Sincronias assíncronas

Os blogues com comentários são mais enciclopédias do que jornais. Mas enciclopédias inacabáveis, já vencidas da vida nisso de nascer. As suas entradas são actualizadas pelo utilizador, não pela actualidade. Ou dizer melhor: a actualidade consiste na utilização do utilizador, abrindo a enciclopédia à permanente consumação da sua potencialidade, à sua morte e ressurreição no acto de aceitar o comentário. Fogo que não queima, nem gasta, o texto originador.

É o que está a acontecer aqui na casa nalguns casos paradigmáticos, por serem tão diversos:

Um new look para o empresário português?, de 9 de Agosto de 2006, teve um ressurgimento de freguesia a partir de Maio de 2007.
Floribella estraga-se, de 8 de Setembro de 2006, tem sido regular íman para inocentes meninas.
Portugal, queremos “isto”?, de 19 de Abril de 2006, continua a reunir bom vento e boas conversas dos nuestros hermanos e primos.
Not obstante, de 21 de Fevereiro de 2007, recebeu há dias a visita da celebridade em causa, o magnífico Jallapão (ou alguém por ele, tanto faz).

Há outros casos, pontuais. Que irão crescer. Esta enciclopédia não acaba de acabar.

8 thoughts on “Sincronias assíncronas”

  1. “- Floribella estraga-se, de 8 de Setembro de 2006, tem sido regular íman para inocentes meninas.”

    Valupi:

    Só agora é que avisas?! Deixas-me assim entregue às gaivotas …

  2. Ó homem, mas para que queres tu convívio com inocentes meninas?… Tens cromos da Floribella p’rá troca?

  3. francamente, luisinho, queres partilhar erros ortográficos ou afectos pueris?!

    folgo em saber assim derrepente que o jallapão continua apegado ao amor, essa grande emoção.

  4. Boa lembrança, Valupi. Já ela me viera, decerto a ti também. Mas a acção faz a diferença.

  5. Como a menina (que é como quem diz a actriz, que agora o nome me falha) até tem vinte e um aninhos até era capa de ter cromos para a troca …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.