Bacalhaus e liberalismo

POOR_COD.jpg

Os alarmistas do costume não se cansam de anunciar desastres e cataclismos iminentes. Estes profetas da desgraça vivem em perpétua e feliz inimputabilidade. Não sabem nem querem saber quem irá pagar as extravagantes medidas profiláticas para desgraças que, afinal, só existem mesmo nas suas imaginações inflamadas.
Depois do aquecimento global, chega a vez do bacalhau. Baseados em estudos “científicos”, os arautos do fim do mundo proclamam agora que o Mar do Norte está quase a ficar devoluto das sápidas criaturas. A pesca em massa estaria a levar o bacalhau à extinção, imagine-se! Como não podia deixar de ser, a factura a pagar para fugir ao pesadelo cairia sobre as costas largas das empresas: até já houve quem propusesse o fim da pesca ao bacalhau. Aleivosia! Que seria da indústria de restauração nacional se alguém ligasse a esta malta?
Com estes disparates, a tropa fandanga de “cientistas”, esquerdistas e pseudo-ecologistas só revela, mais uma vez, a sua total iliteracia económica. Então não é óbvio que a pressão da procura levará inevitavelmente a um acréscimo da oferta? Que os simpáticos e generosos bacalhaus, confrontados com um número crescente de barcos pesqueiros, não tardarão a aumentar a sua fertilidade e a densidade dos seus cardumes? Como sempre, as leis do Mercado sobrepõem-se aos caprichos humanos e até à débil vontade das bestas marinhas. Amén.
Quanto aos estudos “científicos”, apoiam-se mais uma vez em metodologias estatísticas desacreditadas (mas não me perguntem agora porquê) e em modelos que, como todos imaginamos saber, “não substituem totalmente a realidade”. Digam-me: já andaram a vasculhar todos os fundos oceânicos do Mar do Norte? Contaram mesmo os casalinhos de bacalhaus que por lá andam, um a um? Claro que não! E se uma tal falácia lógica não basta para vos provar a alienação destes supostos defensores da Natureza, lembrem-se: a Estatística é aquilo que nos diz que um homem com os pés congelados e os cabelos em chamas está normal. Querem confiar o futuro da nossa Gastronomia Típica a uma “ciência” assim?

3 thoughts on “Bacalhaus e liberalismo

  1. Tem toda a razão. Trata-se de invenções de sectores intervencionistas que querem claramente beneficiar a Sardinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.