Demorámos 900 anos, mas o País está finalmente acabado

Temos visto de tudo nesta campanha para as autárquicas, menos o que era habitual vermos no passado. E o habitual noutras campanhas era vermos os candidatos a inaugurarem a obra feita e a prometerem mais obra para o futuro. Isso acabou. Nenhum candidato se atreve a fazer promessas e muito menos promessas que envolvam obras. Obras daquelas que precisam de cimento e tijolo para ficarem de pé. Conclui-se que os candidatos de todos os partidos alinham no discurso da direita quando diz que não há dinheiro para nada e que todo o dinheiro investido no País, de Norte a Sul, nos últimos anos, foi dinheiro mal gasto. Os partidos da oposição tinham aqui uma boa oportunidade para mostrarem que pensam de facto de forma diferente do Governo, que os seus candidatos têm ideias e projectos para dinamizarem a economia do País. Mas não. Parece que os candidatos que se recandidatam têm vergonha do que fizeram antes e os novos não querem ser confundidos com os seus antecessores. O resultado é uma campanha vazia de ideias, de tal forma que, aposto, muitos candidatos devem ter sentido um enorme alívio com a decisão das televisões de não fazerem a cobertura da campanha. Na verdade, tirando as tricas entre candidatos, não há nada para cobrir. Ou isso, ou o País está acabado, está prontinho, não é preciso mexer mais.

32 thoughts on “Demorámos 900 anos, mas o País está finalmente acabado”

  1. “Nenhum candidato se atreve a fazer promessas e muito menos promessas que envolvam obras.”

    tens andado distraída, o menezes não abre a boca por menos de € 100,000.00 de obras e já prometeu um tripanário no palácio de cristal e uma fábrica de óscares gerida pelo cunhado do pacheco pereira.

    http://www.publico.pt/politica/noticia/menezes-inspirase-nos-jardins-tivoli-de-copenhaga-para-recuperar-palacio-de-cristal-1596523
    http://www.publico.pt/local/noticia/menezes-pede-maioria-absoluta-alargada-para-bater-o-pe-ao-centralismo-de-lisboa-1600506

  2. Ainda não acabámos.
    “Um povo completo é aquele que é composto por gente com qualidades e defeitos.
    Coragem portugueses, já só vos faltam as qualidades” (do Almada)
    Há dois meses:
    a) Castelo Branco PS, com a presença do MAI, inaugura novo e moderno Aeródromo.
    Construído entre 2011 e 2013.
    Para a Protecção Civil e tráfego aéreo geral.
    b) Covilhã PSD, o Sr presidente da Junta, anuncia estar pronto o projecto:
    Futuro Aeroporto para aviões de 70 passageiros, capacidade posterior de 110.
    Conclusão: como parece não dependerem de ninguém, não haver uma tutela do território (?), das autarquias (?), das finanças (?),
    nem o Gaspar os travou. A saber, talvez nem haja PM.
    O Aeroporto Bragança, sem voos regulares desde há dois anos.
    Felizmente há luar.

  3. ignatz, ainda bem que estás atento. Fiquei esmagada com o exemplo que trouxeste: o Menezes! Mas mesmo assim parece-me pouca coisa, noutros tempos, o Menezes prometia o dobro disso todos os dias enquanto tomava o pequeno-almoço. Agora é mais porcos e velhinhas.

  4. 900 anos?
    Já temos mais anos do que o país basco ou a catalunha.
    Só nos falta Olivença para estarmos completos.
    Esperemos que não levem as desertas.

  5. Guida

    O careca, com dois pés em Lisboa, ameaça com o túnel no Saldanha!!!!!!
    Estejamos atentos pois. Votemos com cabeça!
    Que ninguém deixe de votar.

  6. A estratégia do homem resulta mesmo, parece que só há Menezes, ignatz.
    Mas concordo, é mais fácil ser ele a falar dessa linha de TGV do que o Pizarro, que deve preferir mil vezes perder as eleições do que ser associado às ideias do Sócrates, esse estroina, que pensava que ainda havia muito para fazer neste País.

  7. É muito pertinente a apreciação feita ontem pelo “Malhador” A. Santos Silva na TVI24!
    Dadas as circunstâncias, os candidatos, de um modo geral, optaram por mudar de dis-
    curso, ignoram o material e passaram mais a falar do imaterial … tudo se baseia no
    princípio do AMOR e da entrega, como nas seitas de carácter religioso!!!

  8. não é só o candidato psd porto, é também o candidato psd lisboa – o túnel do saldanha, senhores, mais um passo em frente para transformar a cidade num enorme aglomerado de “autoestradas”. E este túnel vale milhões, ao pé disto, as obras do menezes são peanuts…

    (guida, estamos longe da tua tese; mas admito que só se passa nas duas principais autarquias do país).

  9. edie, existem 308 municípios aos quais concorrem cerca de 1500 candidatos. Mesmo que me deixasses 200 ou 300 links, continuaria a defender que a esmagadora maioria dos candidatos concorda com o Governo quando diz que não há dinheiro para nada. E continuaria a criticar os candidatos de esquerda, sobretudo, os socialistas que acusam o Governo de não promover o investimento, que dizem ser o caminho para sairmos da crise, e desperdiçam aqui uma bela oportunidade para darem o exemplo.

  10. guida,

    concordo com a parte em que dizes que os socialistas estão tolhidos, parecem ter ganho o síndroma seguro e não assumem a sua ideologia. (Quanto aos do PSD têm duas caras, agora trata-se de mostra a cara do autarca amigo do povo e de mãos largas).
    Por outro lado, e é essa parte que te critico, não podes meter tudo no mesmo saco e ignorar que há campanha eleitoral baseada exactamente naquilo que dizes, taxativamente, que não existe. Volto a citar-te, porque pareces estar a querer tresgiversar a tua versão original:”NENHUM candidato se atreve a fazer promessas e muito menos promessas que envolvam obras.” Daqui não arredas mesmo que te mande um link por município a desmentir o teu argumento,como tu própria assumes. É mesmo um argumento contra o qual parece não haver factos que cheguem.

  11. o que o moita promete para oeiras, além de paz, amor e carinho:

    . música para todos dos 10 aos 19
    . o sporting não é esquecido
    . 2 centros de saúde, algés e carnaxide
    . cultura urbana, rede ciclovias, passeios, estacionamentos e camionagens
    . centro de congressos
    . wireless
    . medicamentos e social à borliú para velhos
    . habitação para velhos, novos e 1/2 idade
    . descontos no imi
    . inteligência urbana
    . manuais escolares grátis
    . graxa ao mandela, bana e outras formas de caça ao voto de cor

    https://www.facebook.com/moitaflores

  12. edie, quando escrevi “nenhum” estava apenas a tentar reforçar a ideia de que muita coisa mudou nesta campanha em relação às anteriores. É o que me parece. Como é óbvio, nunca acreditei na hipótese de não existir absolutamente nenhuma promessa de obras, nem poderia escrever o número exacto dos que o fizeram, a menos que lesse todos os programas eleitorais. O que não pensei foi que alguém interpretasse literalmente o que escrevi. :)

    Mas, já agora, parece-te muito ou pouco a promessa de uma obra por concelho (sei que há candidatos que prometem mais) a realizar num período de quatro anos?

  13. “… quando escrevi “nenhum” estava apenas a tentar reforçar a ideia de que muita coisa mudou nesta campanha em relação às anteriores.”

    pelos vistos não mudou grande coisa e o que mudou foi para pior. basta comparar os programas autárquicos de 2009 com 2013, dos mais gastadores para verificar que a loucura continua à solta e que a irresponsabilidade é irrefreável, nem dentro da cadeia ganham juízo.

  14. estou de acordo com a guida.não há promessas pela razoes que ela apresentou.o ignatz foi logo buscar e bem uma ave rara da nossa democracia.dinheiro para meneses nunca foi problema… e o pinto da costa sabe disso. quem vier que feche a porta!

  15. se não querias ser levada à letra, não te devias ter levado à letra, tu própria, no resto do post e nas respostas aos comentários. Quando ignoras as promessas estonteantes logo de duas cidadezecas irrelevantes como Lisboa e Porto, como é que queres continuar a sustentar a coisa?

    Quanto à questão que colocas, já sei que também não é para levar à letra – ou a sério, tal como o resto; é, aliás, bastante engraçada. E o mais engraçado é que caiste na esparrela de lhe dares resposta antes de a colocares: “é pouco”! (ou “nenhum”, em sentido figurado, pronto).

  16. edie, a minha intenção aqui não foi discutir se as promessas são ou não estonteantes, até porque isso é sempre relativo, como sabes. O que fiz foi dar a minha opinião acerca desta campanha, que me parece bem diferente de outras no passado. Não pensas o mesmo e achas que não me expressei bem. Óptimo, é a tua opinião e tens todo o direito a ela.

    Quanto à pergunta que te fiz não vejo onde está a graça. O que vejo é que ficou sem resposta.

  17. claro que vês onde está a graça, sua malandra, e claro que teve a resposta. Mas está bem, dou-te uma resposta diferente se fizeres a pergunta bem feitinha, acrescentando aqui alguns parâmetros:
    estás a referir-te ao concelho de Boticas, do Baião ou do Porto? Qual o intervalo de valores envolvidos na única obra destes concelhos? Qual a dimensão e tipo da obra? Qual o custo e o benefício? Qual a necessidade a suprir? Se me responderes a isto, vai já na volta do correio.

  18. edie, exactamente por não ser fácil ter todos esses factores em conta, falei no geral. E volto a repetir, no geral parece-me que as habituais promessas de realização de obras diminuíram bastante. Tu é que vieste com casos particulares, como, por exemplo, o da promessa de construção de um parque de estacionamento em Viana do Castelo, que, lá está, não faço ideia se é uma promessa estonteante ou se o parque é mesmo necessário.

    Sei é que ainda há muito para fazer no País, e que quando passar esta onda de austeridade (que contaminou todos os partidos), e ela há-de passar, lá voltaremos a fazer as contas ao atraso que ainda temos em relação aos nossos parceiros da Europa do Norte, e lá tentaremos arrepiar caminho. Enquanto isso não acontece, definhamos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.