Superpoderes, por hipótese

 

Por isso, será em legítima defesa que irei, conforme for entendendo, desmentir as falsidades lançadas sobre mim e responsabilizar os que as engendraram.” (excerto da declaração de José Sócrates, ditada pelo telefone).

 

 

Embora esta passagem pareça constituir um aviso à imprensa e a certos opinadores, eu pergunto: e  se esta determinação de José Sócrates de ir respondendo às falsidades que forem surgindo sobre o seu processo enquanto se encontra detido for considerada por Carlos Alexandre «uma perturbação do inquérito»? Será a prisão preventiva insuficiente? Poderão as garantias conexas ser suprimidas? Pode o juiz calar o detido? Determinar o fim das visitas? Proibir os telefonemas? Quer-me parecer que ainda não vimos tudo.

 

28 thoughts on “Superpoderes, por hipótese”

  1. Penso que verás tudo o que a nossa justiça pode fazer de mal a um cidadão. Estes homens são descendentes culturais directos dos frades inquisitoriais. Vai ser um fartar vilanagem e ninguém vai mexer um dedo contra a pulhice judicial, para gozo da escumaha que o tem caluniado e odiado. O PS vai ser educadinho, e os outros partidos vão exigir escrupuloso respeito pela “separação de poderes”. Estou a sonhar? Não; a fogueira foi ateada e está a ser muito bem alimentada de lenha. Bem pode o condenado estrebuchar e os doutos juristas clamarem contra a violação dos direitos e garantias, porque que está afzer a justiça é ódio cego. Adianta realçar o tratamento VIP dado a Salgado, caução e tudo? Todo o mundo defensor de uma justiça imparcial pode espernear: será impotente contra a justiça de ódio patrocinada ao mais alto nivel das estruturas da república. Que quiser faça-se de ingénuo.

  2. Concordo na totalidade! Como a orgia de ódio a Sócrates é tanta e a psicose do povo vem sendo alimentada desde há alguns anos pela direita mais boçal e primitiva (e uma certa esquerda também)que agora se banqueteia impune e alegremente com o poder, pode muito bem acontecer proibirem-no de falar. Ou é obrigado a beber cicuta como o outro Sócrates. Infelizmente, agora entendemos que a inquisição está bem viva. Quando vi a forma como começou este circo mediático da (in)justiça e da (des) informação lembrei-me do processo de Kafka, mas também dos métodos da pide, da inquisição, do nazismo e dos extremistas islâmicos e vi logo a ralé desmiolada, que lê o sol, o correio da manha e afins, a salivar de ódio e a pular desenfreada à volta da fogueira e Sócrates lá cruxificado, depois de ter sido torturado e no final decapitado para gaudio dos selvagens que ainda o arrastarão pelas ruas e no final levarão um pedacinho do corpo dele para exibir aos que não puderam ir ou para vender no ebay. Isto é um país civilizado? Como deixámos que a barbárie se instalasse nas mentes destes brutos? Enfim, estes mentecaptos têm o governo que merecem e este país, alvo as devidas excepções, nunca mereceu Sócrates que era progressista e humanista demais para esta cambada de atrofiados mentais.

  3. … e andam os portugueses a pagar impostos para esta cavalgadura andar de abião e ir vender sol aos árabes. esqueceu-se de levar umas amostras de areia da praia, se calhar os gajos até compravam para tapar buracos no deserto.

  4. Se mesmo assim ele usa todos os meios para perturbar o inquérito imagine-se se estivesse em liberdade. Só confirma que a medida de coacção foi apropriada.
    Uma vez que não existem mecanismos jurídicos para evitar estas situações e o juiz não os pode inventar, a única coisa que resta é a hipótese de lhe ser instaurado processo-crime por violação do segredo. Mas com o que já tem imputado contra si, esse crimezinho é uma bagatela.

  5. Como diz, e bem, Vital Moreira:
    “Num Estado de direito, os suspeitos têm pelo menos o direito a não serem expostos a condenação e lapidação sumária em público, antes mesmo de haver acusação.”

    Algo vai mal em Portugal…

  6. Pinto, para ti o segredo de justiça só pode funcionar para um lado, certo? Quando amordaçarem o Sócrates é que ficas tranquilo. Olha, um balázio na cabeça e já não falava mais, era melhor não era? Em relação às fugas da acusação, abre-se um “inquérito”, apura-se que nada se pode apurar e está feita a opinião pública. Tudo ao gosto do bom funcionamento das instituições como o cavacoiso gosta.

    Porreiro pá!!

  7. ignatzia, o melhor era acabar com a comunicação social. Onde é que já se viu uma coisa destas.
    Acaso alguém aqui acompanhou a detenção do presidente do B. Munique na Alemanha? Vejam se houve alguma diferença por parte da comunicação social.
    Habituem-se à liberdade (não é só encher a boca).

  8. Independentemente da ideia por trás do acto da criação, mais conhecimento, mais comunicação, rapidamente quase todas as novas tecnologias também passaram a ser idealizadas de modo a retirarem-nos mais liberdade através de mais controle. E já retiravam sempre, com ou sem intervenção do Estado. O mais grave é que quem devia estar na linha da frente a defender os nossos direitos, liberdades e garantias, o Estado de Direito Democrático muitas vezes ainda é o maior abusador. Mais de 90% das escutas são ilegais e só vieram matar a verdadeira investigação. É muito mais cómodo ficar à escuta e depois esperar porque muitas vezes até fora do contexto qualquer um se incrimina – o pasto preferido dos tablóides! Depois normalmente validade na casa da Justiça, zero! Aliás, depois da apreciação das escutas do processo apito dourado, quer na 1ª Instância quer na Relação e do processo apito final no TC – processos só alicerçados em escutas – o MP até devia ter vergonha de voltar a falar de escutas aos portugueses. Isto se a ideia passar por voltar a ter alguma consideração!
    Já agora uma nota definitiva também sobre as sistemáticas violações do segredo de Justiça. Depois de nunca implementarem várias propostas baseadas em tecnologia que levariam à sua quase erradicação e como toda a gente continua a conhecer a sua única fonte ou seja o MP, como titular do processo, estava mais que na altura de passar a responsabilizar os Procuradores responsáveis. Como aliás acontece em qualquer hierarquia, seja em que área for! Toda a gente também sabe que só servem para propagar junta da opinião pública o que os investigadores nunca conseguem provar!

  9. E a propósito de um “duelo” interessante entre o deficiente do João Miguel Tavares no Público e Ferreira Fernandes no DN. Sabemos hoje com toda a certeza que a partir de determinada altura nunca ninguém foi tão escrutinado na história Democracia em Portugal como José Sócrates. Ferreira Fernandes tem vindo a descrever na sua coluna do DN, o que denominou por comportamento de hienas. Canalhices com a calúnia como pano de fundo! Calúnias porque nunca resultaram em qualquer sentença contra José Sócrates, ao longo dos anos. Também ainda pede para não confundir com todo o tipo de críticas, justas ou não, mais que legitimas em Democracia. Finalmente ainda acaba a separar as águas com o que parece que está a acontecer agora, quando um Juíz concorda com os Magistrados em haver indícios para prosseguir com um processo contra José Sócrates.
    O deficiente do JMTavares faz parte da turba como FF também sempre os apelidou e que logo no dia 22 já davam as coisas como concluídas, inclusive com o aviso: “- eu não avisei?” Eu ouvi uma, a Manela – que até chegou a acusar e desistiu – e li outro, o JMF no Observador que só observa à direita. A teoria é sempre a mesma, a também já aqui citada do fumo sem fogo, logo queime-se já o homem. Eu também presumo há muito tempo da deficiência do JMT.
    Como já disse aqui várias vezes e até admitindo que enquanto PM podia manobrar mais o poder. Agora basta atentar na condução do processo para se retirarem as mesmas conclusões de sempre. A Proença Carvalho bastaram 30’’ para desmontar os princípios todos da prisão preventiva. Some-se outra vez o circo no aeroporto e a falta da fundamentação da prisão preventiva e é impossível que o MP não esteja outra vez completamente certo das provas que nunca deteve! Resta o quê? Não resta nada, é humilhação pura e dura!

    E já agora a propósito da última notícia, que deu conta que Sócrates nem precisou de pagar renda em Paris, beneficia quem? Quem já tinha feito as contas aos gastos do homem não foi de certeza. Ainda vão descobrir que o prestígio de um ex-PM também o isentou de propinas. Mal de um país que já se diverte com o que cada um gasta ou deixa de gastar na vida privada. Será que o empréstimo da CGD terá dado ao menos para comer?

  10. P,
    Depois de nunca implementarem várias propostas baseadas em tecnologia que levariam à sua quase erradicação e como toda a gente continua a conhecer a sua única fonte ou seja o MP, como titular do processo, estava mais que na altura de passar a responsabilizar os Procuradores responsáveis. Como aliás acontece em qualquer hierarquia, seja em que área for!

    Inventem uma tecnologia para evitar este tipo de violação ao segredo de justiça:

    Curioso, durante todo o interrogatório os arguidos não foram confrontados com um único facto concreto de corrupção. #oops
    Juiz Carlos Alexandre, perdão, Alda Telles, esposa do advogado de JoséJoão Araújo
    http://www.sol.pt/noticia/119187

    Quando confrontada com o facto de estar a violar o segredo de justiça responde com ironia: “segredo de justiça? Esse mcguffin do filme de série B que é Portugal?”

  11. P, como vê o MP não é a única fonte. O arguido e o seu advogado também conhecem o processo. Neste caso olhe de onde veio a fonte. E agora?

  12. oh pinto, segredo de justiça são peças do processo ou operações policiais como buscas ou detenções. isto: “… durante todo o interrogatório os arguidos não foram confrontados com um único facto concreto de corrupção”, é o mesmo que isto: “A primeira refeição de José Sócrates na prisão de Évora foi cozido à portuguesa, conta o Diário de Notícias.”

  13. Caro Pinto,

    Deixe que lhe diga que num inquérito conduzido desta forma e comigo na defesa pode ter a certeza que ouvia a falta de fundamentação toda ainda antes do meu cliente entrar na cela. Como também pode ver no link o nome do advogado é João Araújo e não Jesus Cristo.

  14. oh Pinto! até nem me importava nada que esta comunicação social direitola fosse à vida e desse lugar a uma outra mais pluralista e mais respeitadora dos direitos humanos e dos cidadãos desta república.
    oh Pinto! desves estar com um tesão do tamanho de um convento, mas calma aí com o regabofe, aguenta os cavalos. as freiras ainda estão a dormir.

  15. a virar frangos desde 1960
    oh pinto, segredo de justiça são peças do processo ou operações policiais

    Porque é que as pessoas quando não sabem do que falam não optam por ficarem caladas em vez de dizerem disparates?

  16. P,
    Deixe que lhe diga que num inquérito conduzido desta forma e comigo na defesa pode ter a certeza que ouvia a falta de fundamentação toda

    Por isso não é advogado e não estudou anos. Se o tivesse feito já perceberia porque dos milhares de arguidos no país nenhum opta por essa, digamos, estratégia.

    Se ele está inocente tem de colaborar com a justiça para que esta consiga chegar à verdade, que nesse caso seria o arquivamento. Vir falar cá para fora só demonstra o arrogante que sempre foi, que acha que o povo ignorante vai rasgar as vestes em sua defesa.

  17. ignatzia
    que esta comunicação social direitola

    A sério? De direita? Não consigo acreditar em certas coisas que ouço e leio.

    oh Pinto! até nem me importava nada que esta comunicação social direitola fosse à vida

    Normalíssimo. O socialismo nunca conviveu bem com a liberdade. Desde Hitler aos nossos dias.

    oh Pinto! até nem me importava nada que esta comunicação social direitola fosse à vida

    Que é como quem diz, uma comunicação social obediente à ideologia.

    Caro ignatzia, quando o presidente do B. Munique foi preso eu estava na Alemanha. E garanto-lhe que a comunicação social teve o mesmo comportamento. Quase entravam pelo carro dentro para o fotografar a caminho do tribunal. É assim em todos os países onde prevalece a liberdade plena.
    Como dizia o outro, habituem-se.

  18. ignatzia
    28 DE NOVEMBRO DE 2014 ÀS 22:21
    oh Pinto! até nem me importava nada que esta comunicação social direitola fosse à vida e desse lugar a uma outra mais pluralista e mais respeitadora dos direitos humanos e dos cidadãos desta república.

    Como? Estilo esta?

    “Desde o princípio, ele (Sócrates) foi esse jovem lobo, oportunista, sem ideologia, obcecado por escalar todos os degraus até ao poder supremo, sempre borderline” (…)
    “sanguíneo, autoritário e de estilo cintilante à la Sarkosy”

    In, Libération

  19. eu : oh pinto, segredo de justiça são peças do processo ou operações policiais.

    o calimero : porque é que as pessoas quando não sabem do que falam não optam por ficarem caladas em vez de dizerem disparates?

    olha pázinho! quando as pessoas não sabem eu tento explicar, mas nem sempre sou bem sucedido, como deve ter sido o caso. portantes volto a explicar novamente, com dois exemplos mais acessíveis, pode ser que tu e óleoso zé manel percebam desta vez. aí vai àgua.

    o segredo de justiça significa que os actos do processo não podem ser divulgados, uma lista de coisas que não aconteceram durante um interrogatório, como por exemplo o que não foi perguntado ao suspeito, não consta no processo, não interesse algum e não é segredo de justiça em lado algum, excepto no observador, coisa que tu lês e no correio da manhã. caso alex, o super juíz, tivesse perguntado ao sócras se tinha dado uma queca na cavaca ou enrabado o teu pai, já se compreendia que, apesar de não ser relevante para o processo, que constasse nos autos de interrogatório e pudesse ser considerado segredo de justiça por invadir a privacidade de terceiros ou serem requeridas certidões para enxertar na testa do bolicoiso ou da tua mão. espero que tenhas percebido com estes singelos exemplos, caso contrário, não hesites, fico ao dispor.

  20. a virar frangos desde 1960, em primeiro você ainda precisava de virar frangos mais 50 anos para me vir ensinar o que quer que seja em matéria jurídico-penal.
    Em segundo lugar violar o segredo de justiça é divulgar o que quer que seja que esteja no processo. E dizer que durante o interrogatório os arguidos foram confrontados com isto ou não foram confrontados com aquilo é violar o segredo de justiça.
    Isto é elementar. Para um ordinário que nem sequer sabe trocar ideias sem insultar, além de ignorar por completo do que fala, isto é chinês.
    Agora vá comer tremoços e beber umas cervejas no café aí do bairro e discuta matéria jurídica com os vizinhos porque não tenho paciência para isto.

    Para si a partir deste momento estou OFF.

  21. “Em segundo lugar violar o segredo de justiça é divulgar o que quer que seja que esteja no processo.”

    e o processo diz lá que durante o interrogatório não foram feitas perguntas sobre corrupção, só pode. se calhar tamém consta dos autos que comeu cozido e só não comeu a tua mãe por eu ser ordinário e não perceber nada do que digo. oh pinto, com um cérebro desses vais ter dificuldade de chegar a galinha.

    se tomasses menos banhos de imersão no observador e não te espojasses no correio da manhã, ainda te oferecia um calendário do sol com fotos da felícia, igual aos que o saraiva forneceu para as casas de banho do ministério público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.