Relvas, o fazeiter

Gostei muito de ouvir o Príncipe de Massamá afirmar que não demite o ministro Relvas porque ele é um “doer” (em americano, “fazeiter”). Concordo plenamente e acrescento que é também, sem sombra de dúvida, um mestre do verbo e sua reinvenção. As cadeiras que a generalidade dos estudantes faz “a doer”, com muito estudo e trabalho, fá-las o “doer” simplesmente sendo-o, isto é, fazendo (em americano, “fazeiting”).

Ora um “doer” de cadeiras, como é fácil de entender, é coisa bem mais inteligente do que cadeiras a doer, extravagância antiquada que é consabidamente responsável pelo crónico atraso do país.

Dizem os happy few que tiveram o privilégio de assistir que dá gosto ver o “doer” (em americano erudito, “fazeiteiro”), com um martelo na mão, “fazeiting” cadeiras para bundas virtuais à velocidade de um flato do bosão de Higgs. Tão inestimável capacidade levou, aliás, a Universidade Lusófona a decidir equivalenciar-lhe (em americano, “equivaleitingar-lhe”) a licenciatura em Carpintaria de Toscos, com posterior doutoramento “odoris causa” (na genial terminologia do Marco Alves) em Cadeiras a Martelo.

__

Oferta do nosso amigo Joaquim Camacho

5 thoughts on “Relvas, o fazeiter”

  1. cadeiras a martelo e postes à martelada, já temos substituto para o poeta da treta. essa porra é para rir ou faz parte do castigo por andarmos a gastar demais?

  2. Caro Conselho Científico da Universidade Aspirina B
    Excelências

    Mais uma vez babado e honrado com a equivalência generosamente atribuída por essa prestigiada Universidade, venho manifestar-vos profunda gratidão pela prodigalidade e benevolente abrangência dos vossos critérios creditícios, que me permitiram concluir com êxito a seguinte cadeira:

    – Influência da Alimentação à Base de Relva na Flatulência do Bosão de Higgs.

    Saudações Académicas (ou equivalentes)
    Joaquim Camacho
    Aluno n.º 666

  3. desde o último livro do nilton que não me ria tanto. bem hajas, escalrracho*.

    * marcas registadas, à cause des mouches

  4. Que canudo!… Relvas

    Ó Relvas sobe ao relvado
    e mostra-nos o canudo
    não te sintas melindrado
    o povo quer saber tudo.

    Não consideres pecado
    teres comprado o canudo
    qualquer burro carregado
    de dinheiro compra tudo.

    Porque até tem mais valor
    formar um burro em doutor
    mesmo desses mais casmurros

    Mas tu és, vista escanada
    e de burro não tens nada
    fazes é de nós uns burros.

    Autoria: Rodela
    Poeta popular

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.