Já valeu a pena!

A horas de José Sócrates regressar à ribalta e dizer qualquer coisa ao entrevistador de serviço da RTP, já se dissiparam boa parte das dúvidas que me assaltaram sobre a utilidade e a oportunidade de ele o fazer neste momento e nesses moldes. Com efeito, perante as reacções de histeria censória que se desencadearam na última semana, valeu bem a pena que Sócrates tivesse arriscado o lance. O véu levantou-se e apareceu à vista de todos o Portugalete rasca, mesquinho, faccioso e inquisitório que sempre vive dissimulado, à espera de uma oportunidade, ao lado do Portugal de que gostaríamos de nos orgulhar.

A petição para calar Sócrates foi assinada por mais de cem mil pessoas, que deste modo ligaram indelevelmente e de forma pública o seu nome a essa manifestação visceral de intolerância e sectarismo. Ficaram assim perenemente listados, por sua própria iniciativa, muitos secretos apoiantes da rolha e da mordaça que, de outro modo, dificilmente confessariam o seu ódio à liberdade, ao pluralismo e à democracia. A lista negra dos censores pode consultar-se 24 horas por dia em peticaopublica.com. Para sua perpétua vergonha.

Ficámos a saber do que é capaz uma socióloga e dirigente da comunidade israelita lisboeta, que nunca mais poderá abrir a boca à nossa frente sem que nos recordemos da falta de seriedade, do facciosismo e da sanha persecutória que patenteou num momento de verdade. Ficámos a saber, com alguma surpresa, que ela não desdenha de umas depuraçõezinhas políticas na comunicação social.

Só é pena que muitos pseudo-liberais hipócritas e comentadores encartados não tenham julgado oportuno pronunciar-se sobre o caso em apreço. O narizinho deles, sempre alerta, recomendou-lhes silêncio. Conhecem-se bem, são especialistas em mau-cheiro e retraem-se no momento certo.

Foi também instrutivo assistir uma vez mais, sem surpresa porém, à coligação do Bloco de Esquerda e do PCP com a direita, desta vez o CDS, na tentativa de requerer a presença do director de informação da RTP na comissão parlamentar de Ética, Cidadania e Comunicação. Queriam chamar o homem à pedra, para assim mostrarem quão pouco para eles vale a “independência da comunicação social perante o Estado e o poder político” com que costumam encher a boca – exclusivamente quando lhes convém.

42 thoughts on “Já valeu a pena!”

  1. Acabo de ver e ouvir o Cavaco a falar sobre o que a TV do Estado deve ou não apresentar na sua programação. É por demais evidente aonde ele quer chegar, mesmo evitando pôr nomes, em atitude acobardada como é seu timbre. Parece que o homem está preocupado com o que Sócrates possa dizer, aliás há muito mais gente preocupada
    que vem vociferar para os meios de comunicação e que não quer conhecer a verdade dos idos de 2011 para poder fazer comparações com os tempos actuais. Só espero que Sócrates não me desiluda e não deixe de dizer o que tiver de ser dito, custe a quem custar. E, já agora, que tenha cuidado com os entrevistadores pois naturalmente eles terão recomendações da mafia do Relvas para lhe colocar cascas de banana à frente dos pés.

  2. Desconheço se vai valer a pena. Aguardo, contudo, com curiosidade o conteúdo da entrevista de hoje. Pessoalmente, bem desejaria ‘sangue’. Menos um ajuste de contas. Porque este, tarde ou cedo, é inevitável e Sócrates bem pode poupar o esforço de zurzir os pulhas e trastes que por aí pululam. A seu tempo, o emigrado/semi-imigrante tratará de, polida ou acintosamente, descarnar os sabujos que nos estão a provocar tal efeito. Não que o homem seja um prodígio de ética. Mas petições deste género acredito que o estimulem ao comentário sumarento.

  3. o paulo ferreira e o vitor gonçalves vão ter um batalhão de analistas políticos a cagar perguntas nos aurículares e era bom que a rtp divulgasse os nomes destes anónimos que irão conduzir a entrevista para percebermos como é que se monta o circo. o outro lado lúdico da coisa vai ser o espectáculo da chegada do sócras à 5/10, com a concorrência a disputar imagens de rua e entrevistar manifestantes. será que o louceiro e o geropiga apanham boleia no tempo de antena?

  4. Lamento imenso, mas esta retórica não pode passar impune. Esta é a retórica da guerra civil, dos cidadãos sui generis contra os labregos do costume.
    Resumidamente e em forma de aviso à navegação: os projectos políticos constroem-se a partir de uma ideia comunidade. Os do Norte serão sempre diferentes dos do Sul mas há sempre uma plataforma de entendimento comum.

    Estar a humilhar publicamente quem assinou uma petição online é desde longo estar a fazer parte de uma narrativa cujo controlo vos tem escapado. A chamada de atenção para petições online faz parte de uma narrativa criada pelos meios de comunicação pré-internet, enquanto forma de medir o pulso ao ambiente mais ou menos contestarário que se vai sentido. É conversa para encher uma programação que de informativo não tem nada. Os meios que controlam o debate intelectual no espaço publico decidem que uma petição online é um instrumento de peso e a partir daí o não-debate está lançado.
    Aqui o erro é este: não só aceitam uma narrativa envenenada, como a expandem, insultando um povo que merece a pedagogia do debate, e não esta democracia do insulto.
    Qual é o espanto de não haver uma alternativa governativa convincente?

    Vem isto, portanto, a propósito de uma questão de perspectiva. Se o espaço cultural português é tão frágil como aparenta ser, é evidente que os debates públicos vão ser fraquíssimos, de um alcance nulo. O que acontece é que as pessoas, cidadãos iguais a nós, estão a ser entregues de mão beijada às feras deste capitalismo tardio. Há uma obra do Goya com um título lapidar: O Sono Da Razão Produz Monstros. Seria um bom ponto de partida para pensar o o Portugal de hoje.
    Este Monstros, materializam-se na cultura do tweet e do like, da anulação do debate. E vão criando lastro: não tivesse já esta lógica corporativista bem desenvolvida, não existiriam estes milhares de exércitos zombie prontos a assinar qualquer petição online, produto de uma diarreia mental sem fim à vista.

  5. É verdade Júlio,
    por muito que possa acontecer ver esta cambada de pulhas a disparar com todas as armas, e até à pedrada, a notícia já foi meia vitória daqueles que entendem que todos têm direito à sua espaço, privacidade e bom nome.

    Ver finalmente o político que mais tempo esteve em funções de soberania, nomeadamente mais de 10 anos como primeiro-ministro, longe do 2º classificado que levou apenas 5 anos e seis meses com as mesmas funções, sendo que apenas cerca de dois anos foram em governos constitucionais; que em 73 anos de vida já leva mais de 18 anos nos cadeirões do poder, tentar arranjar culpados para além dele na situação do país é de um descaramento sem comparação.

    De notar que os muitos casos de Sócrates passaram pelo crivo de inspeções, julgamentos, investigações aturadas e nada conseguiram provar, enquanto outro que nada explicaram sobre as suas mirabolantes aquisições, carreiras, fortunas pessoais, utilização abusiva de recursos do estado, fugas ao fisco, omissões de atuação, etc. e tal, preferem atirar lama para cima dos outros para ver se ninguém repara na sua.

    Se tivessem vergonha!…

  6. a coligação pcp, be, cds é a coligação dos eternamente afastados dos lugares de comentador, malta a quem os canais televisivos nunca fazem broches que bipolarizem e lhes estendam a passadeira para o poder que nos enfiou aqui.

  7. capitão anonimo,como eu gostava de um debate alargado! infelizmente para isso acontecer tinhamos que tambem dar abertura ao adeptos do antigo regime,que ao lado de alguns democratas do pcp são uns anjinhos.nota. pensando melhor. essa gente até devia estar a gradecida por terem assento na casa da democracia.

  8. “a coligação pcp, be, cds é a coligação dos eternamente afastados dos lugares de comentador…”

    não digas asneiras pá! cada um desses partidos tem mais comentadores e comentadeiras que o partido socialista, sem falar nos independentes e especialistas da treta televisiva que glorificam o regime e desancam no sócras diáriamente. não há pasquim, rádio ou tv que não tenha 1/2 dúzia de avençados do bloco para desacreditar a esquerda com aqueles broches que só eles sabem fazer. alguma vês viste a malta do avô jeropinga falar mais de um minuto sem dizer mal do ps? e quando atacam o pds, o que é que dizem? o mesmo que o cds diz aos feirantes e agricultores, portanto não estão afastados, estão unidos e bem unidos como sempre estiveram.

  9. Ouvi dizer que o agente técnico/delegado propaganda medica vai aparecer na entrevista com um boné da Octapharma AG

  10. “…pcp, be, cds é a coligação dos eternamente afastados dos lugares de comentador” – nm.

    Vive onde, nm? Se calhar só vê a Cubavisión. E a propósito da passadeira, o CDS está no poder, não sei se já lhe disseram.

  11. nm,
    BE afastado de lugar de comentador?!

    Então o Rosas não é do BE? O João Semedo também não? E a Joana Amaral Dias? E o Daniel Oliveira? E o Francisco Louçã?

    Ora bolas…

  12. Sócrates, está a comê-los de cebolada e explicar por A + B, a razão de estarmos enterrados neste pântano. A garotada aproveitou a oportunidade e atirou-se ao bolo, pouco se ralando com o povo.

  13. Júlio,

    já acreditas agora no que te disse antes? Todos os receios eram injustificados. Quando é que nos esquecemos do que é uma última amostra da Política? Algures durante esta miséria de mediocridade que alguém escolheu por nós. Pois como previ, arrasou está de volta e sem as correntes institucionais de ser primeiro-ministro leal às outras instituições.Que não lhe foram leais. Eraa a ética institucional. Agora éa ética da cidadania que muitos tentaram calar.
    Está com as asas soltas e é bom ver issso. Algus de nós, que andámos a pregar no deserto nestes dois anos, teremos concerteza sentido alguma emoção – eu senti. Tinha saudades de um político sério, de um discurso honesto, com fragilidades e sinceridades genuínas.

    A parte triste é que Políticos destes estão em extinção.

    Entretanto, o Cavaco deve estar com um ataque de caganeira parkisónica neste momento. Aguenta, que foi só o princípio. Era disto que os 100.000 da petição tinham medo E com toda a razão.Valeu toda a pena.

  14. “Era disto que os 100.000 da petição tinham medo. E com toda a razão.” – edie

    Subscrevo, porque sempre o pensei. 132.000 cobardolas, com apetência de censores.

    Sócrates saiu-se muito bem. Ele tinha razão em reaparecer. Talvez fosse mesmo este o momento mais acertado.

  15. claro. Só não é “talvez”. è de certeza o momento mais acertado. Ele sabe o que faz.Matou quatro coelhos de uma cajadada: a liderança mole do PS, o Cavaco, o Coelho e seu governo fantoche, e a propaganda da comunicação social da treta. E depois ainda rematou com um “sabe, tenho estado afastado da política”. Ainda por cima com sentido de humor. Baile do melhor.
    Party!
    http://www.youtube.com/watch?v=wvUQcnfwUUM

  16. Ignatz

    Tinha saudades de um político sério, de um discurso honesto, com fragilidades e sinceridades genuínas.

    Deves estar a falar do Papa. Será que o Papa deu uma entrevista e eu não vi!

    Quanto à entrevista do Sócrates, só imaginei estares a ouvir o sultão e a chorares como uma criança! eheheheh
    Como já tive oportunidade de dizer, ele é o líder natural do PS. Mas não respondeu ao fundamental. Isto é, que politicas tinha definido para implementar e cumprir o memorando acordado com a Troika? népia, néstes, rien, zero, nothing, nichts, nada, niente, nulla,
    Quanto ao resto, esteve dentro do que nos habituou. Mas esteve bem, sereno sem grandes atrapalhações, abusou muito da “narrativa”.
    O Seguro é passado. O Sócrates vai condicionar a agenda politica do PS de futuro.

  17. “o senhor presidente da república, se queria intervir, promover, evitar uma crise política, teve tempo para o fazer. Mas o senhor presidente da república, não teve interesse nisso. o discurso foi de oposição ao governo, fez de tudo para provocar uma crise política. A crise política foi, de certa forma, despoletada pelo senhor presidente da república”

    http://www.youtube.com/watch?v=SCRrXZP8b0I

  18. pois é, ficou tão confuso com os números (“o Paulo Ferreira que é economista” (malandro do bicho) como o rodrigues com tudo em geral….Rodrigues, estás bem? Pareces-me algo confuso, um tudo-nada desnorteado.

  19. Edie

    Estou bem? estas a brincar comigo! O Sócrates não disse nada de novo. Vai ter tempo para dizer que politicas é que ia pôr em pratica, para cumprir o memorando. Reconheceu mais erros (BPN, Aumento da função pública) quando disse ” agora é fácil dizer”, do que vocês reconhecem aqui. Eu não disse que ele deveria estar mais que arrependido por ter nacionalizado o BPN. Caiu que nem um patinho com o chavão do ” problema sistémico”.
    O problema dele é que não vê, mas ainda vai reconhecer e dar-me razão, de que o PEC4 deveria ter sido posto em prática em 2006. Esta é a grande falha da governação de Sócrates. Andou a tapar o sol com a peneira, aumentando os impostos para baixar o défice, mas não resolveu os problemas estruturais da economia portuguesa.
    Deveria ter tido outro ministro da finanças. Ele não era obrigado a saber de finanças, mas tinha a obrigação de ter escolhido alguém com competência para fazer o que tinha de ser feito. Embarcou na demagogia, mas o problema foi quando chegou a hora de pagar as contas e não havia cacau. Pois é……

  20. PEC IV em 2006?!

    Mas já chegamos à feira do disparate? Então a crise que teve o seu início em Julho de 2007 (crise dos subprimes) deveria ter dado origem a um PEC antes de a UE ter defenido a sua obrigatoriedade, e em 2006!?

    Deveria Sócrates ter sido o Zandinga mundial e ter a capacidade que muitos se arvoram de sempre descobrirem as crises antes de estas deflagrarem? Deveria ter sido o único a acreditar em Roubini, adivinhando que a crise iria chegar à Europa e que a UE ficaria de braços amarrados sem resolver o problema?

    Claro que a entrada no MTC e a fixação da paridade com o ECU não teve nada a ver com o assunto, não foi?

    Quando a Alemanha fez borrada em 95 também não interessa, do mesmo modo que não interessará a visão do “iluminado” Catroga que entendia que o escudo em relação à pesesta estava subavaliado!!!!

    Pois, como agora é moda, é passado, não interessa, o Sócrates é que devia ter resolvido tudo e de preferência num dia, da parte damanhã, ao fim de quinze minutos de reflexão, a olhar o Tejo.

  21. Teófilo M

    Se não és burro, ou imitas muito bem ou disfarças muito mal. Nós temos uma crise orçamental desde 2000 e um problema estrutural da nossa economia que deveria ter começado a ser resolvido à mais de uma década. O Sócrates desperdiçou a maioria absoluta que o povo lhe deu, para fazer as reformas do Estado e os ajustamentos necessários à nossa economia (o que é proposto no PEC4), a fim de aumentar a nossa produtividade e, por conseguinte, tornar o país mais competitivo. Não era necessário ser nenhum Zandinga, bastava não se ter acomodado à demagogia barata. Quando rebentou a crise em 2008, vieram ao de cima as vulnerabilidades da nossa economia e a insustentabilidade deste Estado que vocês defendem. Por isso, em países com a nossa dimensão que adotaram as mesmas politicas expansionistas em 2009/10, para minimizar o reflexo da crise dos subprime, o défice foi de 5% e o nosso de 10%.
    Agora compreendes porque é que eu falo no PEC4 em 2006, ou tenho que fazer o bonequinho para deixares de ser ignorante. Se realmente tivesses compreendido o PEC 4 e o que está em causa, não tinhas feito esta observação bacoca e desajustada. Depois eu é que não li o PEC4 óh tótó!
    O Sócrates era capaz de ter razão sobre o facto do PEC4 ter sido a solução para Portugal, se tivesse criado políticas para o implementar em 2006. Agora vir dizer que aquilo era solução em 2011, esquece, é mesmo “sem noção”, como dizem os brasileiros.

  22. Francisco,
    já reparei que de vez em quando o estilo desaparece e o carroceiro aparece.

    Se quer passar ao insulto, acredite que eu para si apenas sirvo de espelho e apenas reflito a imagem do meu interlocutor.

    Passe bem!

  23. Teófilo M

    já reparei que de vez em quando o estilo desaparece e o carroceiro aparece

    Maior insulto que tu fizeste, nas tuas afirmações sobre o Holocausto, a 6 milhões de judeus é impossível. Depois vens com um ar ofendido, sobre o meu estilo, por ter respondido “à Sócrates” ao tom jocoso da tua observação, pelas minha afirmações, sobre o PEC4 e a data em que deveria ter sido implementado.
    Deixa de ser manso, os tempos não estão para isso!

    Já agora uma boa Páscoa para ti e família.

  24. Teófilo M

    Depois eu é que não li o PEC4 óh tótó!

    Desculpa, efetivamente esta não era para ti, mas sim para o des(Atento).

    abraço

  25. francisco rodrigues, es bom rapaz, mas gostas muito de fazer totolotos à segunda-feira e omisssões sempre que te derem jeito, talvez por falta de memoria! diz-me quem foi mais refomista depois abril do que socrates? a crise internacional e o odio que a direita nutre por ele,(por os ter mandado para a ptq ) mais a cumplicidade habitual dos “suspeitos do costume” pasme-se! ao lado dos social-fascistas do pcp,puseram o pais nesta situaçao cujo fim é mais um resgate. depois quem sabe aparecem aqueles que despois do saque ,daõ um pao por dia a toda a gente com a exceçao dos camaradas do partido que gozam de estatuto previligiado.

  26. Nuno cm

    diz-me quem foi mais reformista depois abril do que Sócrates?

    Essa é de caretas! Foram o 3 Governos de Cavaco Silva 1985/95. Tens dúvidas, ou só nasceste para a política em 2005?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.