Quem não pode, arreia

A renúncia do Papa devia dar que pensar a alguns que andam para aí a arrastar-se nos cargos que ocupam. O Cavaco é um deles. Raramente é visto e quando aparece, inevitavelmente, são sempre mais as críticas do que os elogios. Vai ficar na História como o Presidente menos popular desde que há democracia. Imagine-se se tivesse de aparecer tantas vezes em público como o Papa. Mas tal como Bento XVI, em vez de ficar irremediavelmente ligado aos escândalos de pedofilia, vai ser lembrado por ter tido coragem para renunciar, também Cavaco poderia dar a volta à História seguindo-lhe o exemplo. Seria um enorme favor que faria ao País, aposto que choveriam aplausos. Além disso, poderia continuar a fazer aquilo em que é um verdadeiro especialista: trabalhar na sombra. E as anonas também ficariam muito agradecidas. Ou talvez não.

6 thoughts on “Quem não pode, arreia”

  1. Bento VI não renunciou, foi assassinado no Castelo de Sant’Angelo, onde estava preso, pelo que viria a ser o anti-papa Bonifácio VII.

    Esta mania de botar faladura quando não se percebe um boi do assunto faz escola em Portugal…

  2. “tenho medo”,este assunto cada vez tem menos seguidores,e como tal não vale a pena perdermos muito tempo.o que nos interessa é que a igreja,dê bons exemplos, defenda boas causas, e não se meta em negocios do tipo da mafia ceciliana

  3. Guida, o Cavaco até já tinha arrumado as botas e escrevera as suas memórias. Mas acontece que a quadrilha do BPN receou ser levada a tribunal, mais ano menos ano. Nessa altura ia fazer-lhe um jeitaço ter um padrinho bem colocado. E foram descalçar-lhe as pantufas, depois de lhe darem um bonus em acções a um euro (para os outros custavam mais do dobro) e respectivos lucros daí a dois anos. Finalmente, e na hora certa, foi o que se viu e ainda se vê. Este governo tem sido tão chingado por causa de um sercretário de estado chamuscado no BPN e o nosso presidente Cavaco passou incólume com o seu conselheiro de Estado (!!!) Dias Loureiro. Esta gente arrasta Portugal na lama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.