25 anos de atraso.

9 thoughts on “25 anos de atraso”

  1. “encheu o País de alcatrão e cimento “…… e criou uma tradição que o querido líder se empenha em dar continuidade….ele é estádios , autroestradas , pontes , e mais não sei quê.
    na próxima vez que alnoçares com o querido líder , vê lá se lhe fazes ver que essa tradição foi iniciada pelo PSD e que não é nada cool continuar a encher o país de alcatrão e cimento !!!

    (uma pessoa lê cada coisa… , não há paciência)

  2. Jardim Gonçalves é ainda responsável pela destruição de empresas do mercado financeiro, que possuíam um atractivo volume de negócios, clientes e património mobiliário. Essas empresas desapareceram do mercado por via duma integração destrutiva ao nível dos diversos públicos, destruição essa, sustentada na integração dessas empresas no maior banco privado português. O resultado é hoje incontestavelmente sofrível. Vale a pena pensarmos, para os que ainda se recordam, o que eram um Banco Português do Atlântico, uma companhia de seguros Bonança, um Pinto e Souto Mayor ou uma companhia de seguros Império, todas estas, empresas sugadas do mercado pelo BCP, que após delapidação dos respectivos patrimónios, as abandonou, caso da Império e da Bonança, recentemente adquiridas pela CGD

  3. Alto aí! o criador do monstro da despesa pública nunca se engana e raramente tem dúvidas. Portanto, é lícito supor que “ela” não só foi bem pensada como melhor executada e o PM da juventude rasca é agora PR.
    Na altura o betão era muito bom e agora não presta. Na altura não havia facilitismo e os milhões da formação profissional tornou-nos um povo culto e habilitado. Na altura o mestre do rigor era implacável e o CCB passou só de 6 para 40 milhões. Como ministro das finanças da AD aumentou 40% as reformas porque tínhamos um país rico. Como PM inventou a progressão automática da função pública porque com a entrada no euro as expectativas eram altas. Se aqui ou ali se abateu algum sector produtivo foi porque estava na cara que a nossa melhor opção era a renda de bilros, os ovos moles da ria e a linguiça tradicional de ficalho. Tudo opções plenamente justificadas e inatacáveis. Foi depois é que vieram os mouros e foi só estragar. Até aí era tudo gente que dedicou a vida à causa pública para acabar na miséria. Será que o JGonçalves também vai pedir os serviços de um defensor oficioso como fez o Oliveira e Costa? Até faz pena. O que vale é que continua a haver gente valente como o PTPinto que mesmo coimado pela CMVM e inibido de ser bancário durante um ano se dedica de alma e coração a estudar as alterações imprescindíveis à nossa cristalizada Constituição da República. Assim sim.

  4. O ps, em desespero de causa, ainda mandou o vara(esse mártir) para lá, a ver se a coisa arribava, mas nem assim.

  5. Qualquer um de nós está vinculado a compromissos, um qualquer incumprimento e as consequências são imediatas. Porque razão nestes casos não o tratamento não é o mesmo? Porque esta gente é muito poderosa, mais poderosa que a nossa democracia que na mão deles, existe apenas para constar; por isso neste contexto, para quê votar?

    Se Sócrates não tem poder para pôr ordem nisto, tem a obrigação de dizer porquê, é o futuro que está em causa!

  6. Só minam a justiça, porque não há um advogado que lhes vás aos colhões!!!

    Ora andem lá para tras e bejam lá o ka aconteceu àquela gaja, a Leonor Beleza!que eu saiba até foi uma adbogada que a fez sentar-se bárias bezes, porra.

    Granda porra, país da merda.

  7. o PPD-PSD é um partido-falso e embusteiro. A sede e a ganância de dinheiro e poder são os seus princípios orientadores. Por cada caso que haja ligado a uma figura do Ps, para o Psd há logo 7 à disposição….é um fartar-vilanagem que fez escola desde a sua génese no tempo do Marcelismo. O Psd actual é tão hipócrita que até o nome mudou, escondeu o PPD e disfarçou-se de Social Democracia. Mas só em Portugal! HIPÓCRITAS. Na Europa não estão na bancada da social democracia mas sim no lado dos populares europeus. HIPÓCRITAS. Se reparerem eles são designam-se “PS”, mas com um D à frente, um D de dissimulados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.