Será que Gaspar congelou o Governo?

Se ainda restasse alguma dúvida a respeito da incompetência de Passos Coelho o episódio da substituição de Relvas serviria para a dissipar. Nunca se tinha visto nada assim, um ministro anuncia a saída do Governo e, aparentemente, não há necessidade de o substituir. Nem se substitui o que saiu, nem se faz a remodelação que tantos, incluindo os parceiros de coligação, exigem. Até parece que vivemos tempos calmos e tranquilos em que tudo pode ser feito sem pressas.

E, desta vez, Passos Coelho, não pode acusar o Governo anterior, nem o Memorando, nem a crise internacional, nem a oposição, nem tribunal nenhum, o único responsável pelas remodelações governamentais é, ou costumava ser, o primeiro-ministro.

Por este andar, ainda o ouviremos dizer que este impasse é bom para a credibilidade do Governo e para a imagem do País perante os nossos credores.

28 thoughts on “Será que Gaspar congelou o Governo?”

  1. O comentário já está ultrapassado.
    O Melro Dr. Relvas já delegou todas as suas competências no, ou na, chefe de gabinete.
    Quem quer que ele ou ela sejam de certeza que ficámos a ganhar, ou pelo menos a não perder tanto.

  2. Ninguém aceita entrar para o des-governo dos estarolas … por isso é falado
    o inteligente montenegro, grande admirador do p.ministro!
    Pelo menos foi o que deu a entender a veneranda senhora na sua apresentação
    ontem na TVI24, nenhum social-democrata se vai meter naquele vespeiro!!!

  3. Uma questão a que não sei responder, porque não sou jurista, é a seguinte:

    O despacho de congelamento da contratação de despesa pública é inconstitucional, por virtude de ser uma norma orçamental de carácter genérico, que produz uma alteração à forma de execução do orçamento em vigor, sendo que pelo Artº 164º apenas a AR tem competência para legislar sobre o “Regime geral de elaboração e organização dos orçamentos do Estado, das regiões autónomas e das autarquias locais”?

  4. já está. foram 2 para o lugar do relvas. o governo mais pequeno do mundo ainda vai ser o maior do mundo. até nisso são mentirosos, os trafulhas roscofs.

  5. joaopft

    Para ti o que é constitucional é gastar à tripa forra. Poupar e ser parcimonioso nos gastos é inconstitucional.
    Ou, também, é uma lei constitucional, o que o Mário Soares disse: “quando não há dinheiro não se paga”. E dá um bom exemplo para seguirmos, a Argentina.
    O socialistas têm, realmente, uns grandes estadistas.

  6. quando o estado não paga ou altera unilateralmente as responsabilidades que assumiu com os seus cidadãos é legítimo e louvável em nome da contenção da despesa, mas se fizer o mesmo às instituições que vivem da usura e especulação do estado já é falta de seriedade.

  7. Ignatz

    O Estado somos todos nós, ou tu não fazes parte? ou só fazias parte do Estado, quando era o Sócrates a gastar à tripa forra e a pedir dinheiro, para tapar os desvarios, àqueles que tu chamas, agora, de especuladores e usurários?
    Tem juízo bacano!

  8. obviamente não é estado, é governo, fui a reboque dos grandes estadistas. não sou eu que digo que são especuladores e usurários, é o responsável do fmi para a irlanda, que acaba de se demitir. foi prato do dia na tsf.

  9. Ignatz

    Agora já não é o Estado é o Governo que foi aprovado pela Assembleia da Republica do Alto Volta.
    Claro que são os especuladores e usurários que o sultão pediu “ajuda”, para poupar um pais com 800 anos de Historia, de ser, mais uma vez, humilhado pelo FMI.
    O sultão apoiado pelos usurários e especuladores, com o PEC4, é que ia salvar o país da banca rota. Que linda narrativa que vocês defendem. Mesmo totós!
    Gostei foi do desabafo da Penélope depois da entrevista do Sócrates. Esta amiga não tem mesmo noção de nada.

  10. Certo certo está Mário Soares, goste-se do homem ou não : quando não há dinheiro não há vicios, mas também não se pagam dividas.
    O Francisco Rodrigues conhece alguém que prefira pagar ao credor em vez de dar de comer aos filhos?
    Já está a acontecer em Portugal e só não vê não quem é cego mas apenas quem é idiota ( ou tachista): por mais impostos que Gaspar cobre cada vez mais a divida cresce e cada vez menos dinheiro se têm para a pagar.Por mais que Gaspar corte, a divida continua a crescer. Os credores só estão a receber porque Gaspar está a canalizar o sangue dos portugueses para os seus bolsos, mas o sangue também acaba, morremos todos e a divida lá continua…por pagar.
    Espero que nunca se veja um dia na situação em que, infelizmente, já gente demais está : pagar dividas ou dar de comer á familia. Eu sei que opção escolheria sem hesitar. Todos os portugueses sabem. Este governo não é portugues nem dos portugueses. Mas um dia será atirado pela borda fora porque á familia nunca se nega o pão.

  11. mas, francisco, explique-nos lá uma coisa: Manuela Ferreira Leite afirmou que a medida não tinha qualquer efeito na limitação da despesa; será que vocês está a insinuar que Ferreira Leite mente?

    Quanto à cassete «Não há dinheiro», é melhor mudarem isso, porra! Há muito dinheiro no Estado, até o há em demasia devido à excessiva carga fiscal. O que é que vocês não percebem na seguinte frase:

    “NÃO HÁ DÉFICE PRIMÁRIO”

    (Em consequência, os salários da FP não estão em perigo imediato se a troika suspender o financiamento).

  12. Eu tenho uma ideia genial : por cada bojarda que gente como esse francisco rodrigues deitar cá para fora será emitida uma multa de 1000 euros a pagar no prazo de 15 dias.
    É inconstitucional, mas que se lixe, esta medida resolve os meus problemas e não mexe nos meus direitos adquiridos por isso toca a andar , é válida e a constituição é que têm de me seguir, sob o risco de ser considerada despesista e gastadora á tripa forra. Uma oportunidade de ouro de deitar mão a rios de massa sem grande esforço e é uma merda de uma constituiçãozeca qualquer que me vai parar?!

    Pensando bem, isto de resolver os problemas de forma ilegal é um ovo de colombo! Imaginemos a quantidade de problemas neste país que eu poderia resolver sacando o que me apetecesse de quem não gosto ou sobre quem tenho preconceitos?! Uma mina!

    Só há um pequeno problema : teriamos de mudar de regime, sair da democracia e passar a uma ditadura, musculada de preferencia, para me facilitar a vida.
    Assim como assim , acho que anda por aí muita gente que nem sequer ia notar…

  13. Para quem não sabe, o défice primario é o défice descontando as despesas com os juros da dívida. Não haver défice primário significa que a receita é suficiente para manter o Estado a funcionar, desde que o pagamento dos juros for suspenso; por exemplo, em retaliação pela suspensão do financiamento da troika.

  14. joaopft

    Vai dormir amigo, o teu mal é sono!
    Estás-te a esquecer da execução orçamental. Se o Estado ficar à espera que todos os contribuintes paguem, para tu receberes o ordenado, mais os 650.000 professores universitários, então morrerias de fome.

  15. francisco, insistes nas tuas mentirinhas direitolas (de certeza que não fazes isso com as cotações do trigo do midwest). prova que o socras gastou à tripa forras! e deixa de ser tótó!

  16. Assis

    Tótó és tu amigo!

    Com as cotações do SRWW (Soft red winter wheat) não dá para mentir, porque o seu preço é definido no mercado de Chicago.
    Mas totós como vocês são, se o Sócrates tivesse no mercado dos cereais e desse uma cotação para o trigo diferente do que está em Chicago, vocês acreditariam nele e diriam que a cotação do trigo em Chicago é que estava errada. ehehehehhe

  17. Assis

    Segundo o Nuno cm, o Ferreira do Amaral fez, em 10 anos, 800 km de novas estradas. Nessa altura, o país nem tinha uma auto-estrada que ligasse Lisboa ao Porto. A seguir, ainda, tivemos o consulado do Guterres que fez mais estradas, entre elas, a ligação até ao Algarve. Por fim, o Sócrates, em 6 anos, fez 700 km de estradas. Se Isto não é gastar à tripa forro, é o quê?

  18. oh amélia rodrigues! o socras fez scuts para desenvolvimento do interior, daqueles gajos que votavam na direita quando demoravam 1 dia para vir a lisboa e que passaram a votar na esquerda quando os aproximaram do resto do país. foi isso que assustou a cacicada do portugal profundo e a filharada noeconeira que fodeu a mãe, uma bruxa que anda por aí, e anda a tentar matar o pai, que anda por belém e vai daí as ppp’s do sócras são tripa forra e as do betoneira amaral são naice tripes, dão bués da lucro e pagam-se maningue de vezes nos periodos de concessão, que por sua vez se vão dilatando com correcções automáticas indexadas ao número de herdeiros dos accionistas.

  19. Ignatz

    Isso foi a propaganda que vos venderam para justificar o injustificável. Tótó!

    Agora essas estradas estão todas desertas. Fantástico!!!

  20. “Agora essas estradas estão todas desertas. Fantástico!!!”

    pois é melga! e o país vai pelo mesmo caminho, só falta portajar passeios e caminhos de cabras e cobrar imi aos sem abrigo.

    sobre dívida pública e especuladores, toma lá para te coçares e perorares que é herança do sócras

    http://www.publico.pt/destaque/jornal/troika-faz-avaliacao-pessimista-da-situacao-de-portugal-e-alerta-para-dificuldades-no-acesso-ao-mercado-da-divida-26370245

  21. Ignatz

    A questão é que esses 700 km de estradas que o sultão criou, inventando trafego inexistente, só para justificar a sua construção e receber a aprovação do Tribunal de Contas, não passou, isso sim, de um verdadeiro embuste.
    Agora alguém tem das pagar! Claro que o Mário Soares já disse que não paga.
    Os credores que venham cá buscar o alcatrão, ou que fiquem a arder. Porque o Estado é feito de leis, e nessas leis só vem contemplado que se pode gastar à tripa forra. Pagar não consta em nenhuma lei. O credores que tivessem lido a nossa Constituição antes de meter cá dinheiro. Agora aguentem-se! Temos pena, mas o Estado é soberano! Não são os especuladores e os agiotas que mandam em Portugal. Esta é a teoria do Mário Soares sobre este assunto. Claro que tu concordas com ela.

  22. “… inventando trafego inexistente,…”

    exactamente, inventar o inexistente, é uma boa definição de desenvolvimento, enquanto que rasgar ou congelar o existente, na maioria dos casos, é retrocesso ou estagnação. no problem, a reinvenção da roda vem a caminho depois removidos os vestígios a socras, não fora o sacana do relvas vingar-se da demissão com 1/2 hora semanal na rtp ao belzebu.

  23. Ignatz

    Inventar trafego inexistente, significa que vais criar uma estrutura para algo que não existe. Ou seja, vai-se criar custos operacionais que nunca refletirás no preço final do serviço. Quem paga isto?

  24. Ignatz

    oh campino, se plantares milho em terra com grau elevado de salinidade, por muito adubo que metas na terra e que regues, não nasce nada. Queres que eu te faça o boneco, ou compreendes o que eu quero dizer?
    Deixa-te de armar em mula rato Inácio!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.