A oposição está com uma espécie de TPM

Não me lembro da última vez que vi a oposição reunida levantar-se para infringir a Constituição com um sorriso na cara. O Governo quase em gestão, as eleições à porta e eis o primeiro acto eleitoral: revogação do decreto-regulamentar que define as regras da avaliação de desempenho dos professores e definição do início de negociações entre o Governo e os sindicatos de professores para a definição de um novo modelo.

Lê-se isto e, para além do oportunismo político, a meio do processo de avaliação, para além de mais uma cambalhota espectacular do PSD, não podemos deixar de ter vergonha de uma oposição inteira que, em mais de três décadas, ainda não aprendeu isto: não é normal que a AR revogue regulamentos administrativos e que dê ordens ao Governo em matéria administrativa. Chama-se separação de poderes.

16 thoughts on “A oposição está com uma espécie de TPM”

  1. Afinal a AR não devia, ela própria, considerar-se “de gestão” ?
    Ou ser obrigada a considerar-se ?
    Que faz por lá o número 2 do Estado ?
    Dormita ?
    Jnascimento

  2. até ser dissolvida, funciona normalmente. depois de ser dissolvida, funciona a comissão permanente. mas do meu meu ponto de vista esta revogação é inconstitucional seja em que momento for. politicamente, o momento revela oportunismo, claro.

  3. E lá tive eu de concordar com Pacheco Pereira (aka “aquele que se intitula como dos poucos homens de valor em Portugal”).

    Será desta, pergunto, que virão a luz as “propostas” da oposição para uma avaliação dos professores? Propostas daquelas que se verte em papel, estruturadas, com introdução e conclusão e de preferência com desenvolvimento pelo meio e que não seja apenas ideias avulsas, desconexas.

    O “isso está mal” sem o “assim é que estaria bem” é um desporto nacional, com grande destaque na bancada de Anacleto e do praticante Pureza. Nem figuras de relevo do Bloco disfarçam já incomodidade pela gratuitidade do Bota Abaixismo desacompanhado de algum Construtivismo que seja.

    Esta revogação é gratuita e a saber-se inconstitucional, como tudo indica, é ainda mais criticável, naturalmente.

    Aguardemos pelo inicio do próximo ano lectivo quando, ouvi hoje na RTP-N, supostamente já deveria haver novo sistema de avaliação. Como diz uma prima minha “está bem abelha!”.

  4. Eu e os meus centenas de colegas professores não poderiamos discordar mais da dona isabelinha yes girl: foi uma benção e um sortilégio terem suspendido a mais incompetente, aberrante e estúpida lei que nos imposeram à martelada, fruto de prepotência e arrogância sem limites. Aliás, comemorámos com champanhe! Só quem fala de cor e levianamente é que defende tamanho cagalhão.

    Não havia mais nada a fazer ó isabelita … a merda tem de ser evacuada pela sanita abaixo. Simples. Venha um novo governo, que este cadáver já fedia há muito. Não dá para aturar tanta filha da putice e ignorância.

  5. pode discordar à vontade do sistema de avaliação. entendo que se discorda, não perca grande tempo a analisar a pulhice opoutunista que levou à sua revogação nem a inconstitucionalidade da mesma.

  6. oh pergunta do asno! não digas a ninguém que és professor, com esses erros todos eras despedido, caso fosses avaliado.

  7. Ó Pergunta do ano, que vergonha! Expuseste-te a ser avaliado aqui mesmo e perante o mundo. Estás chumbado e, por mim, despedido.

  8. Pergunta do Ano, que elevação! Que charme, que elegância na discussão de ideias! E um phD em escatologia!

    E discutir aqui umas ideias, não? Era capaz de ser interessante…

    Deixe-me ver, pela lógica bebericaram Moet & Chandon ou Mumm por copos de plástico daqueles das máquinas de água. (Olhe que Murganheira, que é excelente e Raposeira, também muito bom, não são chamapagne, antes espumante).

  9. Claro que é inconstitucional! Mas ainda vamos ver o manhoso de Belém a promulgar esta pulhice parlamentar. Será que o Gama não lhe referiu tal na audiência de hoje?

  10. Ficámos todos esclarecidos sobre a razão de ‘alguns’ intitulados profs recusarem a avaliação. Este exemplar que aqui apareceu sob o pseudónimo de Pergunta do Ano deu–nos a prova de que alguns dos nossos exmos. profs deviam ser IRRADIADOS da função e não só avaliados. Para além de ignorante, como se vê pela escrita, ainda é ordinário. Pobres dos alunos que se cruzem com ‘gentinha’ deste calibre ! “A ignorância é muito atrevida” !

  11. oh pergunta do ano! pela linguagem e terminologia usadas deves ser um estudioso do prosopoeta e comentador local zé fried chicken

  12. Vira o disco, e toca o mesmo“Governo e oposição estão/são completamente manietados pelos lóbis” – César das Neves

    —> A superclasse (alta finança internacional) não só pretende conduzir os países à IMPLOSÃO da sua Identidade… como também… pretende conduzir os países à IMPLOSÃO economica/financeira. Paul Krugman, por exemplo, pretende que países à beira da bancarrota… aumentem ainda mais a sua despesa pública!!!…

    DE FACTO:
    -> A Superclasse (alta finança internacional) ambiciona um Neofeudalismo – uma Nova Ordem a seguir ao caos…
    —>>> Começa-se a perceber que a superclasse (que andou a fomentar o caos por todo o lado…) está agora a apontar para uma Nova Ordem – Joe Berardo (19/02/11): “um novo género de ditadura que todos temos de aprender”.

    Um blogger resumiu a coisa assim:
    «É essa/esta a “liberdade” que nos espera… Um contexto de desemprego e crise permanentes acompanhados de cartelização das empresas/corporações prestadoras de cuidados de saúde (ETC) e subsequente aumento de preços. Assim a populaça vai ser dominada.

    Até que um dia dar-se-á um banho de sangue em algum lado e virá um “new deal” outra vez…

    Liberais e comunistas têm de facto muito em comum: ou são tolos ou são perversos…»

  13. Esta patética e lastimável “Pergunta do Ano”, mais os seus cem magníficos e borrachos coleguinhas, tiveram o mérito de permitir a todos os incrédulos que a leram obter a… Resposta do Ano, quanto à necessidade de implementar uma implacável e higiénica avaliação desta estirpe de incompetentes, ignorantes e alarves que têm o atrevimento de se intitular a eles próprios “prufeçores”, insultando grosseiramente os verdadeiros Professores que, felizmente, ainda existem no nosso País! RUA COM ESTA CANALHA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.