O protagonismo mediático está verde, não presta

Cavaco é de longe o político que mais protagonismo mediático tem tido nas últimas décadas, mas ontem informou-nos que sabe que o tal protagonismo “é inversamente proporcional à capacidade de um Presidente influenciar as decisões tomadas para o País”. Mas quando é terá chegado a tão brilhante conclusão? Claro que só pode ser pura coincidência vir com uma tirada destas numa altura em que a sua popularidade é a mais baixa de sempre e a mais baixa de todos os Presidentes da República, baixando sempre mais um pouco de cada vez que abre a boca. E num tempo em que se tornou evidente que as suas previsões económicas valem tanto como as de Gaspar. Lembrar que este mago previu para o final do ano passado o regresso do crescimento económico. Já para não dizer que arrisca ser vaiado sempre que puser um pé fora do retiro de Belém.

Uma coisa é certa, o descaramento é o mesmo de sempre. A tarefa em que Cavaco mais se empenhou desde que é Presidente foi a guerra que lançou ao Governo de Sócrates. Aproveitou até à última gota todo o protagonismo mediático e não perdeu uma oportunidade para vir publicamente lançar veneno. Aposto que nessa altura não se importava de trabalhar dia e noite, desde que isso contribuísse para a queda do Governo. Mas segundo o que disse ontem, afinal, os discursos mais escabrosos que já ouvimos da boca de um Presidente da República não pretendiam influenciar em nada o que acabou por acontecer. E quando falava dos limites para os sacrifícios exigidos aos portugueses, ou fazia previsões de explosões sociais e apelos aos jovens para que se manifestassem também não pretendia influenciar o que quer que fosse, como sempre, foi tudo mal interpretado.

Seja como for, foi pena, muita pena, mesmo, não ter recusado o protagonismo mediático há mais tempo, mais concretamente nos anos oitenta do século passado. Isso, sim, teria tido uma influência muito positiva nos destinos do País.

7 thoughts on “O protagonismo mediático está verde, não presta”

  1. o cavacóide voltou a atacar no feiçebuke com o anúncio de mais um prefácio ao seu mais recente epilogo e em 4 horas já leva 200 vaias fora outras tantas que devem ter sido censuradas

  2. guida,só costumo ler e ouvir pessoas que me ensinem mais do que o pouco que sei. temos andado a falar do pec 4 e com todoss os motivos do mundo,mas temo-nos esquecido que este cromo só está no poder,porque a extrema esquerda (Be) assim o quiz,quando se antecipou no apoio a manuel alegre.pergunto se fosse uma figura consensual a escolhida para ir a votos tinhamos hoje cavaco silva no poder e passos aldrabão a governar desta forma? claro que não.resumindo: as mais graves iniciativas para a esquerda no pos 25 de abril tiveram a assinatura do be e do pcp.que os pariu.nota: não votei manuel alegre.o meu voto foi para defensor de moura.se por um caso ele fosse à 2.volta certamente votava nele,com muitas reticencias quando ao desempenho caso tivesse sido eleito.

  3. “as vozes que se fizerem ouvir não podem deixar de ser escutadas”, disse cavaco na moagem, o pedro responde de seguida, no parlamento, ” não vou governar em função das manifestações”

    http://www.ptjornal.com/2013030714545/geral/politica/cavaco-quer-que-vozes-de-protesto-sejam-escutadas-mas-nao-comenta-a-politica-do-governo.html

    http://www.ionline.pt/portugal/passos-coelho-garante-nao-vai-governar-funcao-manifestacoes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.