Notas futebolísticas sobre a equipa da palestina tendo em vista um campeonato Euro-Árabe

hamas.jpg
(é uma equipa que dá tudo dentro de campo. uma equipa de sacrifício)

1. Têm pouco respeito pela integridade física dos outros jogadores
2. Têm um futebol explosivo
3. Abrem buracos na defesa
4. São capazes de resolver um jogo com uma bomba fora da área
5. Com eles não vale a pena pôr o autocarro à frente da baliza

RMD

12 thoughts on “Notas futebolísticas sobre a equipa da palestina tendo em vista um campeonato Euro-Árabe”

  1. Tens graça, ó safardana. Mas, não tarda mesmo nada, vai aparecer por aí alguém a acusar-te de insensibilidade por esse ponto 5…

  2. Bem apanhada, o que mostra como se pode usar o Islão (OK, não o Islão, mas um grupo que reclama falar “em seu nome”) para o humor. Tem é cuidado que os tipos ainda te acusam de alguma coisa ;)

  3. O que acabaria por acontecer é que as selecções europeias teriam de deixar ganhar as selecções árabes para não os ofender. Eu não estou a favor nem contra as caricaturas acho que na liberdade de expressão não se deve mexer. Na minha opinião os muçulmanos teem o direito de se manifestarem agora quando vejo a violência na tv e vejo os governantes europeus de cócoras acho que alguma coisa vai mal na sociedade europeia.

  4. Está enganado, Rodrigo; esta equipa disputa, não o campeonato euro-árabe que eu ouvi ser sugerido, mas sim um tal “campeonato de futebol entre muçulmanos e “ocidentais”” de que o Pacheco Pereira ouviu falar… (não é a mesma coisa, pois não?)

    Aliás, se se tivesse dado ao trabalho de fotografar a outra equipa, poderíamos ver o próprio Pacheco, o Luciano Amaral e o Vasco Rato empunhando o “Choque de Civilizações” e entoando o conhecido “É a guerra, é a guerra!”.

    Embora a pose seja a mesma, não estou a dizer que os referidos senhores são iguais ou semelhantes ou sequer assimiláveis aos fotografados: sei distinguir entre hardware e software, e, dentro deste último, entre sistemas operativos, aplicações e, por exemplo, aqueles inócuos txts.

    E é claro que me ri com este post (mas, lamento dizê-lo, Rodrigo, os artigos daqueles senhores não lhe ficam atrás…).

  5. Acho que não vão longe com um equipamento daqueles.
    No campeonato da Palestina só somam derrotas – o melhor resultado que obtiveram foi um quase empate quando a equipa contrária se distraíu com uns elementos da claque que estavam a fazer um piquenique não autorizado no relvado.
    Para não falar no Iraque onde estão a jogar à defesa e a levar uma tareia.

    Aquela exibição de equipamento é mais para consumo próprio. Está mais que demonstrado que naquele campeonato as jogadas pelas linhas com cruzamento longos para a área são mais eficazes que as tentativas de entrada pelo meio.
    Prevejo a continuação do impasse, isto é, continuação das tentativas de entradas pelo meio de defesas reforçadas, contrataques e ataques de jogadas longas e mais derrotas dos “verdes”.
    Até que alguém use a cabeça para fazer golo e acabar com o jogo, os hospitais continuarão com as urgências de prevenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.