Daniel Bessa explica o “sucesso”, mas não assume

Mas não assume a sua parte de responsabilidade, ou a responsabilidade dos interesses que defende, no facto de Portugal ter sido levado em Março de 2011 para essa situação onde 99% dos investidores do Mundo não podem comprar dívida nacional por causa do rating da República. A seu lado, Lobo Xavier, um dos mais poderosos cavalheiros de indústria da nossa oligarquia, confirma e celebra o diagnóstico.

7 thoughts on “Daniel Bessa explica o “sucesso”, mas não assume”

  1. Esta gente é asquerosa. E são estes figurões a nossa “elite” académica e empresarial. Portugal não podia, senão ter chegado ao que chegou. Um povo imbecilizado por uma elite imbecil, a quem foi dado todo o “tempo de antena” para ministrar a sua doutrina. Juntem-lhe um Marcelo, um Marques Mendes, um Medina Carreira e os banqueiros todos e ficamos esclarecidos por que aqui chegamos.

  2. “são investidores muito especiais”.vai de donos de bordeis a bares de alterne teminando nos lavadores de carros com dinheiro nos pneus!a pouca transparencia das declaraçoes deste “bailarino” permite toda esta panoplia de investidores!

  3. essas circunferências organizadas pelo expesso com dinheiro do banco alemão servem para certificar inevitabilidades. interessante era essa gente explicar o que fizeram para que não fosse assim. o bessa diz que a cotec serve para nada, mas mantêm-se na presidência, pelos vistos só há massa para os ordenados dos gajos que lá trabalham.

  4. e que bem que ele está na cotec!até dar para ir as compras a pé ao supermercado dentro do horario de trabalho! o peso dos sacos e das pernas é que não ajuda!

  5. se os nossos ratings deixassem o lixo eles compravam a nossa dívida como compram a americana.

    Quanto aos clientes muito especiais, que podem fugir à ditadura das três videntes do oráculo de wall street… Tens toda a razão, nuno cm. Isto foi lavagem de dinheiro sujo, fuga aos impostos norte-europeus, americanos tarados que adoram o risco, etc; agora nem deu pica, não houve risco; aquela porra que nos emprestaram a 5,65% vai-se depois vender toda com lucro no mercado secundário, onde o juro está a 5,52% e onde o BCE compra para fazer baixar o juro; ou seja, lavam dinheiros sujos, o BCE também lucra com as compras e vendas no mercado secundário; e nós, tugas malditos, fazemos uma «beleza» de ajustamento para pagar todo esse carnaval infame…

    Não disseram, mas o BCE exige a colocação da nossa dívida porque senão deixa de haver títulos da dívida pública portuguesa no mercado secundário. Antes desta operação já havia dificuldade em os encontrar. Em desaparecendo a oferta no mercado secundário, imaginem o que acontecia? O juros caíam e lá se ia a manipulação dos mercados. Os ratings tinham que ser revistos, sob pena de os ratings caírem no ridículo. As tais exigências do BCE não são, como diziam aqueles senhores, regras sem sentido do BCE. Muito pelo contrário…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.