A espiral depressiva

Cavaco tentou hoje alijar responsabilidades pessoais pela espiral recessiva:

“O governo tem a confiança da Assembleia da República. O governo não responde politicamente perante o Presidente da República”.

Parecia mesmo que ia a dizer que o Governo não tem a confiança do Presidente da República, mas era alarme falso:

“O governo não responde politicamente perante o Presidente”.

Apetece perguntar-lhe:

– E telefonicamente, já tentou?

Já tínhamos a espiral recessiva. Agora, graças a Cavaco, temos a espiral depressiva. Quando fala, o país fica mais um bocadinho na fossa.

One thought on “A espiral depressiva”

  1. o cavacóide esteve um mês sem sair de belém e ao fim de 30 dias aparece para inaugurar uns melhoramentos numa moagem, onde entrou pela porta dos fundos com segurança que faria inveja ao kadafi, para dizer que o presidente da república não se pode desgastar e que as vozes da manifestação “não podem deixar de ser escutadas”. esta merda quer dizer o quê? que vai pedir os brutos à rtp para ouvir ao serão com a maria. andam todos a gozar com o pessoal, nunca tinha visto disto e ainda há para aí quem se queixe do chavez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.