g point

Exactamente, as campanhas são também testes de resistência aos candidatos. Mas parece que o Passos Coelho ainda não percebeu isso. Ontem ouvi-o desabafar que ‘já não tem paciência para os trocadilhos de Sócrates’.

Pasme-se, ainda a campanha não vai a meio já o candidato a primeiro-ministro, e líder do partido que faz do insulto a sua principal arma, admite não ter paciência para ouvir os trocadilhos dos opositores.

Fará alguma ideia do que o espera caso seja eleito? Da paciência que necessitará para ouvir críticas permanentes da oposição, dos sindicatos, de tudo o que é corporação profissional, etc., etc., quer a governação corra bem, quer corra mal?

Queria ver se fosse o Sócrates a queixar-se de falta de paciência fosse para o que fosse.

__

Oferta da nossa amiga guida

8 thoughts on “g point”

  1. Não, Sinhã, a senhora garantiu-lhe que será primeiro-ministro, não deve ser ela a culpada por andar tão baralhado. Mas pensando bem… :)

  2. Cada vez acho mais piada a este nosso “anónimo” amigo! Depois do comentado e comentado debate Passos/Sócrates acho que ele sintetizou numa única linha, uma só, e com um insuperável humor, tudo o que, de facto, ali se passou. “A paciência do Sócrates para aturar este gajo é tanta que ia adormecendo no frente-a-frente”. Que brilhante e bem apanhada ironia! Haja alguma coisa que nesta miserável campanha me faça rir! Até vou dormir melhor! Muito, muito obrigado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.