V9

MA HQ
Lisboa
***
CONFIDENTIAL/NOFORN
***
Assunto: Briefing debate presidenciais
***
Reunião com a presença de AJS, JS, SP e FL, que aprovaram a estratégia em traços gerais. Alguns assuntos foram tratados apenas com FL, ver abaixo.
***
Informação preliminar

Foi assumido por todos os presentes que o candidato MA não tem o nível de octanas suficiente para fazer a máquina politica do PS trabalhar acima dos 35% de potência, o que faz com que a produção de cobertura mediática esteja muito baixa. A máquina política do BE não é utilizável, uma vez que o sistema de orientação e escolha de alvo está configurada automaticamente para o PS, e levaria anos a alterar. FL confirma, em privado, esta informação.

AJS concorda que a campanha está a correr mal, e que será necessário uma operação de Shock & Awe no debate para relançar a campanha e aumentar o índice energético de MA para níveis compatíveis uma campanha profissional.

JS não concorda, uma vez que se correr mal e o candidato não for eleito, o que é provável, ele é que tem de conviver com CS. AJS e FL não consideram a objecção válida, o que originou uma violenta troca de argumentos que terminou com JS a acusar AJS de lhe querer “fazer a folha” e a bater com a porta. SP ficou encarregue de o representar.

Linhas gerais da estratégia a utilizar:

1 – Apresentação

Para apelar ao crucial eleitorado da extrema esquerda, MA deverá apresentar-se no debate fardado com uniforme militar dos anos 70, espingarda com cravo vermelho e boina Che Guevara. Falar com a RTP sobre a possibilidade de entrar ao som do “Grândola vila morena” do ZA. Este gesto deverá servir para capturar uma boa parte do voto do FL/PCP, já que o eleitorado comunista, embora fiel, está envelhecido e facilmente se confunde. Importante – testar a afinação da imagem em focus-groups de lares de idosos na margem sul.

Para o eleitorado mais jovem, é importante aparecer de óculos escuros e iPod à cintura. A ideia é apelar ao sentido cool desta fatia do eleitorado, e tentar criar uma campanha viral com página no Facebook, videos musicais no youtube e um feed intitulado “shit Alegre says” a escrever pelo João Quadros. A imagem do “grumpy old man” é popular no eleitorado até aos 35 anos e pode ser explorada sem colidir com a esquerda revivalista e comunista, que não vai entender as referências. Um equilíbrio abrangente pode ser aqui alcançado para maximizar o apelo.

2 – Tópicos e condução do debate

CS detesta ser confrontado e contrariado, pelo que se aconselha uma entrada como DB em 2002 contra FR para o desequilibrar logo à partida. MA deverá acusar CS de ser um traidor à pátria, operacional da PIDE e amante de Merkel nos primeiros 30 segundos. Praticar o olhar acusador em ensaios até ficar perfeito. Importante – controlar a forma física do candidato. A manobra é arriscada, e qualquer ruborização das faces poderia indicar alcoolização ao eleitorado e ser o enfoque da cobertura. Usar maquilhagem se necessário.

Nessa altura CS deverá começar a balbuciar coisas sem sentido devido ao choque. Utilizar a oportunidade para fazer passar a mensagem de quem é o candidato lúcido.

Quando der sinais de recuperar, utilizar a foto de CS com OC do BPN nas Bahamas (Photoshop é possível, desde que seja profissional. A ideia é criar dúvidas durante alguns dias. Em caso de ser desmascarada, culpar um estagiário). Perguntar, com o olhar acusador (Fase 2) quanto é que CS ganhou roubou aos portugueses com o BPN. Usar então o sorriso vitorioso de “apanhei-te”, treinado a partir dos vídeos do PP fornecidos pelo seu irmão. Importante – em assuntos da banca, FL deverá dar formação a MA sobre como fazer o silvo peculiar que este usa quando fala de “banqueirosssss” e “lucrossssss”. Resulta bem com o eleitorado do BE, que pode ter ainda algumas dúvidas.
Para desanuviar o ambiente antes da estocada final, trazer à baila o casamento homossexual. MA deverá felicitar efusivamente CS pela sua promulgação, ao mesmo tempo que utiliza linguagem corporal para fazer insinuações veladas (piscar de olho, sorriso malandro). Será o suficiente para desmobilizar 20 a 30% do eleitorado católico, ao mesmo tempo que se passa a imagem de candidato simpático e justo para com o legado de CS.

Para o final, a Inventona de Belém. Perguntar a CS se já tem resultados da auditoria ao sistema de e-mails da presidência. Insistir na resposta quantas vezes forem necessárias. Pedir esclarecimentos sobre “aquele discurso”. Trazer FL à conversa. Atacar, atacar, atacar.

Não utilizar o Estatuto dos Açores. Ninguém percebe o que se passou, e ninguém está interessado. Caso CS puxe o assunto, fazer ar entediado, franzir a testa, rebolar os olhos, usar a expressão “lá está você outra vez”.

A qualquer altura do debate, se CS mostrar sinais de ira ou agressividade, oferecer-lhe um bolo rei. Utilizar o sorriso de gozo abundantemente, enquanto se olha para a câmara.

3 – Preparação

Importante – dar formação a MA, com uma duração não inferior a 280 horas, sobre os desenvolvimentos económicos e políticos em Portugal desde 1985.

a evitar:
– Não declamar poesia, o sequer falar no assunto. Os intelectuais já votam nele (ou não votam CS), o resto do eleitorado não lê, não percebe, e não gosta.
– Não utilizar a palavra “fascismo” seja em que ocasião for. A expressão está gasta e faz o candidato parecer antiquado e out-of-touch. Caso MA insista, dar o exemplo de JS em Lisboa. Ditadura é aceitável, com moderação.
Não falar das colónias, da descolonização ou guerra colonial, para não motivar os retornados e descendência, todos de direita.
– Não referir Argel (conotações muçulmanas).
– Não utilizar os governos de CS pra atacar. A maior parte das pessoas tem boas recordações da época, e quem não tem já não vota nele de qualquer maneira.
– Não se referir ao BE, para não chatear os eleitores do PS.
– Não se referir ao PS, para não chatear os eleitores do BE e PCP.
***
Nota: seguido à risca, será suficiente para ganhar. Caso Alegre ganhe, a culpa é do Valupi. Ele é que quis um briefing. Lavo daqui as minhas mãos.

__

Desopilante tour de force oferecido pelo nosso amigo Vega9000

42 thoughts on “V9”

  1. Vega:
    A partir de agora cuidado com os enumerados. São pessoas que gostam de pôr as contas em dia. Mas se estamos em democracia não há que ter medo. As verdades são para ser ditas. E não vejo dali a sair grande coisa. É pena o Garcia Pereira não se ter candidatado. Estes parecem os marretas a dobrar.

  2. ;)

    A mdsol tem razão, dá-me imenso gozo escrever estas coisas, e só tenho que agradecer ao Val pelo espaço livre para o fazer e, sobretudo, pela inspiração. E a vocês pela simpatia. Mesmo do K., esse crítico terrível.

  3. Estiveste bem outra vez, Vega. Inspiraste-te no O. Wilde? (Não deixe de perdoar os seus inimigos – nada os aborrece tanto).

  4. Digo como o SharK , gostei a 1000% e peco por defeito
    Mas insisto na opinião que já expressei num comentário anterior: estas eleições são mesmo para doer e eu estou quase a decidir-me pela trágica opção de votar MA, porque, sendo socialista, ele é o candidato que “malgré tout” o PS “teve” de escolher, e 2ª razão e mais forte que tudo – EU NÃO VOU DAR A CHANCE A CS DE SE VER ELEITO POR ABSTENÇÃO OU VOTO EM BRANCO…!

  5. edie, o K. não é meu inimigo, pelo que não há nada a perdoar. Quem não aguenta críticas não deve escrever publicamente.
    __

    Maria da Guia, fazes muito bem. Eu não consigo. Acho no entanto que estas eleições, para muitos do PS, são semelhantes às escolhas que os responsáveis políticos têm de fazer diariamente: entre dois males e sem mais opções viáveis, qual o menos mau? Nisso, vão ser uma lição de cidadania.

  6. OK, Vega, para terminar, que o assunto não merece mais desenvolvimento. Quando se diz a alguém que, como sempre, não dá uma para a caixa (resumo meu) e quem aprecia os conteúdos desse alguém é uma manada, não estamos no plano da crítica (já nem digo construtiva), mas do insulto.

    Mas concordo contigo: quem escreve publicamente tem de estar preparado para a crítica. E para o insulto também. c’est la vie :)

  7. Edie, a ti digo-te directamente, como já te disse antes, que te acho uma cheerleader.Se quiseres transpor para o contexto manada, segues sempre o macho alfa, ie, não acrescentas nada, és redundante.Uma vedeta de caixa de comentarios. E é só.
    Quanto ao Vega, ele já te respondeu . “What happens in Vegas stays in Vegas”

  8. ah, já percebi edie. Desculpa lá, era Sábado, tenho metade da família de molho, e estou um bocado mais lento que o costume. Não deixando de te dar razão, entendo os comentários do K. mais como provocações do que insultos, daí a minha reacção. De resto, continuas a ter razão, é melhor não desenvolver mais o assunto.
    ____

    Luis Oliveira, folgo em saber que a tua visão está perfeita. E…?

  9. Provocação. Exactamente, Vega. Como sempre foi e será.
    Mais, se gostas de comunicação como eu, não podes deixar de considerar um blog como uma experiencia fascinante ao nivel da dinâmica de grupo.
    O resto são mercearias emocionais e problemas mal resolvidos.

  10. Pois é, K, desde que entrámos pela primeira vez (há sempre uma primeira vez para tudo, né?) em desacordo por causa do caso Casa Pia assumiste esse parlapié de que não tenho opinião própria. Só uma coisa ainda não consegui deduzir do teu paleio.Estás chateado por não seres o macho alfa ou porque não aguentas um contraditório?

    Ah, a propósito, que é que acrescentas em conteúdo, à manada a que pertences?

  11. hum, eu só vinha cá botar um tabu. Pessoal, um dia destes temos que ter tomates para desconstruir esse ataque infame do capitalismo financeiro. Ja não bastava não terem rosto como ainda por cima a nova nomenklatura tirou-lhes o nome: deixaram de ser os bancos para passar a ser a irracionalidade dos mercados. Qual irracionalidade qual carapuça, racionalidade básica da maximização do lucro à custa dos Povos. Confesso que os meus neurónios estão com falta de água de côco para mais do que tenho em mãos, mas Júpiter vem dar uma mão lá para cima do Natal. Zeus, melhor dito.

  12. K,
    previsível a tua resposta, demasiado previsível para quem gosta de apontar aos outros os lugares comuns e banalidades do senso comum.Claro que os outros é que pertencem a manadas, porque concordam com ideias que não são as suas. Ficamos a saber que tu não, tu és um maverick, um originalíssimo, um independentíssimo nas tuas ideias, não infuenciadas (maculadas?) pelas alheias, muito menos, que possam ser seguidas por um colectivo. O Génio, enfim.

    O que são mulheres beta? (por favor dá um desconto à minha ignorância, sabes como são as cheerleaders…)

  13. Não Edie, percebeste tudo mal, tu és uma cheerleader, a translacção para a manada deriva de uma concessão minha ao teu intimo desejo de vitimização. O facto da minha resposta te ser previsivel deriva tambem do estímulo e é-lhe proporcional.
    Fêmeas beta surgiu-me quando escrevi a resposta acima por oposição a macho alfa, por isso pensei que era uma coisa boa para se dizer. Tás livre para lhe encheres o significado embora isso destrua a minha aura de Génio maverick. Existem programas de software versão beta que permitem testar novos softwares. Era tão bom que isso pudesse acontecer nas femeas não era? É pois um idealismo meu, sem ser misogino.

    & é bem verdade. Estamos numa era de um autêntico animal farm.
    E tu és uma pessoa excepcional, pá.

    Bem como tenho de viajar amanhã, desejo a todos um bom natal.

  14. Gostei do texto (achei piada). Li por alto os comentarios e não percebi tudo. Venho aqui apenas para protestar : citar Séneca em inglês ! Porque não em russo ja agora !!!

  15. Pois,K, como previsto, ficaste com o rabo de fora.”eu cá não sou misógino, mas”…É como o cliché do” não sou racista, mas…”. Por falar em clichés, não eras tu que abominavas tal coisa?

  16. estou a revêr as provas em ingliú do índice K, K., mas tem mais lá uma letrinha w de scenery of the world, assim fica-se acompanhado!

    feliz Natal também para tod@s,

    pessoal: não esqueçam que os romanos estão lá fora, eu confesso umas saudades de javali com alecrim, hum.

  17. Não sei, não, ⅀ . Às vezes parece que andam por aqui uns “gauleses” com as caligae de fora.

    E geleia de zimbro? hmmm…

  18. Ola,

    Pois (suspiro), o meu comentario acima – assim escrito em português numa conversa entre Portugueses – parece mesmo uma critica por não se ter citado Séneca em latim (bom, antes em latim que em inglês)…

    Esta bem, aceito o embrulho e o osso que contém, que da para roer até para o ano.

    Boas festas a todos

  19. Edie, ficaste nas tuas 7 quintas! Cheerleading !
    Medição de pilinhas, orquestração…enfim mercearia de blog.

    Vega, a unica coisa que há a temer no medo é o medo. Nem te julgues merecedor de um sentimento tão nobre.

    Bom 2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.