O grande esquecido da noite dos Óscares

Nem uma piadinha, meus amigos? Nem uma indirecta ao que se passa na sala Oval? Nem uma pequena frase assassina num qualquer discurso de agradecimento?
Vê-se que Hollywood já não é o que era pela forma como trata os cowboys. Quer dizer, os cowboys do Texas, não os de Brokeback Mountain.

8 thoughts on “O grande esquecido da noite dos Óscares”

  1. Brokeback Mountain

    traduzindo para portugues poderia ser “montanha do cu partido”

    o que era um titulo apropriado para o filme

  2. para bom entendedor, o Stewart ainda tocou na embrulhada do Bush no Iraque…

    Pointing at a giant stage statue of Oscar, he said, “Do you think that if we all got together and pulled this down that democracy would flourish in Hollywood?”

    mas também esperava mais, confesso…

  3. O terrorismo nazi-bushista em todo o seu esplendor…

    “We should invade their countries, kill their leaders and convert them to Christianity. We weren’t punctilious about locating and punishing only Hitler and his top officers. We carpet-bombed German cities; we killed civilians. That’s war. And this is war.” – Ann Coulter, conhecida neo-cona

    Por muito menos que isto alguns nazis foram pendurados em Nuremberga…

  4. O que é realmente triste é verificarmos que a esquerda do Jardim de Inverno do S. Luis ainda anda a querer convencer-nos que a cerimónia dos Óscars, e por extensão a indústria de cinema americano, tem algo a ver com a denúncia dos verdadeiros males que afligem este mundo. Que ladrar tão luluzinho… Nem a Seara Nova do tempo do Salazar descia a mariquices destas.

  5. Essa Ann Coulter é das frescas. Algumas citações dessa menina, assídua convidada de talk-shows conservadores:

    “It would be a much better country if women did not vote. That is simply a fact. In fact, in every presidential election since 1950 – except Goldwater in ’64—the Republican would have won, if only the men had voted.”

    “Liberals hate America, they hate flag-wavers, they hate abortion opponents, they hate all religions except Islam, post 9/11. Even Islamic terrorists don’t hate America like liberals do. They don’t have the energy. If they had that much energy, they’d have indoor plumbing by now.”

    E a melhor:

    “My only regret with Timothy McVeigh is he did not go to the New York Times building.”

    Com Sean Hanity, Bill O’Reilly, Rush Limbaugh faz parte da linha dura de extremistas que servem como porta-vozes da doutrina neo-con nos media. (também Bill O’Reilly apelou em público a que se fizessem ataques terroristas contra S. Francisco, após esta cidade tomar medidas contra o recrutamento agressivo dos seus cidadãos jovens).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.