Como seria se Vasco Graça Moura tivesse um gémeo de esquerda?

«Os direitistas são todos umas bestas que salivam ante a perspectiva de verem mais uma família palestiniana em pedaços. Apoiam Israel só porque o seu mestre, Bush II, assim comanda. Para eles, se um palestiniano reclama pelas horas que passa todos os dias em check-points israelitas, é por certo um terrorista em potência, candidato a evisceração imediata e sem piedade.
O pessoal de direita finge ignorar que o estado israelita foi fundado em massacres como o de Deir Yassin e numa limpeza étnica que ainda hoje mantém centenas de milhares longe das suas terras. Essa malta nojenta vira a cara para não ter de encarar as criminosas acções dos sionistas e dos seus lacaios ao longo dos tempos. Para eles, tudo o que vem de Israel é bom, pelo simples facto de se tratar de uma democracia, mesmo que a sua organização faça lembrar bastante mais Esparta do que Atenas. Ou talvez seja apenas porque é assim que os círculos do pedantismo bem pensante vêem o mundo, entre fumaças de Cohibas e mais uma citação de Oakeshott sacada à pressa da Internet.
A cada edifício civil destruído em Beirute, abrem mais uma garrafa de caro champagne; a cada ambulância pulverizada, gritam novos “vivas” ao poderio angélico e sempre esclarecido do Tsahal.
Se alguém ousa levantar a grimpa, é por certo um pós-soviético, um anti-semita do piorio e um anti-americano com posters de Bin Laden e do WTC destruído a encimar um pequeno santuário dedicado a Estaline.
Claro que não tenho de provar nenhum destes vómitos disfarçados de prosa. Sou poeta e os poetas vivem acima de pormenores como a inteligência, a verosimilhança e o equilíbrio.»


Esta poderia bem ser uma crónica do hipotético gémeo vermelhusco do vate Graça Moura. Mas empalidece por moderação e bom senso quando comparada com o texto que este hoje assina no DN, transparentemente intitulado “As esquerdas anti-semitas”. Onde podemos ler coisas deste nível: “Disseram lamentar a chacina (do 11 de Setembro) mas no íntimo rejubilaram. O poderio norte-americano, a democracia representativa, a civilização ocidental, tudo isso era posto em causa por uma horda suicida. Não faltaram os malabarismos intelectuais repugnantemente apologéticos. No conflito palestiniano, os pós-soviéticos não se impressionam com a perda de vidas civis causada pelo terrorismo em Israel (e ainda menos com os sucessivos genocídios que têm vitimado milhões de seres humanos em África).(??)”; “Não se preocupam com o facto de o Hezbollah não bombardear unidades militares, mas sim as populações. Aí, calam-se circunspectamente.”; “Formalistas sempre que lhes convém, angelizam o terrorismo.”; “Na sua batota totalitária, desceram tão baixo que até já nem acham que a religião seja o ópio do povo! Tudo serve, desde que aponte a Israel e aos EUA. Nesse caso, centenas ou milhares de mortos já não têm importância nenhuma.”; “E nutrem um ódio étnico e torpe contra os judeus.”; “Os pós-soviéticos, que nem sequer criticam o negacionismo dos nazis iranianos, mantiveram-se reverentemente impregnados até à medula desse anti-semitismo atávico. Mas indignam-se virtuosamente contra o racismo e a xenofobia.”

Como compêndio da estupidez sectária, é imbatível. Ignoro quem sejam, ao certo, esses “pós-soviéticos” que pululam no mundo maniqueu e apertadinho de VGM. Mas presumo que não se trate apenas dos seguidores do camarada Jerónimo; desconfio mesmo que esse rótulo sirva para englobar toda a gente que não pensa como ele.
Só não sei bem se uma criatura capaz de escrever tais coisas faz mais pena ou nojo.

65 thoughts on “Como seria se Vasco Graça Moura tivesse um gémeo de esquerda?”

  1. Gémeo de esquerda, estritamente, não tem. Mas se quiserem ler atoardas simétricas, basta irem ao blog do Daniel Oliveira (a escrita é fraquinha, mas a “estupidez sectária” está lá toda). O mais engraçado nisto tudo é que cada um dos lados se acha moderado. Mas, sinceramente, encontra-se mais moderação num debate entre sportinguistas e benfiquistas meia-hora antes de um jogo.

  2. O gémeo vermelhusco do Graça Moura, que nem tem graça que se veja nem potência para satisfazer uma moura, saberia bem do que falaria.

    Afinal de contas, se alguma coisa o homem conheceria, seria o irmão nazistóide que teria…

    A falha dele, falha única, mas falha fundamental, seria confundir “a direita” com aquela insuportavelmente imbecil fracção da direita que escreve em blogues e nos jornais deste país de anedota.

    Felizmente as duas coisas não são bem a mesma coisa.

    Ainda.

    Para lá caminham, com “ídolos” deste calibre.

  3. Jorge,

    Pois. O que se passa com muita desta malta é que escolhem fazer de conta que só existe uma esquerda, convenientemente sanguinolenta, básica e iletrada.
    O Daniel Oliveira, por exemplo, terá os seus defeitos; mas nunca o vi falar da Direita como se esta fosse uma massa homogénea e estúpida, como o fazem o VGM e o Pereira Coutinho a propósito dos seus adversários.

  4. Lêa-se e pasme-se com este Graça Moura (em que parte de Alfama é que ele teria desencantado este nome). Ainda gostaria de saber se as anedóticas acusações que ele faz nos ajudam a ajuizar do tipo de poesia que ele oferece para consumo à macacada.

    Só pego nesta. Sim houve muita gente que se encheu de jubilo com o 9-11. À cabeça vêm-me os dois israelitas com passaportes americanos que foram apanhados aos pulos de frenética alegria e depois de presos deixaram-nos ir para casa. E também me lembro dum senhor chamado Silverstein que fez umza porrada de dólares com o seguro. Imagino que com muita alegria. Outros que devem ter ficado contentes à brava são alguns dos “terroristas” que se disse terem morrido nesses aviões e depois apareceram a comer tâmaras e a beber chá noutros países.

    A mim não me dá pena nem nojo: acho Graça.

    TT

  5. “Aplicando a lógica dos anti-semitas à Europa, a resposta do Governo Espanhol aos ataques do 11 de Março em Espanha foi desproporcionada. Só morreu uma centena de pessoas em comparação com os milhares que morrem no mar, deliberadamente afundados pelas autoridades castelhanas”. – Kitéria Bárbuda in “A Verdade”, Revista “Espírito”, nº 37, 2006.

  6. Vasculhei alguns posts do impagavel Candeias na tentativa de achar uma frase que incluisse a palavra “direita” e nao incluisse tambem a palavra “imbecis”, mas em vao. Mas achei muito moderado e equilibrado o momento no seu bloguezinho em que chama nazis aos israelitas. E poe-se esta malta em bicos de pes quando se olham no espelho e encontram os Gracas Mouras, que mais nao sao do que os seus reflexos. Que comedia.

  7. “Isto de porem um amigo dos terroristas a dirigir a ONU tem destas coisas: Kofi esteve envolvido com o filho nos negócios escuros com Saddam e agora acusa Israel de ter bombardeado deliberadamente o posto de observação no Sul do Líbano. Quanto à invasão de Israel pelo Líbano, que causou a morte de 8 israelitas, nem uma palavra.” – Kitéria Bárbuda in “A Verdade”, Revista “Espírito”, nº 37, 2006.

  8. De poeta não tens nada.deixa essse antagonismo bacouco em relação a Israel. Lê e informa-te antes de escreveres disparates. Quem é que quer destruir quem? O Hezbollah desde quando é que protege os Palestinianos ou Libaneses?. Quem foi que disse ha uns tempos atras nos atentados de londres que os mortos civis não contavam porque não seguiam o Islão?Mas depois dos ataques de israel foi o primeiro a querer sair do Libano a conta dos impios.tenho pena de Ti que és anão mas que tenta aqui chegar aos calcanhares do VGM.Mas continua não percas a esperança um dia ainda vais ser Martir da causa. Esforca-te e nao te esquecas que o sacrificio vale a pena afinal de contas sempre teras 60 vigens a tua espera

  9. “Outros que devem ter ficado contentes à brava são alguns dos “terroristas” que se disse terem morrido nesses aviões e depois apareceram a comer tâmaras e a beber chá noutros países.”

    Tão giro o TT. Já deu pra perceber que o Tadeuzinho engole qualquer conspiração que lhe sirvam. No entanto, se se der ao trabalho de visitar o site da 9/11 commission (http://www.9-11commission.gov/) e ler o relatório final, tem lá a explicação óbvia(infelizmente, não tão exótica ou digna de apreciadores de um Dan Brown) para aquelas inanidades que escreve: houve terroristas participantes no 9/11 que operaram sob identidades ilicitamente subtraídas a terceiros (que, felizmente, continuam vivos). Lamentamos ter demolido mais uma risível conspiração naquela cabecinha…

  10. Já esta tarde um camião com apoio humanitário, que se dirigia ao sul do Libano, foi bombardeado pela aviação israelita.

    Resultado um morto e dois feridos, e a carga destruida.

    E Israel ainda hoje dizia que permitia os combioios humanitários…. pelos vistos o tiro ao alvo da aviação israelita é o actual jogo desta gente.

    Militares da Onu, ambulancias da Cruz Vermelha, civis brasileiros,canadianos e franceses, colunas com civis libaneses em fuga, atacadas com bombas de fosforo, refugios de civis atacados com bombas de deflagração ( uma portuguesa chegada ante-ontem deu um testemunho impressionante)

    E assim vai a situação no Médio-Oriente.

    Quanto ao Luis Amado deve estar á espera das ordens do Bush para se pronunciar….

  11. Sr Este…

    Tu nem uma pila murcha consegues demolir, quanto mais uma conspiração. Cresce e aparece meu cara de cu à paisana!

    TT

    PS E só não levas uma resposta mais comprida porque os teus amigos não gostam do comprimento dela. Capiça?

  12. En la liuta del el estado paranioico con los bombistias maliucos, es sempre el mexilhion que se fiode.

  13. “Vasculhei alguns posts do impagavel Candeias na tentativa de achar uma frase que incluisse a palavra “direita” e nao incluisse tambem a palavra “imbecis”, mas em vao”, diz um anónimo que diz chamar-se “getulio”.

    Ah, os discipulozinhos de Goering… São tão divertidos! Tudo o que escrevem é tão verdadeiro!…

    Pois se eu não tenho, em NENHUM dos posts que estão neste momento na página inicial do blog, UMA ÚNICA VEZ a palavra “direita”, como queria ele encontrar algum post em que esta palavra não viesse de mãos dadas com a palavra “imbecil”?!

    É um bocadinho imbecil, convenhamos.

    Quanto ao resto, se estás assim tão determinado a encontrar posts que não incluam as duas palavras, pazeco, vai ao google e digita assim:

    direita -imbecil site:lampadamagica.blogspot.com

    Já agora, se quiseres encontrar a expressão “direita imbecil” no mesmo blog, vai ao google e escreve:

    “direita imbecil” site:lampadamagica.blogspot.com

    No primeiro caso, tens “cerca de” 39 resultados; no segundo não tens nenhum. Se quiseres encontrar o que procuras, vais ter de tirar as aspas e incluir “direita” e “imbecis”. Aí, realmente, vais encontrar um post em que falo de tipos como tu, os imbecis de (extrema-)direita. Com aquele que ainda não está no Google por ser demasiado recente, faz dois. O blogue tem três anos e bem mais de mil posts.

    Ainda tens muito que aprender para chegar aos calcanhares do teu patrono alemão, pazinho. Cresce e aparece.

  14. O Candeias deve ter sentido uns graos de sal na ferida para se por com tanta explicacao. Obrigadinho pelo seminario sobre o uso do Google, deste anonimo que “se diz chamar Getulio” (tipica paranoia esquerdalha). Aprecio o teu sentido de triunfo quando viste que a careca nao estava descoberta, mas ambos sabemos que a palavra “direita” nos teus miolos complexados tem exactamente a mesma conotacao que a palavra “esquerda” tem nos miolos do Graca Moura. Era apenas isso que eu queria dizer. Gentalha como tu e ele sao dois lados da mesma poca de lama. A diferenca e que ele escreve melhor e tem, de vez em quando, algumas transaccoes com a Realidade que tu tanto evitas.

  15. E obrigado pelo “discipulos de Goering”. Uma excelente variacao sobre o habitual “discipulos de Lenin” que o Graca Moura tanto gosta de usar. A serio, entrem em contacto, voces sao almas gemeas.

  16. Calma comadres… Eu não disse? No forum do meu Sporting nao encontram lá disto. Nem sequer vindo da lampionagem. E posso discordar de muita opinião do Daniel Oliveira, mas, desportivamente, o coração dele está no sitio certo.

  17. Lá está: mais Goering.

    Se não se responde a merdas destes, é-se “apanhado em flagrante e ficou-se sem resposta”;

    Se se responde com factos e explicações que vão um bocadinho acima do simplismo imbecil típico destes canalhas, “deve ter-se um grão de sal na ferida”;

    Se se responde simplesmente com a afirmação verdadeira de que estes merdas são mentirosos, sem provar, sem as tais “explicações detalhadas”, está-se a “insultar sem provas”.

    Enfim… são os direitinhas que vamos tendo a comentar em blogues… puro lixo. Os outros, pelos vistos, têm mais que fazer.

    Se calhar, fazem eles bem.

  18. Eu tenho algumas ideias do VGM, por amizades familiares. Magnífico poeta e tradutor, passa-se completamente quando resolve falar de política interna e externa. Só vê as coisas segundo o seu prisma, e tende a tomar algumas partes pelo todo,muitas vezes por puro oportunismo. Não lhe peçam o que ele não pode dar: lucidez opinativa.
    Coisa curiosa: ele reclama-se de esquerda.

  19. Como a ma caricatura de um personagem histerico de Philip Roth que por vezes aparenta ser, o Candeias continua a confundir o teclado com um megafone e a preferir um bom perdigoto a uma boa ideia ou uma boa frase. “Escarro”, “parvalhao”, “canalha”, “filho da puta” e “atrasado mental”: o belo e elevadissimo somatorio daquilo que ele pensa sobre a direita, que para ele e quase sempre extrema. Faltou chamar-me “mau”, “ranhoso” e lembrar-me que o pai dele poderia, sem grandes dificuldades, bater no meu. O meu post inicial queria apenas sugerir que as bujardas do Graca Moura – que quando fala de algo que nao seja ficcao ou poesia tem o tacto de um bisonte – tem muitos ecos na esquerda. Queria sugerir que a histeria trauliteira do Candeias, la por ser do outro lado do rio, faz parte da mesma lama. Mas com cada paragrafozinho excitado que escreve, ele desmente-me. Nao es igual, nao. Es muito pior, vais muito mais longe e desces muito mais baixo.

  20. Poupando uma visita à Lâmpada para ler o tal “post inicial” deste aborto, aqui fica um excerto:

    “Mesmo no meio do estrume da blogosfera de esquerda, o cheiro que daqui emana consegue virar as tripas do avesso. Devias ter vergonha nessa tromba.”

    Palavras para quê?

    É evidente que a resposta foi violenta. E a cada bocadinho de muco que sai da pena desta lombriga mais me parece que não o foi o suficiente.

  21. Só mais uma citação, agora da tal resposta (a propósito, ó Goering de sarjeta: esqueceste-te de “cavalgadura”, “asco em forma humana” e “alimária”. Sejamos completos):

    “Felizmente não confundo cavalgaduras que se escondem no anonimato para insultar em blogues, como tu, com a direita. Há a extrema-direita […] e depois há a direita que não é extrema, que é gente que ainda tem algo diferente de merda dentro da cabeça. Conheço vários. […]”

    Isto é para mostrar até que ponto os qualificativos que eu aplico a bestas como este canalhita se referem ao que “eu penso sobre a direita”.

    Não só é mentiroso compulsivo, como é péssimo mentiroso compulsivo.

  22. LEITURAS DE SÔ TADEU, QUE TAMBÉM USA TT

    A “Nova Ordem Mundial” sofre de dois poréns, que ela não é nem “nova” nem cobre o mundo. O conceito não é nada exceto uma nova máscara atrás da qual está escondido o poder internacional das organizações judaicas. A regra segundo a qual as organizações judaicas agem foi colocada após a derrota da Alemanha na II Guerra Mundial. De fato e na verdade, foi a máfia das organizações judaicas que emergiu como verdadeira vitoriosa daquela luta das nações.

    Todos os governos que se aliaram contra a Alemanha perderam a guerra – como a Alemanha perdeu. Os Estados que se aliaram com a Alemanha eram, sabendo eles ou não, a serviço dos planos e interesses judaicos que foram dirigidos não apenas contra a Alemanha mas também contra as nações árabes e islâmicas, e contra as nações ocidentais. O estupro da Palestina e a criação do Estado de Israel após a II Guerra Mundial não é coincidência mas o resultado de um processo de planejamento metodicamente implementado por gerações.

    A ex-União Soviética (que fora criada pelos judeus) foi o primeiro Estado a dar reconhecimento oficial ao Estado colonial de Israel. Os “Protocolos dos Sábios de Sião” oferece a mais clara afirmação dos planos das organizações judaicas de implementar sua na verdade bem velha “Nova Ordem Mundial”.

    Só para apreciadores

    http://www.geocities.com/athens/atrium/3336/entrevista2.htm

  23. Adolf Hitler foi, no século que caminhava para o ocaso,o grande nome que se opôs às forças ocultas sionistas de que fala o TT. Ele não se restringiu em nomeá-las com rodeios ou subterfúgios, não se valeu de meias palavras, de mensagens enigmáticas. Afirmou em claro e bom som: “Se as nações e a Igreja não se rebelarem contra a sinagoga de satanás, o globo terrestre mergulhará no abismo e, possivelmente, o planeta venha a girar sem vida para a eternidade.” Era uma época em que o arsenal nuclear não passava além do campo da ficção científica. A belicosidade de Israel e dos Hebreus espalhados pelo mundo, o domínio por eles exercidos junto aos governos, a ignorância dos povos ante o andamento do plano diabólico contido nos Protocolos, o enfraquecimento do Cristianismo – o mais tradicional inimigo dos judeus, tudo isso contribui para que a exortação de Hitler continue viva!

    Se o Poder Oculto é um grupo humano, se representa raça, cujos membros estão unidos por um pacto social e religioso, essa raça possui aquilo que precisa para durar. Destruindo nas nações cristãs o pacto social e religioso que mantinha a duração destas enquanto sociedades divinamente ordenadas até ao séc. XVIII, assim as tornou inferiores e tem probabilidades de vencê-las. Quer agora destruir a mesma ordenação Divina da sociedade muçulmana para instaurar a anarquia dos vendidos ao comércio e ao dinheiro. Substituindo este pacto pela religião materialista que suprime todo o ideal espiritual e redentor, precipitando as nações na busca de um estado social tanto mais incoerente quanto é precisamente mais susceptível de se tornar impossível este estado, o Poder-Oculto consegue pôr os mundos cristão e islâmico em pleno absurdo, em completa demência. Se se deixarem abater.

  24. Foto 1: Israeli policemen arrest an Israeli left wing demonstrator in Tel Aviv, Sunday, July 16, 2006.
    About 1,000 left wing activists protested against Israel’s military offensive in Lebanon calling for an end of the operation.
    Photo: Tsafrir Abayov/AP
    Foto 2: Police holds back a man as he shouts against few hundred Israeli left-wing activists marching to protest against the ongoing military campaign of the Israeli army in Lebanon in Tel Aviv, Saturday, July 22, 2006.
    Photo: Sebastian Scheiner/AP

    ***
    [1033] — Em Beirute, curiosamente, ninguém protesta contra o Hezbollah. À boa maneira de alguns regimes que não preciso de citar, o movimento tem 100% de apoio…
    Nem um único libanês — muçulmano xiita, sunita, ou cristão maronita — contesta as opções políticas e militares do Hezbollah.
    Porque será?

  25. I just finished talking to an old friend of mine back in Lebanon. He is shia from Tyre and as long as I can remember, he has always been sympathetic with HA. I always related this sympathy to the fact that he was in a HA elementary school.

    Our brief discussion quickly turned into him “lecturing” me about the importance of not being swayed by the propaganda and aligning my position with HA since, due to the lack of choice, I was born a shia, “a 220” Volt (yes, in lebanon, the shia run on 220 volt AC power, unlike the rest of the population who run on 110 volts). The fact that I don’t believe in God (a precursor to I don’t believe in Shia, Sunni, Islam, Christianity, Judaism) never registered in his brain.

    Anyways, after our blame game and my “disappointing” stance, my friend reverted to reminding me of the pictures of death and destruction that have befallen Lebanon due to the Israeli aggression. But after I questioned how someone (HA) that was there to (allegedly) protect us, ended up bringing all this destruction from “the enemy”, and questioning what we gained from the destruction, his answer was brief and swift: “Honor”

    So to my HA shiite friend, Honor is the vice that would make a community die, leave their homes, and starve. It’s sad to see an entire community live and die by such a definition of Honor. It’s even sadder to see an entire country being dragged into serving such Honor.

    I for one choose not to be Honorable.

  26. Well, Hassan Nasrallah of Hezbollah fame is busy celebrating the destruction of his country on various Arab TV channels, a development that is currently affording him the opportunity to prove his worth in the Arab Street as a hero of the national resistance.

    Indeed, and as the Israelis continue to bombard Lebanon back to the Stone Age, killing more than 400 civilians so far (not counting the bodies still buried under the rubble) and causing more than 10 billion USD in damages, and counting, the turbaned symbol of our forever impending national salvation continues to promise us victory, a feat that will likely assume the form of personal survival, namely: his.

    For the main difference between Islam and Christianity seems to lie in the nature of our messianic figures. The Christian Messiah goes to the cross to redeem the sins of the flock. Islamic Messiahs (plural is both necessary and factual), on the other hand, have always sent the flock to the cross for their sins. But, having had a long history of behaving in a manner similar to Islamic messiahs, Jewish leaders, seems to have come up with an ingenious compromise here, namely: sending other people, messiahs and all, to the cross for their sins, for these people’s particular sins, and for the sins of whoever happened to be in the neighborhood at the time. You can even bid to have your sins redeemed in the process.

    So, as Nasrallah’s rockets poke occasional holes in Israeli buildings, and Israeli bombs often bringing down whole buildings on top of occasional Hezbollah fighters, the promised victory is threatening to assume the guise of a series of little defeats, adding up to a catastrophe of major proportions, that only the survival of our Lord of Desolation can help mask. But if our recent history has taught us anything is that much can indeed be swept under the turbans of our leaders, be they real or purely figurative, the turbans that is.

  27. O Graça Moura, perdeu uma oportunidade de estar calado.
    Ele de esquerda? interessante! se ele de esquerda, eu marciano!
    O Graça Moura, como pessoa culta que é, devia ter lido um bocadinho da “história da salvação”, ou história do povo Judeu.
    Só o nome dá uma pista. mas Como o Vasco vai cego na sua senha, eu explico:
    Israel é um estado confessional. O Povo judeu tem uma visão escatológica emessiânica do seu destino como povo e nação, que alimenta há mais de 4.000 anos.
    Por isso Israel acha-se divinamente legitimado para responder a qualquer agressão. Não há razão que ponha cobro e este fundamentalismo de estado.
    Mas sustentar, como Graça Moura, com pretensas omissões de passado, que certas pessoas não têm legitimidade para criticar, é no mínimo intelectualmente deshonesto. assim… nem a ele reconheceríamos legitimidade para criticar quem quer que fosse!
    “É que vê o Algueiro no ollho do vizinho, mas não descortina a trave no seu”!

  28. Tem toda a razão, AM. O gémeo sinistro do VGM está convenientemente envergonhado pela calinada e agradece-lhe o reparo.

  29. Venho aqui poucas vezes, mas quando venho divirto-me, em grande, a ler estes comentários. Confesso que venho menos vezes porque alguns dos comentários me enojam de tal maneira que perco logo a vontade.
    Mas, neste post, impunha-se resistir, devido à importância do tema.
    Em primeiro lugar, quanto ao post em si, apesar de eu concordar com a avaliação feita quanto à questão do médio oriente e de concordar, também, que Israel é um estado terrorista (que está a cavar a sua própria ruína) que tem de ser travado, em nome das regras mínimas de civilidade, acho que o post é, também ele, uma mistificação.
    Por quê?
    Porque se é verdade que se podem considerar de direita (com todos os adjectivos usados) as falácias ditas acerca desta questão, tão grave e alarmante para o futuro da humanidade, não é menos verdade que essas concepções e essas “opções ideológicas” estão em reduzida minoria na sociedade ocidental. No entanto, todos os governos ocidentais (e não só) compactuam com aqueles crimes abomináveis e são cúmplices quer do governo israelita quer da administração americana. Em nome de quem, afinal?
    A comunicação social segue a mesma linha…
    E as atitudes nojentas e abjectas de Durão acerca deste asssunto, em representação duma europa onde a esmagadora maioria da população está contra estas infâmias todas?
    É por isso que eu defendo a valoração da abstenção. É que, assim, deixaria de haver espaço para uns (de direita?) colaborarem com essas perfídias e os restantes políticos, incluindo os que se dizem de esquerda, contemporizarem com quem COLABORA, ficando-se pela demagogia cínica, ao invés de exigirem que se respeita a vontade, o querer, os sentimentos e as opiniões das maiorias das populações…
    Ou seja, a meu ver são todos iguais e igualmente cúmplices…
    Quanto aos comentários, amigo Jorge, você tem de deixar de ser ingénuo. Então não sabe que, com esse tipo de gente, é “preso por ter cão e preso por não ter”? Por isso eu apago e não me pesa nada na consciência…
    Mas veja como “eles” conseguiram desviar o assunto, banalizá-lo, com insultos, achincalhando, introduzindo outras questões marginais ou insignificantes… São mesmo tácticas de provocadores… As mesmas que são usadas para fomentar e alimentar estes conflitos e outros, com que se pretende desestabilizar as sociedades, criar insegurança, alimentar o medo e a confusão… para melhor dominarem o Mundo… E note que eu sou absolutamente contra qualquer teoria sustentada em maniqueismos, ou em xenofobias; muito menos em anti… o que quer que seja.
    A única coisa que sou é PRÓ democracia, civilizaçâo, civismo, paz, respeito pelos povos… Nesta luta cabem todas as pessoas de bem, independentemente das suas características específicas (se as tiverem).

  30. Oh Biranta tu não deves fumar essa erva estragada porque depois não dizes coisa com coisa. Lá no bloco continuam pelos vistos a venderem essa porcaria.Deixa Israel em Paz porque gracas a Deus eles nao precisam de ti para nada. Mas nao te vi falar nada sobre aqueles rapazinhos que aparecem de cara tapada e que querem a viva força que todos os outros sigam os seus principios e fé.Mas engracado que quando toca oa martirio mandam sempre os mais desgracados a frente. O Céu bem pode esperar é que na Terra esta-se muito melhor, principalmente com o dinheiro dos ditos porcos Ocidentais. Por acaso ja falaste da Coreia do Norte e do genocidio que é praticado pelo seu governo? e as liberdades no irão?

  31. Para o partido de Deus. Voces vem de que zona do Universo? mas pelos comentarios devem vei bem de longe e a snifar muita poeira cosmica. A tese da conspiracao so cabe me mentes muito doentes. Infelizmente os nossos hospicios estao cheios. Mas de qualquer maneira eu se fosse governo tinha tomado ja medidas porque estes Senhores do partido de Deus deveriam ser considerados uma calamidade publica e devidamente internados.

  32. Sabes Morais, por muito baixo que esses fanáticos de cara tapada sejam condenáveis , nunca até hoje chegaram ao ponto de armadilharem cadaveres de prisioneiros ,como o fizeram os pais fundadores do Estado de Israel….

    Lê a história de Israel e lê os crimes que esta gente tem praticado e depois fala, mas com conhecimento…..

  33. A adulta resposta do Candeias e, portanto, esta: “Foi ele quem comecou”. Rapaz, tu es um achado. Mas volta la para o recreio que ja devem andar aflitos a tua procura.

  34. Israel é um estado terrorista! Sempre foi!
    “Quem semeia ventos colhe tempestades!” Israel não tem paz, nem nunca terá, porque semeia guerra, genocídio, massacres. Aliás foi assim que desalojou os árabes das terras que hoje ocupa.
    Terão o que merecem, cedo ou tarde, porque “nenhuma associação de facínoras sobrevive aos seus crimes”. O governo de Israel é uma associação de facínoras e a história não perdoa (nem Deus, graças a Deus!).
    Engraçada essa treta dos “de cara tapada”. Tu percebes imenso disso…
    Curioso é que eu acho que foi “tão conveniente” (sobretudo para a indústria do armamento que tem de ter sempre uma guerra activa) o rapto do tal soldado que até desconfio que foi “serviço” encomendado por Israel (pelo Mossad) a algum dos muitos provocadores infiltrados entre os “fundamentalistas”… Isto se não tiver sido um “inside job”, tal como o 11 de Setembro.
    Isso dos “inside jobs” já se tornou tão banal, usado e abusado, que já não surpreende ninguém.
    Para mentes perversas, de facínoras, qualquer pretexto serve para justificar o injustificável… Mas nas notícias que nos obrigam a engolir dá-se SEMPRE destaque às “justificações” de Israel e dos USA, como se actos infames como aqueles fossem justificáveis.
    Como vês, aqui a pastar erva, burro mesmo, só existes tu!

  35. Tem calma depois da pedrada vem a ressaca. Mas tem calma porque não vale a pena ficares exaltado. Ainda entras nas estatisticas que infelizmente existem em Portugal de mortes cardio-vasculares.Vou-te conatr um bocadinho da historia de Israel que tem mais de 3.000 anos. Contam alguns textos traduzidos de anotações muito antigas que há mais de 3000 anos, pressionados pelas constantes guerras com os povos vizinhos, as 12 tribos (de guerreiros) de Israel se unificaram no reinado de Saul, por volta de 1046 a.C. Davi quando se tornou rei, em cerca de 1006 a.C., e expande o território de Israel, alcançando o seu apogeu sob Salomão, entre 966 a.C. e 926 a.C. Com a morte de Salomão, sucede Roboão, seu filho. Devido a sua má administração inicial, o reino é divido em dois, o Reino Meridional (Judá) e o Reino Setentrional de Israel (10 Tribos).

    Ambos reinos enfrentam períodos de crises politicas e religiosas que põe em causa a sobrevivência da própria nação judáica, possibilitando sua conquista por vários povos (assírios, babilônios, persas, gregos e romanos).

    Jerusalém e seu Templo, são destruídos pelo general romano Tito, em 70 d.C. Expulsos de seu território, os judeus dispersam-se pelo mundo – a Diáspora Judaica. Em 636, os árabes ocupam a Palestina e possivelmente convertem a maioria de seus habitantes Judeus ao Islamismo, uma nova religião recém-fundada, poucos anos antes, pelo profeta (de origem judaica) Maomé. Após sucessivas invasões, a região é dominada pelos turcos (também recém convertos) e incorporada ao Império Turco-Otomano por longo período, de 1517 a 1917.Agora Ignorante vê quem é que ocupou o quê e quem é que foi expulso de onde. Engracado esse teu odio contra Israel mas mais uma vez nao respondeste a minha pergunta. Uganda? Irao? Coreia do Norte? e sabes porque e que nao respondes. porque nao tens argumentos.é que aqui nas democracias podes vomitar esse teu odio que ninguem te diz nada lá eras executado sumariamente. Consegues ver a difrença

  36. Pacheco o teu problema e que só vês para um lado. Em relação a terrorismo basta ver ler e ouvir aquilo que se passa diariamente em diversos pontos do Globo. Atentados em mesquitas ( Xiitas versus Sunitas ) Mercados , ruas , escolas , hospitais etc etc. Degolaçoes , execucoes sumarias e só porque não professas a mesma crença religiosa ou porque es de uma faccao diferente.Aconcelhava-te vivamente a fazeres um passeio e a veres com os teus propios olhso em vez de falares daquilo que ouves os outros dizerem

  37. Quanto a “palha para burros”, por mim, já chega!
    Tenho mais e melhor que fazer do que fornecer pretexto para exercitar a javardice de gente reles!

  38. Olha Morais sabes que quem Tito expulsou não foram uns individuos de religião judaica,mas sim populações que habitavam nessa região que se chamava Judeia e Samaria, e depois Palestina, e uns eram seguidores do Deus único e outros a maioria de muitos deuses.

    A HISTÒRIA não se escreve com Biblias, com Manuscritos do Mar Morto, e outras historietas do mesmo tipo.

    Estuda-se com DOCUMENTOS, estuda-se lendo autores como Flavio Josephus dos poucos autores que se reclamava ser dessa região mas não se reclamava de uma determinada religião.

    Eu sei que o zionismo está muito na moda na direita portuguesa, e dos defensores do imperialismo americano, eu sei que para justificarem a existencia do Estado de Israel inventaram a patranha, que todas a pessoas só porque terem uma determinada religião seriam todas Israelitas ,como todos os muçulmanos tivessem de ser cidadãos da Arabia Saudita onde fica Meca, ou todos os católicos cidadãos de Italia onde fica o Vaticano , só que não é assim.

    Os paises criam-se por raizes historicas culturais, e não por religiões, quando um país é dominado pela religião sabemos ao que conduz….

    E Israel sabe que a amalgama que o zionismo tentou trazer para o interior das suas fronteiras é potencialmente explosiva.

    O que tem a ver um seguidor da religião judaica nascido na Russia com um nascido na Etiopia.

    O que tem a ver um nascido no Brasil com um nascido na Polonia.

    NADA

    Não falam a mesma lingua, não tem a mesma cultura, nem seguem na pratica os mesmo preceitos religiosos, e como nada os liga, há que os manter unidos a martelo, e que melhor método do que arranjar um inimigo todas as semanas, e andar em guerra com os vizinhos há 50 anos etc etc etc….

    Quanto aos David Saul e Salomão as Lendas são muito bonitas a só que a História é muito ingrata.

    Quanto ao Moisès e a fuga do Egipto, mais uma Historieta o Freud tem um livro bem interessante sobre isso.

    Israel fundado por sarcedotes egipcios de Aton fugidos á perseguição após a morte do Faraó Akenaton…..

    Israel uma criação do Egipto, ora aqui está um bom motivo de debate para todos os amigos de Israel…..

    Quanto ao resto lembro-te capacetes azuis assassinados, membros da Cruz Vermelha abatidos, camiôes com ajuda humanitária destruidos, civis brasileiros canadianos e franceses atacados, civis libaneses abatidos com bombas de fosforo e bombas de deflagração, corpos de guerrilheiros mortos levados como refens ( o exemplo do anos 40 ainda está vivo, tambem irão armadilhar estes corpos).

    Como pode algum DEMOCRATA ,sem repudio, aceitar que um país que se diz civilizado possa cometer tantos crimes IMPUNEMENTE.

    Até quando durará a IMPUNIDADE do Estado zioniosta de Israel….

  39. “Eu sei que o zionismo está muito na moda na direita portuguesa, e dos defensores do imperialismo americano, eu sei que para justificarem a existencia do Estado de Israel inventaram a patranha,”

    Oh pacheco, mas em nome do rigor histórico que apregoa, esclareça-me lá se não foi precisamente a extrema-esquerda e em particular a união soviética os maiores entusiastas da formação do estado judaico de israel?

  40. Atenção que este ùltimo comentário não é de A. PACHECO.

    Eu sei que é um método muito usado pelos amigos de Israel, mas nem com provocações de meia tijela lá vão.

    Assinem com os vossos pseudónimos ou com os vossos nomes aquilo que pensam serem as vossas verdades .

    ISRAEL È UM ESTADO ZIONISTA.

    Israel pagará mais tarde ou mais cedo os crinmes que tem cometido.

    Israel não ficará impune….

  41. Parece que o Vasco Graça Moura é um guru para algumas pessoas….

    Eu disse o zionismo ESTÀ na moda, não disse o zionismo esteve sempre na moda,há uma diferença.

    A Inglaterra , a França, os USA tal como a União Soviètica na altura foram os paladimos da criação do Estado de Irael e da Palestina, só que se esqueceram de uma das partes.

    É uma verdade histórica que muitos fundadores do Estado de Israel eram de origem da União Sovietica,e que se reclamavam de esquerda mas que tambem a direita e extrema -direita estavam bem presentes.

    Aliás chegou a haver combates entre facções.

    Tal como não eram de esquerda aqueles que em 43 e 44 tentaram acordos com as forças militares alamãs (nazis) para combaterem os ingleses na então Palestina.

    Para mim parece-me que quem pôs em pratica a limpeza etnica entre 47 e 49 Ben Gurion e Ca. não se pode reclamar de esquerda.

    Tal como é dificil pensar que alguem que se reclama de esquerda possa apoiar uma teoria que defende a existência de um país assente nos principios de uma religião.

    A esquerda como eu a vejo, não é confessional, é racional, pode respeitar as religiões mas não lhes atribui , tal como a direita faz, o papel de comandar o pensamento dos homens.

    É a aí a maior falha de VGM, a politica de Israel foi e é fundamentalmente imperialista e de direita, assente na poderio das armas e na escravização dos povos vizinhos, e isto tudo em nome de uma religião.

  42. Para ti tudo o que não seja coerente com as tuas ideias é Manuscritos do mar morto ou biblias. Mas estas enganado e profundamente.Mais grave do que isso deturpas a historia le bem a vida de Flavio Josephus e vais ver que é exactamente ao contrario daquilo que escreveste aqui. Mas posso trancrever alguma coisa para te ilucidar (Flávio Josefo desde cedo (existem relatos dos seus 19 anos) se notabilizou entre os fariseus da sociedade judaica. Em 64 seguiu numa embaixada a Roma onde defenderia com êxito a causa de alguns sacerdotes hebreus condenados pelo procônsul romano Félix. Participou na Grande Revolta Judaica de 68 a 70 d. C., como líder militar na Galileia. Contudo, em circunstâncias não muito bem esclarecidas, Josefo preferiu ser capturado pelas tropas romanas, na fortaleza de Jotapata, a participar num pacto suicida. Prisioneiro dos generais romanos Flávio Vespasiano e Flávio Tito, chegou mesmo a obter o seu favor e, devido a isso, adoptou o apelido de Flávio. Muito contribuiu para esse favor o facto de ter profetizado junto a Vespasiano a futura tomada do trono. Pouco depois da queda de Jerusalém, seguiu Tito até Roma. Recebeu a cidadania romana, uma pensão em Roma, assim como o livre acesso à corte de Tito e de Domiciano.As Antiguidades Judaicas, (escritas cerca de 94 em grego, é a história dos Judeus desde a criação do Génesis até à irrupção da guerra da década de 60. Acrescentou, no final, um apêndice autobiográfico onde defende a sua posição colaboracionista em relação aos invasores romanos. O seu relato, ainda que com um paralelismo evidente em relação ao Antigo Testamento, não é idêntico ao das escrituras sagradas. Há quem defenda que estas diferenças se devam à possibilidade de Josefo ter tido acesso a documentos antigos (que remontariam até à época de Neemias) que teriam sobrevivido à destruição do templo. A maior parte dos académicos não dá crédito a tal suposição. Neste livro encontra-se o famoso Testimonium Flavianum, uma das referências mais antigas à Jesus). Mais uma para te ilucidar acerca do teu Anti – semitismo (O anti-semitismo é o nome que se dá à hostilidade contra os povos semitas, especialmente aos judeus e sua cultura.)Mas engracado que isto é abem a ntigo e passo-te a explicar as origens. Muitos fatores motivaram e fomentaram o anti-semitismo, incluindo fatores sociais, econômicos, nacionais, políticos, raciais e religiosos, ou combinações destes fatores.Na Idade Média, as principais raizes do ódio irracional contra judeus foram:
    Religiosas, baseadas na pretensa “doutrina” da Igreja Católica de que os Judeus são coletivamente e permanentemente responsáveis pela morte de Jesus Cristo (ver Deicídio, essa visão surgiu na Idade Média e não é mais aceitável pela Igreja Católica).
    Sócio-económicas, devido à ação de autoridades locais, governantes, e alguns funcionários da igreja que fecharam muitas ocupações aos judeus, permitindo-lhes no entanto as atividades de coletores de impostos e emprestadores, o que sustenta as acusações de que os Judeu praticam a usura (uma prática repugnada inicialmente pela Igreja Católica e hoje aceita).
    Além disso, outro fator que teve bastante influência para o ódio irracional aos judeus foi o nazismo na Alemanha. Ora bem aqui é que é um espanto como é que a esquerda consegue pensar igual aos Nazis? Sera que ainda são restos do estalinismo?.E naõ me conseguiste ainda responder ao seguinte . Quem é que armadilha adolescentes e criancas com bombas? quem e que ataca Mercados ? hospitais? peregrinacoes? Autocarros? bares? discotecas? Já sei que nestes sitios todos se escondem elementos das tropas especiais e da Mossad.Achei piada as manifestacoes em Portugal contra a guerra em Israel. São sempre meia duzia e todos conectados sempre com os mesmos partidos. São os mesmos que aprovaram a ivasao da Hungria da Checoslovaquia e outros.São aqueles que naõ vejo fazerem manifestacoes pelos Genocidios na Coreia do Norte ou Sudão. Por isso é que os caes ladram e a caravana passa. depois confundem o Governo de Israel com o povo Israelita.Em relação a tua ultima pergunta quanto tempo e que durara o estado de Israel eu respondo-te assim~
    Enquanto houver israelitas e democrcias para salvaguardarem o direito dos povos de viverem na sua terra em paz e prosperidade e não houver por de tras desses mesmos povos gente com odio por aquilo que nao entendem ou nao percebem

  43. Pacheco tu informa-te melhor antes de escrever e isto diz respeito ao eu comentario em relacao a criacao do estado de Israel.Tens que te informar primeiro em relação aDeclaracão de BALFOUR que dizia o seguinte:
    A Declaração Balfour, de 1917, dispõe que o Governo de sua Majestade Britânica vê com simpatia o estabelecimento de um lar nacional para o povo judeu na Palestina. Baseado nessa declaração, a Liga das Nações outorgou aos britânicos um Mandato para a Palestina em 1922. O fim do Mandato veio com uma decisão da Assembléia Geral da ONU depois veio esta resolução 181 da assembleia geral da ONU em Novembro de 1947:

  44. Estas mais uma vez enganado em relação a criacao do Estado de Israel.Lê primeiro a declaração de Balfour e depois a resolução 181 da Assembleia Geral das Nacoes Unidas em Novembro de 1947. Mas para te ajudar eu transcrevo.

    A Declaração Balfour, de 1917, dispõe que o Governo de sua Majestade Britânica vê com simpatia o estabelecimento de um lar nacional para o povo judeu na Palestina. Baseado nessa declaração, a Liga das Nações outorgou aos britânicos um Mandato para a Palestina em 1922. O fim do Mandato veio com uma decisão da Assembléia Geral da ONU, a Resolução 181, adotada em novembro de 1947. Essa resolução também estipulou o estabelecimento de dois estados, um judeu e outro árabe, no território do Mandato.Os árabes rejeitaram a resolução e, para que não fosse implementada, cinco países iniciaram uma guerra ainda antes da retirada dos britânicos. Foi em pleno curso dessa guerra, no dia em que terminava o Mandato e os últimos britânicos se retiravam, que David Ben Gurion leu a Declaração que estipulava “o estabelecimento de um Estado Judeu em Eretz Israel (a terra de Israel), com o nome de Estado de Israel”. Se quiseres documentos sem serem Biblias ou manuscritos do Mar Morto eu arranjo-te

  45. Semitas são os Caldeus, os Babilónios, os,Judeus ( habitantes de uma REGIÂO CHAMADA JUDEIA, e não os seguidores de uma religião)os Palestinos, os Fenicios, os Cartagineses. os berberes do Norte de Africa etc etc.

    Como se vê praticamente a maioria dos povos que habitaram o Mediterraneo, e o hoje chamado Médio Oriente.

    A amalgama que o actual Estado zionista de Israel, tende fazer entre judaismo e semitismo é como se vê abusiva, até porque a maioria da população que hoje habita em Israel nada tem de semita, assim como a maioria das pessoas de religião judaica NÂO SÂO SEMITAS.

    É logico que estes defensores da religião judaica nunca falam da tolerancia da religião muçulmana para com os seguidores do judaismo, de que o Califado de Cordoba é o melhor exemplo.

    Como tambem nunca falam daqueles que se reclamando do Judaismo e da criação de um Estado para todos os Judeus, se aliaram ás tropas NAZIS na Palestina para combaterem o então ocupante colonial a Inglaterra.

    Como tambem nunca falam dos atentados terroristas e a limpeza etnica( certamente aprendida com os seus carrascos nazis)levada a cabo pelos pais fundadores do Estado de Israel.

    Quanto ao meu anti-semitismo tenho espelho em casa, mas quanto ao teu apoio á teoria sionista, e a teu apoio ao Grande Israel,aí deverias pensar , que todos os imperialismos acabam sempre por cair, e Israel não será excepção.

    Os ódios que criou nestes 50, dar-lhe-ão um fim bem triste.

    Com um pouco mais de tempo tentarei rebater as tuas lendas sobre o Israel dos David Saul e Salomão, e da pseudo civilização que essa figuras que só existem NA LENDA , terão criado.

    Quanto á religião judaica e aos seus primordios, os seguidores HISTÒRICOS de ATON, devem certamente ter algo a ensinar-mos.

    O tempo destruido pelo Tito , foi erguido no tempo de um dos muitos Herodes, romanizado, quanto ao mitico de Salomão a sua existência é mais uma lenda…..

    Quem diria que um jornalista austriaco, que assistia no seculo XIX ao vergonhoso julgamento ,de um capitão do exercito françês, acusado de traição, levaria no seculo XXI a mais uma guerra, em que as principais vitimas são Libaneses que se calhar nunca ouviram falar num senhor Herzl .

    Por aqui se vê o poder da imprensa…..

  46. Pacheco é extremamente agradavel debater contigo mas nunca respondes directamente as questoes que te são postas.Ao contrario daquilo que escreves o Sionismo não é religioso mas sim politico.Vou-te mais uma vez definir o que é SIONISMO.
    Obtendo o seu nome de Sião (Sion, Zion) que é o nome de um monte nos arredores de Jerusalém, o Sionismo é um movimento político que afirma o direito à existência de um Estado Judaico. Este movimentodesenvolveu-se a partir da segunda metade do século XIX, em especial entre os Judeus da Europa central e da Europa de Leste, sobre a pressão de pogromas e do anti-semitismo crónico destas regiões, mas também na Europa ocidental, no seguimento do choque causado pelo caso Dreyfus.Como vês não é relegioso mas sim politico.

  47. Pacheco!
    Gostei de ler os seus textos e gabo-lhe a paciência… No entanto compreendo o esforço que faz em trazer uma réstea de verdade e de bom-senso a esta discussão da falaciosa, da “treta”.
    Passa pela cabeça de alguém de bom-senso que seja legítimo invadir um qualquer território, massacrar os seus ocupantes legítimos (de há séculos), cometer toda a espécie de crimes e de horrores sobre populações indefesas, apenas porque os invasores invocam uma versão tosca e manhosa de “acontecimentos” de há muitos séculos?
    Por esse andar ainda virão os árabes reivindicar a posse legítima do Algarve, apenas porque o nome (Algarve) contém (Al) indicativo de que foi árabe…
    Com essa lógica qualquer bando de mafiosos pode, em qualquer altura, engendrar um sofisma qualquer para estabelecer uma base em qualquer lugar da terra, porque em toda a parte se podem invocar semelhantes “argumentos”; é só querer.
    No entanto, não pude deixar de verificar, nos próprios textos do imoral “Morais”, a confissão de que os ocupantes da palestina têm muito mais probabilidades de serem descendentes de Abraão e Moisés do que os invasores sionistas… Ou seja: a fundamentação dos mafiosos sionistas é uma falácia, uma conjectura sem sentido, um sofisma.
    Mas também não se pode esperar mais de facínoras a tentar “justificar” os seus crimes, as suas atrocidades.
    Quem mais mata e chacina, actualmente, no Médio Oriente, é Israel. E mata quem? Acaso se pode provar, nalgum tribunal digno desse nome, ou à opinião pública internacional, fora dos lacaios e bandidos do costume, que alguma daquelas vítimas tem responsabilidades, directas ou indirectas nesta série de baboseiras, usadas pelo próprio imoral “Morais” para defender os facínoras que controlam o estado de Israel? E cito o próprio: “Jerusalém e seu Templo, são destruídos pelo general romano Tito, em 70 d.C. Expulsos de seu território, os judeus dispersam-se pelo mundo – a Diáspora Judaica. Em 636, os árabes ocupam a Palestina e possivelmente convertem a maioria de seus habitantes Judeus ao Islamismo, uma nova religião recém-fundada, poucos anos antes, pelo profeta (de origem judaica) Maomé. Após sucessivas invasões, a região é dominada pelos turcos (também recém convertos) e incorporada ao Império Turco-Otomano por longo período”

    Tá-se mesmo a ver que uma qualquer criança árabe, palestiniana, ou libanesa, já vem, da barriga da sua mãe, com as responsabilidades e as culpas todas dessas patranhas (de Império Romano, árabes da guerra santa, turco-otomano… o que se quiser) e, por isso, merece morrer às mãos daqueles monstros torcionários…
    Então essa escumalha maldita não há-de ajustar contas com a história pelas atrocidades e chacinas que comete em nome de (mais uma) impostura sem tamanho?
    Mas não se canse, pelo menos aqui, amigo Pacheco, porque está a “dar pérolas a porcos” e a tentar “converter” mafiosos!
    Tente convencer um mafioso de que ele não tem o direito de sê-lo!
    Criminosos não se “doutrinam”, não se convencem a aceitar as regras da civilização. Punem-se, com rigor! Deve ser para isso que servem os Tribunais inmternacionais e a ONU… Porque se eles (facínoras)fossem doutrináveis não seriam criminosos.
    Os governantes de todos e de cada um dos países do Mundo é que têm de ser obrigados a se conformarem com as regras da civilização e deixar de compactuar, de ser cúmplices, destes crimes, porque não foi para isso, bem pelo contrário, que foram votados pelos seus povos, a quem devem fidelidade e lealdade.
    Isto tem de passar a ser decidido pelas populações dos diferentes países, devendo os governos conformar-se e actuar de acordo com as decisões dos seus respectivos povos… É por isso e para isso que eu defendo a valoração da abstenção!

  48. O sionismo partiu de uma ideia do Jornalista austriaco Herzl,no seculo XIX e tem por base a tentativa de criar um país , onde vivessem TODAS AS PESSOAS DE RELIGIÂO JUDAICA.

    Um estado criado na base de uma religião, isto é inquestionável.

    O cimento é a religião judaica, os alicerces são a religião judaica, o telhado é a religião judaica, em suma é a religião judaica que justifica toda a ideia….

    É ver certos sectores do judaismo nos USA e em França, a acusarem pessoas de religião judaica por não querem ir viver para Israel como traidores aos seus principios….

    Israel é na pratica um estado confessional.

    E esse é sem dúvida o seu pecado original…

  49. Biranta apesar de ideias e conceitos diferentes que tenho em relação ao Pacheco ele faz com que eu tenho de procurar documentar-me para poder tentar contrariar aquilo que ele escreve. Denota inteligência e cultura mas acima de tudo rebate com nível as posições contrarias as suas. Uma coisa é o Estado de Israel outra bem diferente é o povo de Israel. Antes de te responder a letra gostava que lesses a crónica do Expresso desta semana da Inês Pedrosa sobre este assunto. Penso que não seja de direita mas para Ti tudo e todos diferentes de ti são de direita. Estagnaste no tempo qualquer dia as tuas crónicas são comparadas ao Parque Jurássico. Pérolas a porcos seria fantástico porque além do sabor da carne seríamos premiados com um brinde na refeição bastante valioso. Mafioso gostava de ser mas não consigo mas vou tentar aprender contigo e não duvido nada que fico igual a ti num instante. Quanto ao Imoral só conheço um que foi o teu pai ter conhecido a tua mãe. O resultado dessa infeliz união foi ter nascido um aborto e facínora como tu . Já te disse para cresceres e apareceres se por acaso não conseguires existem tratamentos hormonais para isso. E já agora só para te chatear lembra-te que um dia serás pó e o Estado de Israel continuara cá. Deixa de ser cobarde pega na AK47 e vai lutar contra os invasores Sionistas não te esqueças do lenço de preferência aos quadrados

  50. Pena mete um idiota como V.ª Ex.ª. Mas quem é o senhor? Um tipo da mão esquerda, cheio de complexos e problemas, cheio de causas de merda, tem pena de quem?
    Que cretino…

  51. Eu, ao invés, até sei quem você é: o débil mental que escreveu isto: “confirma-se que a exposição prolongada a padres salesianos resulta numa redução dramática da massa cerebral”. Keep up the good work!

  52. Caro Luís Rainha,

    Já havia sido alertado anteriormente para um comentário no seu blog de um homónimo meu (ou, pelo menos, de alguém que o ambiciona ser, para não dizer mais). Só me resta, por isso, declinar, qualquer responsabilidade pelas coisas que a criatura vai debitando, seja a que título for, e contextualizar os adjectivos por si proferidos na resposta.
    Cumprimentos,

    Jacinto Bettencourt (o verdadeiro)

  53. Por imperativos de clareza: este não foi o primeiro comentário que alguém, utilizando nome tão comum e vulgar como o meu, colocou a um poste deste blogue.
    JB (o verdadeiro)

  54. Jacinto,

    Peço-lhe então desculpa pelo tom desabrido da resposta. Era uma questão de aplicar a hoje famosa “proporcionalidade”.
    ;-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.