E o jogging? Como correu o jogging?

Foi uma entrada directa no top dos fellatios jornalísticos: “Um dia de sucesso diplomático que já estava preparado” diz o Diário de Notícias sobre a viagem do nosso amado Primeiro a Angola. Reparem que o avião aterrou faz poucas horas mas a viagem é já “um sucesso diplomático”. E é. Pois é. Em Portugal deu, pelo menos, umas doze ou quinze páginas nos principais diários. E depois aquele “que já estava preparado” do género “um governo que prima pelo planeamento e que sabe o que está a fazer”. Vou ali beber um copo de vinho e já volto.

Em quase todos os jornais, o destaque é o jogging do nosso líder. Que se lixe a fome, a corrupção, a liberdade de imprensa ou qualquer outra miudeza que possa ensombrar o relacionamento entre nações civilizadas. O primeiro vai fazer jogging para a marginal às oito da manhã. O Público informa que a coisa “não estava no programa”. Era quase segredo e o engenheiro sempre foi bastante discreto quanto à sua vida. Por exemplo, nunca ninguém sabe onde vai passar férias ou que desportos gosta de praticar. E esta só se soube por causa de uma “inconfidência” de um dos parceiros de passada do engenheiro. E que grande inconfidência esta. Os jornalistas de diferentes órgãos de comunicação ficaram todos a saber e publicaram todos a boa nova.

Não podemos desvalorizar esta coisa do jogging. Antes de Sócrates já personalidades como Tony Blair e Bill Clinton deram a conhecer-se às massas pelas suas correrias. Guterres ainda tentou duas ou três vezes, mas a prática da modalidade era incompatível com o corte de cabelo. No caso de Bill Clinton o exercício físico para a fotografia nunca compensou o excesso de hambúrgueres e o homem lá teve baque no coração. Era jogging para americano ver. Mas isso não interessa a ninguém. O que realmente interessa é que o jogging é uma trademark da terceira via. Marques Mendes que se cuide e que mude de modalidade.

Tudo normal. O que eu não acho normal é obrigarem os jornalistas a viajar sete horas, escrever três ou quatro mil caracteres sobre o assunto. Ao invés de aproveitarem a viagem para fazer perguntas interessantes podiam simplesmente fazer copy paste dos comunicados de imprensa da central de propaganda sem deixar o conforto da redacção. RMD

7 thoughts on “E o jogging? Como correu o jogging?”

  1. Nos meus tempos de faculdade, já o Armando Rafael (que consuma o fellatio jornalístico do nosso Primeiro à vista de 30.000 leitores do DN) era um aprendiz de carreirista no PS – mas ao contrário do António Costa, por exemplo, não tinha jeito nenhum para a intrigalhada. Pobre país!…

  2. Aguardo ansiosamente o dia em que o ditador Dos Santos e a sua multimilionária família irão a julgamento no TPI.
    Espero que, nessa altura, o “socialista democrático” Sócrates não lhes falte com o seu abonatório testemunho.
    Que vergonha!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.