Eu que não sou de intrigas…

Está a ser estudado o encerramento de alguns dos 11 departamentos da Polícia Judiciária no país. diz o ministro na TSF.

E antes mesmo que alguns, mal intencionados, com a mania que têm graça, venham com as suas inacreditáveis conspirações posso garantir-vos, em nome do governo da república, que o encerramento de departamentos e a actual instabilidade directiva no seio da organização não afecta, de maneira nenhuma, o normal desenrolar dos processos, mesmo os mais sensíveis, como o caso Freeport ou o caso dos tabuleiros de xadrez de Jorge Coelho. Perceberam? RMD

7 thoughts on “Eu que não sou de intrigas…”

  1. Essa do Freeport poderia começar por se investigar onde andam hoje os elementos da PJ que investigaramo originalmente o caso. Julgo que pelo menos um deu com os costadoos na Madeira. Como tu bem sabes, aliás, RMD.

  2. Como se sabe, a Polícia Judiciária depende do Estado, e só pode investigar o que os meios e os superiores hirárquicos permitirem, ou seja, é uma Polícia susceptível a influências políticas.
    Neste campo, o PS continua a sua senda de enfraquecer a Justiça, depois de proceder ao ataque aos Magistrados por vinagança, sem proceder a qualquer das reformas de Fundo que reconhecidamente se pretende para o sector.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.