73 thoughts on “descobri que sou um zaralho”

  1. elypse, mas sempre te digo que antes zarolho que completamente cego.

    shark, vá que de vez em quando disfarço bem… ;)

    clara, se visses como está a minha casa! :(

  2. zaraolho.. seria bem pior uma zarolha que é zaralha…
    qt à casa… podemos aferir que estás em novos layouts…ou o que quer q seja

  3. Como é que um zaralho, no masculino, é mulher desmazelada? O autor do dicionário será zarolho? É zaralha, minha senhora. Zaralho é homem, poças!
    Já agora: zarelha é mulher abelhuda, intriguista. Serve-te?
    Zarelho é homem metediço, meio gago e mexeriqueiro. Mas há aquela expressão: dar ao zarelho, que é ambígua.
    Também há a zaranza, que é pessoa atabalhoada, irreflectida e doidivanas.

  4. joni, isso, boa ideia. trata-se apenas de um décor descontra.

    nik, segue o link e pára de refilar. por acaso encontrei esta definição on-line, mas onde vi inicialmente foi no da porto-editora, o da capa laranja. não cheguei a confirmar no houaiss, mas já te digo. esse zarelha não me serve, lamento despontar-te. a zaranza conhecia, e também se ajusta com bastante frequência.

    z, valor?

  5. O dicionário que dizes tem de facto zaralho, mas é exclusivo da Madeira. O dicionário da Texto Editora, que não é pior, diz zaralha. Empatámos?

  6. eu agora disse «ai é?!» e dispus-me a atirar-te com o houaiss. mas o gajo é mudo a respeito, portanto só se to atirar à cabeça… :D

  7. Shark;

    como sabes não basta olhar, há que ver para melhor perceber. O meu propósito aqui nunca foi criar conflitos, que fique bem claro – nunca me dei a isso em cerca de 5 anos de blogosfera (e se de repente me vi neles foi mesmo por erros de interpretação).
    Neste caso em concreto, reconheço que cometi alguns lapsos. Um deles foi ter exagerado dentro de um post da Susana, ainda que o objectivo não fosse atingi-la, mas apenas aproveitar a deixa dela para parodiar e não prejudicar. E nesse mesmo post, deixei expressa as minhas desculpas. Tudo se complicou quando tive a infelicidade de “atacar” a Cláudia – na altura, por não saber quem é que tinha a ver com quem, não percebi a entrada dela, achando-a despropositada e disse o que disse. Foi aí que a Susana passou realmente a reagir bastante ácida para comigo. Posteriormente, senti que algumas pessoas reagiram agastadas, o que só se pode dever ao facto de não me conhecerem. Não vemos os rostos, a não ser os das palavras – e nem sempre a forma como as imaginamos reflectem a essência e o propósito de quem as escreve. Porém, quem aqui tenha estado minimamente atento, reparou que houve muitos post que não comentei e que soube sempre respeitar um Fernando Venâncio, um Daniel de Sá, uma Isabel, um JC Francisco, entre outros que por aqui comentam – tu incluso.

    Resumindo: aprecio qualquer crítica que me façam, quando despida de ironias, cinismos e chicoespertismos. Logo, não podia pactuar com alguns. Ontem, atendendo ao que a Susana me “respondeu”, não pude evitar o tal link para o teu post.

  8. ah, mas eu não procuro coincidir com ninguém, muito menos com quádricas…

    se fosse formas quadráticas já seria diferente, passar de um parabolóide para um hiperbolóide com ponto de sela, z=x^2-y^2, ou um elipsóide ax^2 by^2 cz^2=1

  9. elypse, aqui só vejo uma resposta minha para ti, em que me limitei em continuar a tua brincadeira, disparatando. qual é a crise? e porquê o link para o post do shark? (que não só já tinha lido como tinha comentado…). vais voltar a pensar que é embirração, mas… desculpa lá, não percebi.

    joni, dezenralha-te, ou ficas zaruca.

  10. Susana,

    importante foi perceber que não há crise nenhuma e que apenas tens disparatado e brincado – logo, não vou pensar nada que se trata de mais uma embirração.

  11. Zzz,

    quem é que te disse que procuro coincidir? (vês na frase o eu? aprende a evitar o eu ó tretamatematizada.

    pouco haverá de pior que um aZelha acoplado ao reino das coincidências com tiradas dignas de feirante. nem percebo como é que um tipo que se diz doutorado (no curto espaço de tempo que aqui estou já o ouvi puxar dos “galões” pelo menos 3 vezes, não sei com que pretexto senão o da gabarolice e parolice) em matemática, se pode masturbar de maneira tão inglória e infantil (para não falar da suspensão a que foi ou está votado e que tanto se queixa como uma gueixa)

    ó alvovítima, queres explicar-te?

  12. ferves em pouca água, elypse, por isso é sempre tão difícil aferir o humor das tuas palavras. não gosto que fales de modo tão azedo com as nossas visitas quando elas estão apenas a conversar amenamente. uma coisa é quando os ânimos se exaltam, outra é quando tudo está sossegado e na boa e depois apanha com uma bojarda destas. logo o z, que é sempre calmo e afável. tem lá calma, conta até 10 antes de explodires. pode ser que não te salte a cavilha. :-)

  13. será que zaralho e seus derivados vão ser incluídos no acordo ortográfico?
    e como será conjugado?

  14. Susana – compreendo, mas por mais desagradável não podia deixar de fazê-lo, uma vez que o z (que sei ser uma pessoa inteligente, culta e criativa) já me mandou mutiplicar por 0, entre outras situações, cujo objectivo foi a ridicularização da minha pessoa. sempre me questionei do porquê. uma vez que nunca me meti com ele.

    espero que todo este mal-entendido termine aqui.

  15. oh elypse, o teu nick quer dizer ‘omissão’ portanto só estou a tentar fazer-te coerente contigo próprio. Aliás procuro multiplicar-me por 0 (não é o) todas as noites, mas fico mais tipo infinitésimo, só no limite é que é zero.

    quanto ao resto: meteste-te sim, mas podemos ficar por aqui, como tu próprio disseste lá para trás,

    quanto aos galões e gabalorices, não é bem isso, trata-se de que me criaram uma situação inconstitucional, e cabe-me denunciar as facaltruas do Estado de Direito, ao invés de ficar calado com ‘vergonha’, que é o que systema quer

    quanto ao fundo: o que faço aqui é intervenção política, o resto é brincadeira com alguns

    ————-

    e por falar nisso recordo que o Louçã disse que se os depósitos off-shore fossem taxados passávamos de um deficit de 2,6% para um superavit de 2%

    e eu sou insuspeito porque saí do Bloco há dois anos

  16. ora, é para pensar,

    “Quando um jovem se revolta está talvez a vingar-se, mas também a querer inscrever a sua revolta num mundo que lhe nega o espaço”.
    José Gil, “Visão”, 10-04-2008

  17. Z,

    o nick “elypse”, não elipse, surgiu do nome que coloquei numa loja de vestuário, da qual fui proprietário, no último ano e meio – foi mais um negócio que não subsistiu à crise do “subprime”. nessa loja, Elypse, o único propósito de omissão, que não houve, foi a de fuga aos impostos :)

    também me informaram, talvez num sentido mais esotérico, que “elypse” significa o fechar do ciclo. devo informar que nem pensei no que queria dizer elypse – apenas simpatizei com a palavra por lá ter colocado (e aí sim fiz a supressão do i em prol do y) um y, porque a loja era de vestuário masculino – a namorada da altura era ciumenta e não permitiu que fosse mista, o que para mim foi a razão do insucesso da mesma :)

    ah, no vidro da montra tinha escrito – sorria, não está a ser filmado. como vês, nunca tive o propósito de omitir nada. portanto, que elypse passe a ser a antítese de elipse.

    (e Z, não quero crer que me tenha metido contigo – tu é que começaste aquando da zazie, e sempre foste um malandreco. quando muito, houve momentos em que procurei “aproximar-me”, mas tu, como já disseste, não queres saber de quádricas)

  18. pronto, tu queres é um amigo e namoriskar com as garinas, e por mim tá bem, mas olha que eu namorisko com todas e sou sincero, e como elas sabem isso vai bem, mas como agora isto é virtual não vale a pena ter ciúmes, embora possa dar rosnadela

    e hoje tenho de ir à advogada por causa das putas das acções, que ainda por cima tive de meter para não abrir um precedente para os outros, que queres que te diga tou fodido da pinha, pois estou

    quero ser recompensado breve no brasiu a ronronar como uma chaleira no meio doutros gatos, e que tudo o mais vá para o zaralho!

    portugal para o zaralho!

  19. :)))

    ó Z, nem me fales em acções. meti-me nessas plataformas a investir em CFD’s, aqueles títulos que se servem com alavancagem. tinha 30 mil investidos. a coisa nem estava a correr mal de todo – até andava a estranhar a facilidade com que ganhava dinheiro – já antes, durante o teste, tinha dobrado a plataforma em cerca de 15 dias (julguei, isto vai dar). entusiasmado, por não ter experiência nenhuma (nem sequer tinha aplicado dinheiro em acções, quanto mais em CFD’s), dou de viajar rumo à Jordânia, afim de conhecer Petra, o Mar Morto, o deserto de Wadi Rhum, etc.

    já instalado, em Aqaba, num hotel que era suposto ter um centro de negócios, e tinha, constatei que as plataformas (Best e Gobulling) não abriam, por a rede ser extremamente baixa. não deixara posições de stop e encontrava-me em “longos”. ainda assim, não sei se por observar alguns camelos, mantive-me despreocupado – andei 3 dias sem recorrer a um local para averiguar o que se estava a passar. até que, já depois de estar no mar morto, resolvi ir a um cibercafé – mas mesmo assim, o raio das plataformas teimavam em não abrir. informaram-me que garantido só mesmo recorrendo ao hotel Internacional, o qual tinha um business center, digno do nome. para lá fui, e qual não foi o meu espanto quando abri finalmente aquilo, ouviu-se em bom português: foda-se! fodi-me – mesmo gostando de árabes e muçulmanos, naquele momento voltei os olhos para Israel…
    tinha tido, inevitavelmente, fecho de posições: estava na Vallourec, Goldman Sachs, Societe Generale e Renault – mas foi sobretudo a GS que me aniquilou – se calhar por não ter optado por Israel. foram as férias mais caras que fiz na vida :)

  20. não é disso pá, não percebo nada disso que não gosto de enervamentos – eu é acções judiciais contra o Estado em várias camadas, por causa de um raio de competências delegadas e sub-delegadas, despachos de não sei quê e o raio que o parta.

    mas acho que se calhar entretanto leram-me aqui que tava esquentado da tola, e desmarcaram-me. Para a próxima não digo.

    Jordania, não conheço, mas gostava de ir a Petra, sim.

    atão e apanhaste um esquentamento assim de repente? Mas para falares disso com smiles vá lá, quando é mesmo mesmo mau nem se fala.

    olha os trutas:

    http://www.correiomanha.pt/noticia.aspx?contentid=EC7BD065-FE05-49DB-B98E-0073287D6ADE&channelid=00000009-0000-0000-0000-000000000009

    vou passear, que o Sol espreita

    acho isto de ser bicho sapiens um fastio. É muito melhor ser bicho bicho

  21. a tua história ali em cima é engraçada elypse, parece que estavas num rally_paper, mas eu nem sei o que é cfd’s, são carteiras de títulos? mas também se não quiseres contar pormenores tudo bem porque eu não me meto nessas coisas (cfc’s eram aqueles dos frigoríficos que davam cabo do ozono :). Chato é que ficaste com uma dor de cabeça antes de Petra, se bem percebi.

    E quanto à gueicha vais levar uma pantufada: quem tem cabelo para meter aqueles pauzinhos és tu, que eu sou máquina um (há vários anos, não tenho culpa que os putos agora andem muitos assim)

  22. Z,

    nem podes saber o que é cfd’s, quando muito poderás saber o que são

    com essa deixa da gueixa nada há para reter – nem mesmo o facto de usares o cabelo curto, uma vez que já o tinhas dado a entender no post dos piolhos.

    foi mesmo verdade – perdi praticamente 30 mil euros (cerca de 10 na GoBulling e o restante na Best), e optei por sorrir, porque entendi que sorrindo contornaria melhor a situação. neste caso, reagi assim – mas que, na altura, fiquei praticamente sem vontade de continuar férias, fiquei – digamos que fui ver Petra de olhos petrificados…

  23. conseguires sorrir aí não é fácil, mas é o mais inteligente

    eu nem sempre consigo

    se estiveres numa fase de perdas sucessivas modera-te nos riscos, porque pode ser que estejas num quarto minguante astral – que foi o que eu percebi às tantas que acontecia comigo (ou seja: contaram-me) e ainda não parou

    fica bem Elypse, hoje vou dormir cedinho que fiquei com dor de tola por causa da advogada que não houve

  24. A frase do José Gil, z, não é para pensar. Quem tiver 2 dedos de testa, sabe muito bem que é assim e eu dou força a esses miúdos que eu também não estaria para aturar sungasmungas de stôras de francês à la gardère.

  25. Mas já que andas sempre com títulos de jornais. Olha só esta do Público que me deixou mortinha de riso. Atenção! Atenção!

    Projecto de lei do PS sobre divórcio pretende “proteger as partes mais frágeis”

  26. Ai que espectáculo tu foste arranjar, z! Esta da língua fabolusa… Mas olha que mesmo assim, ainda seria plausível. Do Lobo Antunes, nada me espantaria. Uma língua para fábulas, por exemplo.
    E se começássemos a fazer uma compilação de títulos destes?

  27. minha linda eu sou péssimo para compilações, fico logo farto, mas faz tu se te dá gozo

    e o lusa? Se calhar foi as duas: fábula lusa

    mas portanto devia ficar fabulusa

  28. Nada! Fabo! E já comecei a fazer compilação :-) se tiveres títulos destes manda-os todos para aqui ou para o meu e-mail: claudiarodriguesfr arroba gmail ponto com

  29. está boa: fabolusa então. Vamos ficar todos com beicinho ou lá que é.

    Eu não tenho nenhuma compilação de títulos destes, isto sai-me à frente e eu chutu, compilação fazes tu se quiseres

    o aberto? Nós cá em Lisboa é fechado (u), vocês aí no granito é que é aberto

  30. por falar nisso hoje tenho de ir ver ali o calcáreo, à caça de romanos

    ando banzado como é que o calcáreo dura tantos anos com o corte impec, por debaixo das pontes

  31. claudia, estava ali no duche a pensar num morango, que as cerejas ainda estão longe, e lembrei-me

    então é assim, tu falaste das ‘partes frágeis’ do casamento lá em cima, toda contente

    ora ‘as partes de um conjunto’ tem significado matemático: é o conjunto de todos os conjuntos (subconjuntos) que se podem formar com os elementos do conjunto original. Por exemplo as partes de {a,b} é o conjunto formado por {{a},{b},{a,b}, vazio}.

    é fazendo ‘as partes’ de um infinito que se obtém um infinito de grau superior

    como o mecanismo é indutivo e não se vê fim, ou seja pode-se fazer sempre uma vez a seguir, existem infinitos tipos de infinito, o que é um descanso porque ao menos não se gasta

    e portanto podemos rir para sempre, acho que é uma conclusão inevitável

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.