Chanfalhos

A propósito deste post do Valupi, e referindo-me em particular à sintese contida na sua última frase, não posso deixar de lembrar aqui uma entre muitas das experiências por mim vivida quando jovem dos 20/23 anos. Passa-se o caso em finais da década de 60.

Vivia então em Benfica e utilizava com frequência o comboio da linha de Sintra para me dirigir à faculdade. O comboio frequentemente chegava atrasado ao Rossio. Certo dia gerou-se um imenso burburinho quando algumas pessoas se dirigiram ao Chefe da Estação que por ali foi encontrado à mão, pedindo que lhes passasse um documento justificativo do atraso para poderem apresentar nos empregos. Resposta do sujeito: Esses documentos só são passados pela Estação de Santa Apolónia!

Perante o aberrante da situação as pessoas exasperadas pelos constantes atrasos entraram a manifestar-se um tanto agressivamente mas apenas no que ao tom de voz se referia.

Interveio a polícia que imediatamente deitou a mão a um jovem que mais activamente se manifestava e que se pôs a jeito. Acontece que na minha inocência juvenil (alguns lhe chamarão parvoíce) eu, que me encontrava perto do jovem a que o policia deitara a mão não me contive e aproximei-me de um segundo polícia que entretanto chegara, dizendo-lhe querer ser testemunha do jovem a quem fora dada voz de prisão. Passou-se então o que nunca mais na minha vida esquecerei.

Estavam dezenas e dezenas de pessoas rodeando-me a mim e ao polícia a quem me dirigira. Este lançou-me as mãos ao pescoço, voltou o casse-tête ao contrário, levantou-o no ar ameaçadoramente e só não o abateu sobre a minha cabeça... porque terá tido um último lampejo de consciência!

E agora chego ao ponto a que queria chegar! É que, ao mesmo tempo que vi levantar-se sobre a minha cabeça o chanfalho agressivo do polícia, vi fugirem em todas as direcções as muitas e muitas pessoas que estavam à minha volta. Fiquei só à mercê do polícia e... lá fui para a esquadra... “prestar contas à justiça!” Digam lá se os portugueses não são uns valentões... mas apenas quando podem!!!

__

Oferta do nosso amigo ANIPER

2 thoughts on “Chanfalhos”

  1. no tempo da outra senhora os comunas eram os primeiros a dar de frosques, para não serem identificados, diziam eles. hoje é ao contrário, dá currículo, baixa por traumatismos sindicais, telejornal e em alguns casos senhas de presença.

  2. Estou mesmo a ver o desfecho dessa aventura “juvenil” dos 20 aos 23. Levaram-te à esquadra pendurado pelo pescoço, passaste lá duas noites, depois instauraram-te um processo por desacato e falta de respeito a um polícia; mais tarde foste julgado, deram-te três meses de prisão maior que cumpriste no Limoeiro numa cela escura cheia de baratas, conforme atestado que apresentataste na faculdade, e acabaste por perder o ano por causa dessa brincadeira e ainda andas a sofrer de reumático. Sim senhora, pelo menos salvaste à honra à Nação

    Se não foi assim, preciso de ver o filme se quizeres que acredite nisso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.