TGV Lisboa – Atenas

Uma das promessas mais sonantes de Passos Coelho durante a campanha foi a da suspensão do projecto do TGV. Não havia dinheiro para grandes obras e o projecto era para esquecer, rasgava-se e não se falava mais nisso. Foi nisto que votaram muitos dos eleitores que lhe deram a vitória nas eleições. Mas, chegado ao poder, já não é bem assim, descobriu com grande espanto que há compromissos assumidos e, em vez do silêncio esperado, todos os dias temos novidades acerca do assunto. A obra, maior ou mais pequena, afinal, é mesmo para avançar. Com algumas diferenças, é certo, as mercadorias são agora a grande prioridade. É que já temos turistas mais do que suficientes, e a última coisa que este Governo quer é que nos entrem mais pelo País adentro ainda por cima em alta velocidade. Corria-se o risco de dinamizar o sector do Turismo e isso não pode ser. Como o Governo está cheio de ideias para impulsionar o crescimento da economia, o Turismo pode muito bem continuar a crescer devagarinho ou parado.
Mas para que não se pense que Passos tem aversão à alta velocidade, e que não tem visão de futuro, foi vê-lo, na última entrevista, a ligar-nos à Grécia a uma velocidade verdadeiramente estonteante. Curiosamente, sem mostrar quaisquer preocupações com os custos que tal ligação acarreta. Se calhar, o problema estava no destino. Linha de alta velocidade sim, mas directa a Atenas.

10 thoughts on “TGV Lisboa – Atenas”

  1. Todos os compromissos assumidos nas lojas têm que respeitar as velhas freguesias. Será assim tão difícil de compreender?

    Esta gente parece que não lê jornais.

  2. SE há que respeitar compromissos quando se está no poder, para que negar-se a cumpri-los e fazer disso cavalo de batalha, quando na oposição e em campanha? Não haverá um nome para isso? Mentira? Olha para o que eu digo , não para o que eu faço? Desonestidade intelectual? Pura chico-espertice? E mais importante, é gente deste genero, sem palavra, de que o país precisa neste momento?

  3. Ainda por cima o AliBéBé e os quinhentos e tal assessores fala como se a questão das mercadorias fosse o ovo de colombo, a descoberta da pólvora do actual governo. Como se ao anterior governo nunca lhe tivesse sequer ocorrido o transporte de mercadorias a partir de Sines. Ah… é uma questão de bitola, estou a ver. Mas que raio de gostinho tão especial terá esta gente em fazer de nós estúpidos?

    Já a ligação à Grécia pareceu-me mais um exercício do poço da morte. Temos artistas. Como se viu no Parlamento, o Passos é mesmo bom é a dar corda à aliança.

  4. :-) olha lá, guidinha, isso de andar em endurance é tudo pensado: para quê correr mais rápido, e melhor, se no ranking de turismo a Irlanda vai muito atrás da nossa 13ª posição? :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.