A César o que é de César

Enquanto Januário Torgal Ferreira andou a criticar Governos socialistas, o Correio da Manhã não se lembrou de expor os seus rendimentos. Logo que o bispo se atirou a Passos, os pulhas não perderam tempo e abriram fogo de artilharia populista contra o homem. O pasquim do Octávio Ribeiro dá-nos sempre um retrato fiel da decadência da actual direita portuguesa, não falha.

Esta frase – “O Governo é profundamente corrupto.” – será uma calúnia a merecer repúdio imediato caso o seu significado remeta para o foro judicial. Contudo, no plano estritamente político é de uma exactidão geométrica. O Governo do casal Passos-Relvas é profundamente corrupto porque os seus responsáveis de coligação enganaram profundamente o eleitorado e traíram profundamente os interesses de Portugal ao escolherem a estratégia da terra queimada para conquistarem o poder. O que os moveu foi só a conjuntura de fragilidade do anterior Executivo e mais nada de nada de nadinha de nada entrou naquelas cabeças cheias de ódio e sede.

11 thoughts on “A César o que é de César”

  1. Gostei muito de ouvir o Príncipe de Massamá afirmar que não demite o ministro Relvas porque ele é um “doer” (em americano, “fazeiter”). Concordo plenamente e acrescento que é também, sem sombra de dúvida, um mestre do verbo e sua reinvenção. As cadeiras que a generalidade dos estudantes faz “a doer”, com muito estudo e trabalho, fá-las o “doer” simplesmente sendo-o, isto é, fazendo (em americano, “fazeiting”).

    Ora um “doer” de cadeiras, como é fácil de entender, é coisa bem mais inteligente do que cadeiras a doer, extravagância antiquada que é consabidamente responsável pelo crónico atraso do país.

    Dizem os happy few que tiveram o privilégio de assistir que dá gosto ver o “doer” (em americano erudito, “fazeiteiro”), com um martelo na mão, “fazeiting” cadeiras para bundas virtuais à velocidade de um flato do bosão de Higgs. Tão inestimável capacidade levou, aliás, a Universidade Lusófona a decidir equivalenciar-lhe (em americano, “equivaleitingar-lhe”) a licenciatura em Carpintaria de Toscos, com posterior doutoramento “odoris causa” (na genial terminologia do Marco Alves) em Cadeiras a Martelo.

  2. Bem, só este comentário do Joaquim Camacho vale o dia! ;-))
    (Daria para rir o dia todo… se a coisa não fosse séria).

  3. Não consigo entender o escândalo. D. Januário mais não fez do que cumprir o seu dever de denúncia. Fê-lo com palavras de escândalo? Certamente! Também Jesus não foi meigo, como pode ver-se na passagem que inspirou o bispo (Mateus, 23). Queixam-se os túmulos caiados? Ainda bem!

    «Então, Jesus falou assim à multidão e aos seus discípulos:”Os doutores da Lei e os fariseus instalaram-se na cátedra de Moisés. Fazei, pois, e observai tudo o que eles disserem, mas não imiteis as suas obras, pois eles dizem e não fazem. Atam fardos pesados e insuportáveis e colocam-nos aos ombros dos outros, mas eles não põem nem um dedo para os deslocar.(…)
    Ai de vós, doutores da Lei e fariseus hipócritas, porque pagais o dízimo da hortelã, do funcho e do cominho e desprezais o mais importante da Lei: a justiça, a misericórdia e a fidelidade! Devíeis praticar estas coisas, sem deixar aquelas. Guias cegos, que filtrais um mosquito e engolis um camelo!
    Ai de vós, doutores da Lei e fariseus hipócritas, porque limpais o exterior do copo e do prato, quando por dentro estais cheios de rapina e de iniquidade! Fariseu cego! Limpa antes o interior do copo, para que o exterior também fique limpo.
    Ai de vós, doutores da Lei e fariseus hipócritas, porque sois semelhantes a sepulcros caiados: formosos por fora, mas, por dentro, cheios de ossos de mortos e de toda a espécie de imundície! Assim também vós: por fora pareceis justos aos olhos dos outros, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniquidade.(…)»

    http://www.capuchinhos.org/biblia/index.php?title=Mt_23

  4. Mentir ao eleitorado? Os Governos PS dao cartas! O deficit sera de 4.5%! Vamos expandir o estado social, gastar mais. Resultado, o deficit foi revisto 2 ou 3 vezes e a acabou acima de 9%, o estado teve de comprimir os gastos.

    Jose Socrates: “Nao vamos subir os impostos” dois ou tres dias no cargo, subiu logo o IVA.

    Memorias curtas as vossas.

  5. De um básico o que é que se pode esperar? Admitir que possa ter havido (e houve) alteração imprevista das circunstâncias, pode passar-lhe pela cabeça? Obviamente que sendo básico, não pode.

  6. A mesma logica e raciocionio aplicam as circunstancias actuais.

    A vossa falta de coerencia no julgamento torna-vos improprios para consumo.

  7. Excuse me Mr.
    do you have the time
    or are you so important
    that it stands still for you

    excuse me Mr.
    won’t you lend me your ear
    or are you not only blind
    but do you not hear
    (…)
    so excuse me Mr.
    but I’m a mister too
    and you’re givin’ Mr. a bad name
    Mr. like you

    so I’m taking the Mr.
    from out in front of your name
    cause it’s a Mr. like you
    that puts the rest of us to shame
    it’s a Mr. like you
    that puts the rest of us to shame

    (…)
    so Mr. when you’re rattling
    on heaven’s gate
    let me tell you Mr.
    by then it is too late

    cause Mr. when you get there
    they don’t ask how much you saved
    all they’ll want to know, Mr.
    Is what you gave

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.