Noto aqui um excesso de elogios e agradecimentos

 

O que terá levado Passos Coelho a agradecer tanto a Joana Marques Vidal e a lustrar-lhe o ego ao ponto de lhe chamar”humilde” e “lufada de ar fresco”, além de “íntegra”, “independente” e “suprapartidária”, num elogioso artigo publicado no Observador , depois de conhecida a sua substituta, onde só faltou chamar-lhe “querida”, “fofinha”, “adorada”, “muitos beijinhos”, “tudo de bom”, “obrigado”, tudo isto num fundo de “eles são maus, meu amor”?

 

Hmm…

 

Esta saída da toca não se fez, claro está, sem anedota. O bicho apresentou-se com a conhecida lata e fez questão de falar nos privilegiados que deixaram de o ser sob as ordens de Joana e apenas sob as ordens dela, deixando a ideia de que, até aí, era o fartar vilanagem, não especificando, porém sob a responsabilidade de quem, quando, como, etc. Não interessa. É o que dizem e o que ele diz. Interessa, sim, é que privilegiados, não mais. Graças à Joana.

 

Mas isto é anedota. Ele, por exemplo. Poderia ter visto o caso Tecnoforma e a utilização fraudulenta de milhões de fundos comunitários, confirmada pela Comissão Europeia, reaberto e não viu. Tudo arquivado. Nós que paguemos. Querem maior prova de fim dos privilégios e da “impunidade”? A senhora procuradora foi ou não foi implacável? Onde estão aqui os privilegiados?

 

“Poucos, até há alguns anos, acreditavam que realmente fosse possível garantir de facto, que não na letra da lei e nos discursos, uma ação penal que não distinguisse entre alguns privilegiados e os restantes portugueses. No termo deste seu mandato, são sem dúvida mais os que acreditam que se pode fazer a diferença e marcar um reduto de integridade e independência, onde as influências partidárias ou as movimentações discretas de pessoas privilegiadas na sociedade esbarram e não logram sucesso. “

3 thoughts on “Noto aqui um excesso de elogios e agradecimentos”

  1. As caixas de comentários do Observador hoje parecem os blogs de apoio ao Bruno de Carvalho. É aproveitar que o homem está livre e para liderar seitas de ignorantes não há melhor.

  2. Da presteza com que publicou o texto logo após a nomeação infere-se que já estava escrito antecipadamente.
    Parece-me bem a sua posição de agradecido. Pois se Bruxelas comunicou a Portugal a utilização de fundos europeus na Tecnoforma como um caso de corrupção e aqui “avançou-se” rápido no arquivamento, que outra reação podia ter? Não é pobre nem mal-agradecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.