Pérola do jornal i

Este artigo não é inacreditável? Ora leiam.

Não é pela notícia de que José Sócrates se encontrou com Zapatero e a seguir com Angela Merkel. Por mim, é um prazer saber. Já tardava. Em andanças pela Europa? Boa!
São antes as apreciações, deduções, especulações, insinuações, associações que pontuam a notícia. Abjecto.

36 thoughts on “Pérola do jornal i”

  1. deve ser meu primo e foi a pedido do teu.
    os receios da velha confirmam-se, só falta o vaticano pedir uma audiência ao sócrates.

  2. Extraordinário!
    O autor deve ser dos seres mais ressabiados e parciais que alguma vez habitou este planeta!!!
    O amor e o ódio são sentimentos extremos…

  3. quase vomitei ao ler aquilo no i esta manhã. gostava de saber o nome do/da fdp que o escreveu, mas sei o do diretor do i que o publicou. não há direito. sinto-me pessoalmente ofendido, como se devem sentir os milhões de portugueses que votaram por sócrates e dele fizeram o primeiro ministro de portugal por mais de seis anos.

  4. Que asco.
    Fossem hoje tempos de respeito pelo código deontológico do jornalismo este senhor tinha sido corrido no próprio dia do jornal.
    Portanto agora meras especulações pessoais e venenosas de alguém que tem um complexo mal resolvido para com sócrates já pode ser noticia de jornal?
    Está bonito isto está…

  5. A BESTA que escreveu aquele pedaço de m. tem, certamente, uma ligação directa entre o intestino grosso e o cérebro.
    Há ali boa matéria sobre a qual um psiquiatra se pode debruçar (devagarinho e com cuidado, para não se cagar todo), para traçar o perfil da coisa humana que escrevinhou aquele pedaço de bosta pestilenta e infecta.

    As notícias da morte de Sócrates foram manifestamente exageradas. O homem ainda consegue fazer vir ao de cima o que de pior há nos seus detractores, o que é significativo e prova de que quem consegue provocar estes efeitos nalgumas pessoas só podia, e pode, estar certo.

    Há por aí muita gente com problemas graves para resolver consigo mesma…

    Ou então, como alguém já comentou aqui, as candidaturas ao “pote” ainda estão abertas e é preciso mostrar bom serviço.

  6. É um texto invertido pois em vez de se perguntar o que leva os dirigentes políticos de Espanha e Alemanha a receberem o ex-primeiro ministro português José Sócrates já que não percebe a razão óbvia (as suas opiniões contam para essas figuras da Europa) o palerma vê tudo ao contrário e, de um lugar que ninguém sabe qual é, procura ser ele o juiz da Europa. Que labrego…

  7. Tem toda a pinta de ter sido cuspido pelo próprio director. Era isto que ele escrevia, no conteúdo e no tom, nas crónicas do Correio da Manhã.

  8. Nunca vi tanta menina ofendida na minha vida. Meninas e velhos. Não seria caso para levarmos isto para a Praça do Rossio num destes dias quando começar a chover mas antes de as amendoeiras florirem? Informações sobre como se organiza uma coisa dessas podem ser adquiridas no Cinco Dias, ao cuidado do Renato Teixeira. Ou talvez do Nuno Ramos de Almeida, o homem que, paradoxalmente, poderia ajudar o Sócrates como intérprete no encontro com a Merkel.

    O Aspirina é cada vez mais o blogue das tempestades em copos de champagne. Cambada de enomaníacos.

  9. E rasteiro certamente´. Mas eu achei-no ainda morno ao comparâ-lo com coisas que estou acostumado a ler por istes lares. O autor tem abofé inspirações hispánicas da dereita extrema tão abundosa por cá.
    Iste ar jornalístico de pulhice, esterqueira, e deshonestidade intelectual trasvassa fronteiras, espalhase no ar, vai e volta é o pão noso de cada día.

  10. António Ribeiro Ferreira, um lacrau a quem nem o Correio da Manhã daria o cargo de director, é um dos maiores caceteiros do jornalismo sectário de direita. Já foi director-adjunto do DN, imagine-se! Puseram-no à frente de um jornal moribundo para acabar de vez com ele. Está certo.

  11. Estamos perante uma inovação no panorama do jornalismo noticioso português: a notícia do “eu não sei o que passou, mas de certeza que deve ter sido assim”.
    Quanto ao comentário do mr. zorg: com o devido respeito, para haver ligação directa entre o intestino grosso e o cérebro é, antes de mais, necessário que haja cérebro, o que, perante a notícia, parece não ser o caso. Diria antes que se trata de uma pura questão intestinal, que, pela falta de consistência, não chega a ser merda. Mera flatulência, aventaria eu.

  12. kalamitanos e lisboa, eu sei que a vos meros mortais desconhecidos da internet, isto nunca vos vai fazer mossa, mas para dois pelintras como vos aqui deixo uma pequena mensagem:

    “PIMENTA NO CU DOS OUTROS É REFRESCO”

  13. Os outros jornais oferecem filmes e livros para tentarem combater a crescente irrelevância. Este oferece escarros. Pode ser que resulte, sabe-se lá, não sei quanto é que vale o nicho de mercado dos ranhosos.
    O que vale é que o jornal tem uma circulação de, segundo consta, 5000 exemplares, pelo que é menos influente que muito bom blog que aí anda, e já não deve durar muito mais.
    Próximo “projecto editorial inovador”, please.

  14. O ‘jornaleiro relativo’ , autor do “i”gnóbil texto , não tem nem nunca terá capacidade para encaixar na sua relativa cabecinha que os líderes europeus têm muitíssima mais consideração e respeito por Sócrates , mesmo que de famílias políticas diferentes! Passos e Co. estão na escala ZERO, na consideração destes líderes que assitiram ao ‘golpe’ de Estado, que eclodiu a 5 de Junho com o derrube de Sócrates .

  15. É que nem se lembraram de insultar a Merkel, o Sarkozy e o Zapatero por terem tido o desplante de o receber, os malandros…

    Mas o que é facto é que receberam e não deve ter sido para saber como estão as crianças… Há muitas maneiras de fazer política, escrever é uma delas, e o Sócrates até pode estar para aí virado. Agora que não tem nenhum cargo que o impeça de abordar/desvendar certos assuntos, porque não?
    Aguardemos.

  16. MFIGAS,

    O Murdoch com um olho no “i”?

    Só se for com o olho do cu, para cagar em cima do Ribeiro Ferreira…

  17. Abjecto. Não tem outro nome. Como é possivel haver “jornalistas” profissionais que se aprestem a fazer um trabalho destes, especulativo, sórdido, rastejante? A classe dos jornalistas está cada vez mais desacreditada, com escribas deste jaez.

  18. Tive a oportunidade de ler o artigo ontem.
    É um belo exemplo para constar nos livros de história: Ilustrando uma certa altura da vida política e social do nosso país, em que a infâmia, a calúnia e a dispersão de ataques pessoais na imprensa portuguesa sendo o inquisidor de figuras públicas, é muito bem aceite pela sociedade contemporânea.
    O jornal i demonstra, com a publicação de notícias deste género, que não consegue ser o jornal diário moderno, inovador no aspeto e no conteúdo – o jornal do séc. XXI, e acaba por ceder ao clientelismo e sensacionalismo dignos de um pasquim de esquina.

  19. Ainda bem que não fui só eu que me exasperei quando li o artigo, que é de um velho caceteiro que se diz jornalista! O objectivo do artigo não é dar qualquer noticia. É pura e simplesmente usar a informação de que Sócrates falou com A. Merkel e Zapatero para lhe lançar uma verborreia de insultos .
    O que mais furiosa me pôs, foi o modo como é apresentada a noticia, pois eu comprei o jornal pensando que finalmente aparecia um artigo decente com noticias “novas” sobre o mais extraordinário Primeiro Ministro de Portugal…Mas quando li quem era o autor comecei a desconfiar…mas o isco funcionou…o aml já estava feito…eu já tinha compredo o jornal!!!

  20. Deixa lá, M. Mendes. Ia dizer-te para limpares o cu a ele mas aconselho-te vivamente a não o fazeres. Ficavas mais suja.
    Que me desculpem os bons jornalistas (ainda há alguns, por enquanto). Cada vez sinto mais asco por essa classe. Uma noticia torcida pode destruir uma vida para sempre. Imaginem que os medicos actuavam com a irresponsabilidade generalizada dos nossos jornalistas! Para estes jornalistas assassinos pode-se matar a alma das pessoas. Não faz sangue e nem é crime. Pulhas também sâo os que dizem vigiar o cumprimento da deontogia jornalistica, porque só existem para dar cobertura à bandalhice. Estes senhores devem ter ouvido, hoje, na TVI, a Judite de Sousa-jornalista a tentar arrancar ao ministro da saúde a afirmação de que recebera um ministério em descalabro. O ministro, apesar de tudo, não lhe fez a vontade. Não ouviram, senhores guardiões da deontologia?

  21. E não lhe fez a vontade porque nem isso sabe fazer.

    Se tiverem paciência e oportunidade oiçam novamente a entrevista e reparem nas contrariedades que a criatura conseguiu dizer em tão curto espaço de tempo.

    A minha admiração pela Judite tende para zero, mas confesso que hoje, ela esforçou-se para que dali saísse qualquer coisita.

    Este ilustre ministro, é o mesmo individuo que foi director geral dos impostos, nomeado pela saudosa Manuela. Quando terminou o mandato, mandou dizer missa na Sé de Lisboa à qual era conveniente estar presente. Quando deixar de ser ministro, a missa deve ser no Vaticano.

  22. Alguém reparou no final quando, a propósito dos transplantes, o ministro diz que há que fazer escolhas e que a massa não dá para tudo? Isto significa o quê, que se eu precisar de um rim e de um pulmão vou ter de jogar uma moeda ao ar?!?!?

  23. Agora faltava o i publicar a notícia de que o Passos Coelho afirmou ter sido avisado previamente das visitas pelo próprio Sócrates, que se iria “despedir” pessoalmente dos seus amigos.

  24. Despedir? As coisas que se dizem…
    “Há mais no céu e na Terra do que a sua imaginação alcança” (tradução muito livre de Shakespeare).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.