Mestres na arte do jogo duplo

Marques Mendes, ontem na SICN, a propósito do ‘enorme sucesso’ da emissão de dívida, confessou ser um grande fã de Passos Coelho, não poupando elogios à sua coragem. Olha a novidade! E Marques Mendes não está sozinho, os figurões do PSD que semanalmente aparecem a criticar as políticas do Governo podiam até formalizar o clube de fãs do primeiro-ministro. Normalmente, quando o Governo mete os pés pelas mãos, são os que primeiro aparecem a criticar e são deles os ataques mais ferozes, muitas vezes, esvaziando o discurso da oposição que, com demasiada frequência, acaba por os citar. Mas, tal como ontem aconteceu, estes pseudo-críticos de direita também são muito rápidos a esquecer tudo o que criticaram anteriormente e a entrar em autêntico delírio com os magníficos resultados do Governo. De repente, desaparecem as dúvidas, que na realidade nunca existiram, e ficam todos em sintonia quanto ao rumo que o País deve seguir. Por isso, apesar de tantas figuras do PSD simularem estar em desacordo com o Governo, e de se falar tanto em eleições antecipadas, não se vislumbram no partido quaisquer movimentações para a substituição do líder. Passos e Gaspar têm muito mais fãs do que parece, e, em matéria de jogo duplo, Paulo Portas ainda tem muito para aprender com estes senhores.

5 thoughts on “Mestres na arte do jogo duplo”

  1. Uma vergonha. E a culpa é só nossa. Revolução, sangue, precisa-se urgentemente. Senão vamos todos morrer à fome.

  2. Mas qual sucesso? Até parece o cúmulo da lata, mostrar satisfação por
    colocar dívida a pagar quase 6% de juros quando, a Alemanha cobra
    0,2% para receber financiamento!
    E vem esse jardineiro de Belém mostrar satisfação e dizer que é preciso
    continuar a trabalhar … para quem ??? Para quando a sua resignação ???

  3. Há muitos,muitos anos,um “velho” PROFESSOR,quando decidia dar-nos uma aula, sobre CIDADANIA e ATITUDE COMPORTAMENTAL,terminava sempre com a mesma frase:”Não há bons nem maus canalhas.Um canalha,é sempre um canalha!”

  4. isto é um autentico embuste!nunca vi pessimos resultados transformados em vitorias por obra e graça dos cumplices do costume: governo/credores.o lado do governo martiriza o povo e destroi o pais,o lado dos credores,avaliza esta politica, e elogia os seus resultados.pudera, estão a receber o dinheiro com bons juros e depois alguem que feche a porta.estou ansioso,que os meus amigos franceses entrem neste “barco do amor europeu”,para a partir dai, o sino tocar a rebate.enquanto que formos só nós com a companhia dos gregos e irlandeses,os chulos continuarão a chupar-nos até ao tutano com a cumplicidade do “corajoso” passos coelho! o que seria de nós se ele fosse um covarde!

  5. Como em 1640, há-de chegar outro dia 1 de Dezembro. Lembro que a extrema-direita costumava juntar-se na Praça dos Restauradores, com a Vera Lagoa a frente, a criticar a democracia e a louvar salazar.

    Entretanto, gaspar e os outros que com elem posam para a posteridade da infâmia nacional trairam a nação portuguesa por trinta dinheiros. Venderam-nos.

    Venderam mesmo o feriado do 1 de Dezembro, que celebrava a nossa independência, motivo por que salazar já deve andar a dar voltas na sepultura. Ainda por cima, consta que gaspar é fã de salazar. Ele e outros adoradores de salazar ou estão afectados por algum distúrbio cognitivo, ou elaboraram mais este embuste; será que já se deram conta do que o seu suposto ídolo lhes faria, se lhes deitasse a mão?

    Ora vejamos… Ao chegarem a Portugal, os militares portugueses que se renderam à Índia, em Goa, foram presos e submetidos a interarogatório. Os oficiais foram acusados de insubordinação e desrespeito pela ordem de não se renderem aos indianos. Em 22/03/1963 o governador de Goa e vários oficiais foram castigados por cobardia e expulsos das forças armadas e da função pública, em decreto assinado pelo próprio ditador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.